Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Orgulho de ser Bahia

Quando fui morar em SSA na década de 80, inocente, puro e besta, como diria Raul, existiam duas redes de mercado, o Paes Mendonça, uma espécie de gigante estadual, e a Unimar, uma espécie de Vice. Lembro do alvoroço quando o Paes Mendonça abriu o Hiper ao lado do Iguatemi, virou quase um ponto turístico da cidade. Também nessa década começou a nacionalização das redes estaduais, e o Pão de Açúcar, com o lema "orgulho de ser brasileiro", começava chegar no Nordeste. Por sua vez, a rede Bom Preço, se não me engano pernambucana, chegava em SSA, com o lema "orgulho de ser nordestino". Mas, que porra este lenga-lenga sobre mercados tem a ver com o jogo de ontem? Tem a ver com o resgaste do orgulho do torcedor tricolor. 

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Em ritmo de rock

Gostei muito da última atuação do Bahia, não foi uma exibição de gala, mas foi mais uma atuação consistente e equilibrada da equipe, o que já tinha acontecido na partida com o Fluminense. Se nas partidas contra o Palmeiras e Atlético, nossos volantes e nossa defesa deram muito espaço aos atacantes adversários, isto não aconteceu contra o América/MG, o time foi compacto na defesa e no ataque, defendeu e atacou em bloco.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Dois pontos perdidos

O Bahia jogou bola demais no primeiro tempo ontem. Zé Rafael e Vinícius na parte ofensiva, e Élton no desarme, além da estreia cheia de gás e personalidade de Paulinho fizeram o Bahia jogar um futebol soberbo e dominar o Fluminense durante todos os 45 minutos iniciais. Enfim, começamos a jogar fora de casa como atuamos na Fonte e a torcida gosta. O Bahia popôs o jogo e ocupou o campo como se fosse o mandante, acurralando o adversário e calando sua torcida.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Dúvida boa

Hoje é dia de Bahia x Porco. O retrospecto recente mostra que não será um jogo fácil, são 2 derrotas e 1 empate, 4 gols feitos e 9 tomados. Ano passado, em um jogo eletrizante, no qual merecíamos melhor sorte, perdemos por 4x2 na Fonte. Os outros dois foram lá, um empate se 2x2, quando saímos atrás, mas Edigar, em excelente fase, decretou o empate. E, mais recentemente, perdemos por 3x0, num jogo que Keno infernizou a vida de Nino e Everson. Até esboçamos uma reação no segundo tempo, mas foi muito pouco.

sábado, 28 de julho de 2018

Diálogo tricolor

Com 48 horas de atraso

7 portas, 6:30 da manhã de quinta, dois tricolores se encontram.

- Que cara é esta, Broder? Foi atropelado por um busu?

- Se saia, Sacana. Fui em Pituaço ver a brocança.

- Fui não, irmão. Horário FDP.

- Fala não, saí picado depois do jogo, peguei o metrô para o acesso norte, depois o busu para a 7 portas. Cheguei em casa quase 1:00 da madruga.

- Barril. Tenho prova na facu, por isto não fui. Fala do jogo aí. 

- O primeiro tempo foi horrível. Repetimos o esquema e os erros do jogo contra o Sampaio. 

- Flávio de lateral não rola.

- Pois é, um a menos. Mas, eu fico puto é com Régis, o sacana se esconde atrás do volante e deixa a armação do time para os volantes.

- Daí não sai nada.

- Claro, Édson no máximo toca a bola para o lado e ainda erra. Nilton, até que não complicou, mas tá sem ritmo, não conseguiu armar o time.

- Vacilo de Enderson entrar com o mesmo esquema

- Pelo menos ele viu o jogo e consertou colocando Flávio na dele pelo meio e Édson fazendo uma linha de 3 atrás com os zagueiros.

- É Gilberto, botando para lá, 3 gols em 3 jogos.

- O cara é boca de 0 9. No gol, ele correu para o primeiro pau no primeiro escanteio. No segundo, ele deu dois passes para trás e se posicionou livre no segundo pau. O zagueiro ficou vendido.

- Ouvi na rádio que Marco Antônio entrou bem.

- Caralho, o moleque entrou voando pela direita. Em dois lances achou dois pênaltis.

