Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

domingo, 6 de junho de 2021

Saímos no lucro: Bragantino 3 x 3 Bahia

 De início, é preciso informar que assisti parte do primeiro tempo do jogo pelo rádio, foi o dia de minha esposa ser vacinada, e aí não tem dúvidas sobre a prioridade. Assim, minha análise vai ser muito com base nos 10 minutos finais do primeiro tempo e segundo.

quinta-feira, 3 de junho de 2021

O Bahia é Cruel, muito Cruel

"Taí o que você queria", a bola rolou pelo Brasileiro e pela Copa do Brasil e o ataque tricolor foi "cruel, muito cruel" com os adversários. Thaciano, Juninho e Rodriguinho "sabem que é disto, é disto que o povo gosta" e deixaram suas marcas nas redes adversárias. Super Rossi, "super herói é para isto" fez três assistências nos quatro gols do Esquadrão. E só não fizemos mais gols, porque Van Diesel ignorou "o corpo estendido no chão" na área do Vila Nova e não marcou as penalidades, apenas autorizou "o primeiro carreto da noite". Para quem não teve a felicidade de conhecer, as frases entre aspas são os bordões utilizados por Januário de Oliveira, icônico narrador das décadas de 80 e 90, que nos deixou esta semana. Este parágrafo é uma singela homenagem pelos bons momentos em frente a TV assistindo suas narrações, com ele no comando da cabine, o jogo nunca era chato e a diversão era garantida.

quarta-feira, 26 de maio de 2021

É chão, viu menino!!!

Meu amor e o pouco que conheço de futebol devo a meu pai, ele que me levava ao Lomantão para ver os jogos do Conquista e Serrano; no tempo que morou no Ceará, o Castelão era nossa segunda casa; e não tem como esquecer que foi ele que me levou na Fonte no histórico 5x0 sobre o Santa Cruz, quando floresceu de vez esta paixão que nutro pelo Bahia. Infelizmente, ele se foi no domingo 16/5, exatamente um mês antes de completar 76 anos. Perdi um amigo, um companheiro de estádio e um professor na vida e no futebol.

domingo, 9 de maio de 2021

O MAIOR DO NORDESTE VOLTOU: Ceará 1 x 2 Bahia

Em 1959, o Bahia venceu o Santos de Pelé na terceira partida, em pleno Maracanã, e se sagrou o primeiro campeão nacional, antes tínhamos eliminados, também em três partidas, o Ceará e o Vasco. Na década de 70, o esquadrão composto por Sapatão, Baiaco, Douglas Fito, Jesum e Beijoca, dentre outros, ganhou nove em 10 campeonatos baianos, com direito a um hepta. Em 81, perdemos de 4x0 para o Santa de Dadá no jogo do turno, no returno era preciso ganhar de 5x0, e o Bahia comandado por Léo Oliveira e com uma atuação de gala do gênio Gílson Gênio fez os 5x0 que precisava. Em 88, enfrentamos na semi e final do Brasileiro dois times que tinham nos imposto duas sapecadas por 3x0, empatamos fora e ganhamos em casa, nos tornando campeões brasileiros. Em 94, Raudinei fez valer a mística tricolor e marcou aos 46 do segundo tempo do clássico, nos dando o bicampeonato estadual.

domingo, 11 de abril de 2021

Hora do pega para capar

Com o triunfo de virada por 2x1 sobre o ABC, o Bahia se classificou para as quartas-de-finais da Copa do Nordeste, quando enfrentará o CRB em Pituaçu.


O Bahia não fez uma apresentação de encher os olhos, persiste a dificuldade de criação contra uma defesa fechada, mas entendo que fez um dos jogos mais equilibrados da temporada. Na defesa, deixamos o adversário criar muito pouco, Douglas fez uma unica defesa no jogo, ao contrário do jogo contra o Manaus quando foi muito exigido. 


