Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

domingo, 21 de outubro de 2018

De boas

Não foi uma partida de encher os olhos, longe disto, mas foi uma partida extremamente segura na defesa e na qual controlamos o adversário durante os 90 minutos. E isto se deve muito à escalação de Ederson, a entrada de Paulinho no lugar de Élber matou o lado direito do Botafogo. Paulinho e Léo sobraram defensivamente e ainda apareciam na frente com frequência, dando opção de jogo para o time. Do outro lado, Nino foi muito bem.

domingo, 7 de outubro de 2018

O juiz empenou o baba

Salvador, domingo, 5:30, dois tricolores batem o tradicional feijão na feirinha do Jardim Cruzeiro.

- Tô virado na disgrama. O juiz empenou meu baba.

- Fala não. Aquela miséra sacaneou o Bahia desde o primeiro tempo. Deu uns amarelos nada a ver.

- E aquele pênalti Mandrake no fim do jogo? Gregore mal tocou na porra do Marinho.

- Tô puto. Mas, o que vc achou do time?

- Foi bem demais. Em especial a parte defensiva. Até Nino anulou Everton.

- Foi mesmo. Outro que surpreendeu positivamente foi Nilton. O Zé Moleza jogou sua melhor partida pelo Bahia. Marcou bem e qualificou a saída de jogo com um bom toque de bola.

- O que mais gostei, foi que ele ficou de primeiro volante, e Gregore pode jogar na sua de segundo volante, saindo mais e se apresentando bem na frente. Quase faz um gol no primeiro tempo.

- Com os volantes bem, com Élber é Ramires ajudando os laterais na marcação, o Bahia anulou o melhor ataque das Américas. Douglas não fez uma defesa difícil.

- Jackson e Lucas foram soberanos lá atrás.

- Achei massa a experiência com Zé Rafael mais centralizado e adiantado ao lado de Gilberto.

- Também. Há tempos que defendo que ele tem de jogar ali. Sem tanta preocupação defensiva e mais perto do gol adversário.

- De fuder mesmo foi Élber calar a boca dos cornetas. Jogou com a raça e disposição de sempre e ainda meteu dois.

- O sacana estava merecendo. Espero que a torcida tenha mais paciência com ele a partir de agora.

- 3 pontos ontem tinham sido fundamentais. Era para estar na faixa de classificação para a Sula.

- O FDP Nós tirou os 3 pontos. Mas, esquenta não, esta vaga é nossa.

- Sábado, estarei lá na brocança sobre o Paraná.

- Eu também

- Falou. Agora que bati o feijão. Vou bater o baba na Ribeira.

- O feijão tava massa mesmo. Sustância da porra. Mas, tou indo para o trampo no Pólo.

- BBMP

- BBMP. Faça igual a Elber, broque lá no baba.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Hora de arrancar

Empates com o Palmeiras e Flamídia em SSA e derrota para o Vasco em São Januário lotado, jogando com 1 a menos, são resultados que podem ser considerados normais, a história mostra isto. Mas, na sequência que ocorreram e com o Bahia na porta da zona são preocupantes, ainda mais quando se vê o futebol insonso e sem brilho jogado pelo Bahia há um bom tempo.

Como dizem, o ataque tricolor é o verdadeiro arame liso, cerca, mas não arranha, não agride e não faz mal a ninguém. Com exceção dos minutos iniciais contra o Vasco, quando várias chances foram criadas e desperdiçadas, nos demais jogos, nosso ataque foi quase inoperante. Quando falo ataque, entenda setor ofensivo, formado pelos laterais, meias, atacantes e até os volantes que precisam dar o suporte e aparecer como homem surpresa no meio da zaga adversária.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Mais uma vez no quase

Mais uma vez ficamos no quase, mas a incompetência na hora de botar a bola para dentro e na marcação nos levou a mais uma derrota. Assim, ao invés de nos afastar da zona e entrar de vez na briga pelo G 10, estamos novamente próximo da degola e com um adversário complicado na próxima rodada.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

É verdade este bilete

Cenhores torcedoris,

Zé Rafael é um grosso, uma enganação, não serve nem para segundo volante.

É verdade este bilete

Cenhores torcedoris,

Ederson mandou o time recuar depois que fez o gol porque ele pode ser um treinador covarde.

É verdade este bilete

Presados torcedoris,

Ederson escala Vinícius no lugar de Ramires porque ele pode receber propina do empresário ou para sacanear a torcida.

É verdade este bilete

Presados sóxios,

Manter as contas do clube em dia é fácil e não passa de obrigação, porque todo time consegue isto.