- Foda foi Zé perder o segundo.

- O cara tem crédito. 

- Segunda, eu vou ver a brocança no Galo.

- Isto aí, brocamos as galinhas, agora é hora de brocar os galos. Vamos exterminar o poleiro. 

- Vai ser jogo duto, ainda mais sem Zé. Ederson tem de entrar com o time que brocou as galinhas, com MA no lugar de Zé. Correria para cima dos laterais deles.

- O bom é que MA e Edigar podem revezar de lado na boa. Deixando Gilberto mais centralizado.

- É isto. Atrás, eu botava Grolli mesmo. Tem de ter experiência, mais que vitalidade e velocidade para marcar Ricardo Oliveira. Com a volta de Bruno, o setor defensivo fica fechado.

- Falou, Broder. Vou para o trampo.

- Valeu, Irmão. Segunda é brocança.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

O entregador de camisa deu um nó no super técnico

Li muito durante a semana que o time do "entregador de camisas" ia sofrer na mão do time de Mancini, uma espécie de super-técnico para alguns tricolores. Mas, não foi isto que se viu. O que aconteceu foi exatamente o contrário, o Bahia atropelou, literalmente falando, as galinhas. O Super Homem esmagou o Mamão. E mostrou quem manda na Bahia. Golear o Vice é bom demais, e golear com direito a OLÉ é puro êxtase.

O jogo começou com mais uma braga de Thiago, mas Anderson, aquele goleiro que não defende uma bola segundo parte da nossa torcida, salvou o time numa saída arrojada. Depois disto, só seu Bahia. Vinícius, jogando na sua real posição como meia de ligação, comandava a bela atuação tricolor com passes rápidos e precisas viradas de bola.  Com a entrada de Gilberto, os dois jogadores mais adiantados ficam sendo ele e Edigar, com isto Vinícius joga mais atrás, o que é bastante benéfico para seu futebol. Antes do gol, o próprio Vinícius já tinha desperdiçado uma chance clara e dado trabalho numa cobrança de falta.

sábado, 14 de julho de 2018

A vida continua


Andei meio sumido, sem tempo para escrever. De fato, o jogo do Sampaio não foi só um balde de água fria, foi uma Catarata do Iguaçu na cabeça dos tricolores. É difícil perder um título dentro de casa para um time tecnicamente inferior, complicado mesmo. Infelizmente, este não foi o  maior vexame da nossa história, contudo o que mais li nos últimos dias foram os mensageiros do caos, os aproveitadores de sempre, e os possíveis candidatos pregando o fim do mundo e o apocalipse tricolor.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Agora é conosco

Vi apenas os 5 minutos iniciais, antes do avião decolar, e os 5 finais, depois do pouso. Impossível fazer uma análise vendo tão pouco tempo, mas pela reação nos grupos de zap, o Bahia jogou pedra em santo, sendo um time merdículo como fala nosso garoto propaganda, o inconfundível Jotinha. Mesmo com a derrota e com este futebol pífio, ainda somos os grandes favoritos ao título, nossa história e nosso desempenho recente na Fonte mostram isto. Viajo confiante que voltarei com a taça na bagagem.

terça-feira, 3 de julho de 2018

Não vejo a hora

Esta semana está complicada, chega segunda, mas não chega sábado. Não vejo a hora de voltar a entrar na Fonte Nova para ver meu Bahia jogar e vibrar, berrar e soltar a voz ao lado de milhares fanáticos tricolores que lotarão a arena para empurrar o tricolor em busca de mais um título.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

A dois passos do Paraíso

Estou igual ao Bahia ontem, sem muita inspiração para escrever, então vamos tentar na transpiração. Lembro que quando Marcelo Santana, o estagiário, o menino criado por vó que empina pipa no ventilador, assumiu o Bahia, ele disse que uma das prioridades dele era fortalecer a marca Bahia no Nordeste. De lá para cá, foram 4 torneios, o Bahia chegou na final de 3 e todos sabemos como perdeu a vaga na outra oportunidade. Ou seja, o estagiário criado por vó cumpriu sua promessa de campanha. Sem dúvidas, hoje o Bahia é o adversário a ser batido na Copa do Nordeste, todos nos respeitam e nos temem.