No meio, Daniel fez uma grande partida, para mim o melhor em campo, apesar da falha clamorosa no gol dos caras. Ele manteve a movimentação que marca suas atuações, arriscou chute a gol e deu um passe sensacional para Rossi no gol de empate tricolor. Isto se deve muito a entrada de Thaciano na equipe, apesar de ter feito uma partida apagada ontem, ele também se movimenta muito, chega na área adversária e se apresenta para o toque de bola, o que facilita muito o trabalho dos outros meias. Entendo que Patrick caiu um pouco nos últimos jogos, mas continua sendo fundamental para qualificar a saída de bola do tricolor.


No ataque, Rodriguinho flutua entre as linhas de defesa adversária, se aproxima de Gilberto e tem sido fundamental para o Bahia deixar de ser um time capenga, pois tem sempre caído pela esquerda para ajudar os meias, Thaciano e Daniel, na triangulação com Matheus Bahia. Com isto, o Bahia tem conseguido atacar pelos dois lados, não por acaso, o gol de Giba nasceu de uma assistência de Rossi pela direita; e o de Oscar Ruiz nasceu de um cruzamento de MB pela esquerda. Por sinal, acho que Oscar Ruiz fez algo inédito, um jogador marcar no primeiro toque pelo time, e provou de cara o que mostra seus vídeos, é um atacante de lado que entra na área para concluir a gol, característica que vai ajudar muito o Bahia na sequência da temporada.


Por fim, mesmo perdendo, o time não se desesperou, manteve o padrão de jogo, a bola no chão e procurou achar as brechas na defesa adversária para criar suas chances de gol, sendo recompensado com o vira-vira na etapa final. Agora é brocar o CRB e alcançar mais uma semi da Lampions contra Fortaleza ou CSA.

domingo, 4 de abril de 2021

A gangorra tricolor: Fortaleza 2 x 1 Bahia

Perder para o Fortaleza no Castelão está longe de ser um motivo de preocupação, afinal é um adversário de Série A e que sabe atuar sobre os seus domínios. Contudo perder 3 jogos na Copa do Nordeste (Rival, CSA e Fortaleza) sem incomodar a zaga e o goleiro adversário acende uma luz amarela que requer uma análise criteriosa da comissão técnica para tentar corrigir esta crônica incapacidade do Bahia em vencer a zaga adversária.

sábado, 20 de março de 2021

Ganhar assim é bom demais: Bahia 4 x 0 Sport

 Começo logo deixando claro que é muito bom golear o Sport, em especial depois de termos perdido os dois jogos para ele na A e ser derrotado no último jogo pelo Rival. A sensação de se impor sobre os rivais nordestinos é fantástica.

domingo, 14 de março de 2021

Derrota mais que justa: Rival 1 x 0 Bahia

Logo de cara é preciso admitir que o Rival, mesmo com um time de garotos, entendeu melhor o que é jogar um clássico e nos dominou os 90 minutos de jogo. Ditaram o ritmo, tiveram a bola e foram mais perigosos.

quarta-feira, 10 de março de 2021

DE alma lavada: Campinense 1 x 7 Bahia

Um resultado de 7x1 é para lavar a alma do torcedor, apenas 78 vezes em mais de 5.200 jogos o Bahia tinha feito 7 ou mais gols, ganhando com 7 gols do tricolor foram 40 vezes. A maioria esmagadora em amistosos ou Baiano, em campeonatos regionais ou nacionais foram apenas 4 vezes, na Copa do Brasil uma única vez, ao ganha de 8x0 do Interporto na Fonte em 2000. Considerando todos os campeonatos, nossa última goleada deste porte foi em 2019 sobre o Juazeirense pelo mesmo 7x1.

domingo, 7 de março de 2021

Deu ruim

 A derrota dos aspirantes no Baiano e o empate do principal na CNE fizeram ressurgir na cabeça do torcedor velhos fantasmas que insistem em nos assombrar desde 19, quando fomos desclassificados na primeira fase da CNE.