É verdade este bilete

Presados sóxios,

Todo clube divulga os valores das transações dos jogadores,só o Bahia que não faz isto porque quer esconder as informações do sóxio.

É verdade este bilete

Cenhores torcedoris,

Nilton está voando nos treinos, Ederson só não põe para jogar porque é amante de Élton.

É verdade este bilete

Senhores torcedoris,

Só escapamos do rebaixamento por ruindade dos adversários, 16º lugar é título porque não temos time para brigar por nada mais.

É verdade este bilete

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

É hora de mudanças

Estamos vivendo o momento eleitoral, isto me fez lembrar dois grandes momentos do marketing político baiano, e com eles vou começar esta breve análise do momento atual do Bahia. Em 1986, pela primeira vez em muito tempo, a oposição capitaneada por Waldir Pires tinha chances reais de ganhar a eleição para o governo do estado, mas a população ainda estava receosa em experimentar a novidade, o partido do governo estava ali há anos, será que era hora de mudar? Não tenho dúvida que a propaganda de tv no último dia decidiu a eleição. Para quem não se lembra, a propaganda era formada por belas imagens da Bahia, isto não falta, mescladas com imagens de Waldir com o povo, isto tudo embalado pela bela canção Amanhã de Guilherme Arantes, que começa com a seguinte estrofe "Amanhã \ Será um lindo dia \ Da mais louca alegria \ Que se possa imaginar". Tenho certeza que até o mais apaixonado eleitor de ACM ficou balançado. 

Na eleição seguinte, os marketeiros de ACM deram o troco, criando o mais belo jingle de campanha política que conheço. Naquela época, a Bahia dançava ao som do axé, e os caras me criaram um com a seguinte letra "Você se lembra de mim? / Eu nunca vi você tão só / oh meu amor, oh meu xodó / Minha Bahia / ...". Sem dúvida, até o mais fanático eleitor de Waldir cantarolava esta canção de Gerônimo, um mestre da música baiana. 

sábado, 1 de setembro de 2018

Foi bom, mas podia ter sido melhor

Como diria o Chiclete "ganhar é bom, é bom demais, o ouro, o ouro". Porém, não se pode esquecer a péssima atuação tricolor. Nosso triunfo se deve muito à fragilidade deles.

Louvo e aplaudo a atitude de Ederson de mudar o time, de trocar o esquema colocando três volantes, propiciando ao time variar entre o 4-1-4-1 e o 4-5-1. O problema não está no esquema ou nos três volantes, até porque sou favorável a esta escalação em determinados jogos, mesmo em casa. O problema foi a atuação de alguns jogadoes.

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Eu tava lá

Hoje tem Bahia x Saci, impossível não lembrar de fevereiro de 1989, quando conquistamos nosso bi Brasileiro sobre o Colorado dos Pampas. Sei que as situações são bem distintas, os times então nem se fala, eles tinham Tafarel - melhor goleiro brasileiro que vi jogar - hoje tem Lomba; do nosso lado, o volante e craque do time era Paulo Rodrigues, hoje temos Gregore. Ou seja, não tem como comparar. Contudo, estamos vivendo um bom momento, jogando uma bola de gente grande, e eles são os segundos colocados do campeonato, se não me engano, venceram as duas últimas fora de casa.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Orgulho de ser Bahia

Quando fui morar em SSA na década de 80, inocente, puro e besta, como diria Raul, existiam duas redes de mercado, o Paes Mendonça, uma espécie de gigante estadual, e a Unimar, uma espécie de Vice. Lembro do alvoroço quando o Paes Mendonça abriu o Hiper ao lado do Iguatemi, virou quase um ponto turístico da cidade. Também nessa década começou a nacionalização das redes estaduais, e o Pão de Açúcar, com o lema "orgulho de ser brasileiro", começava chegar no Nordeste. Por sua vez, a rede Bom Preço, se não me engano pernambucana, chegava em SSA, com o lema "orgulho de ser nordestino". Mas, que porra este lenga-lenga sobre mercados tem a ver com o jogo de ontem? Tem a ver com o resgaste do orgulho do torcedor tricolor. 

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Em ritmo de rock

Gostei muito da última atuação do Bahia, não foi uma exibição de gala, mas foi mais uma atuação consistente e equilibrada da equipe, o que já tinha acontecido na partida com o Fluminense. Se nas partidas contra o Palmeiras e Atlético, nossos volantes e nossa defesa deram muito espaço aos atacantes adversários, isto não aconteceu contra o América/MG, o time foi compacto na defesa e no ataque, defendeu e atacou em bloco.