Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sábado, 21 de novembro de 2020

Dura lição

 O Bahia foi justa e merecidamente goleado pelo Bragantino, em momento algum do jogo, tivemos o domínio da partida, mesmo nos raros momentos que tivemos a bola nos pés, eles foram muito mais perigosos, em suma, se houvesse justiça no futebol, sairíamos de Bragança com a sacola bem mais cheia do que saímos.

domingo, 15 de novembro de 2020

Colé a sua, Bahêa?

Chegamos ao tão esperado G10, enfim estamos na briga que cabe ao Bahia na situação atual do futebol nacional. A dúvida que fica é se teremos futebol e elenco para continuar nesta disputa ou se voltaremos para ingrata luta pela sobrevivência na A. Há quem ache que ao Bahia só cabe não cair e mais nada neste campeonato. Por outro lado, tem que pense que não saíremos mais da primeira página. E ainda tem os mais otimistas que entendem que o alvo é o G6.  Entendo que existem motivos para crer nos dois primeiros grupos, mas não vejo como crível a luta pelo G6.

sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Para deleite do Papá

O Bambu gemeu na Fonte para cima do Melgar, o Bahia passou o rrrrodo sem dó nem piedade. Longe de ser o Bahia dos sonhos, mas não fomos aquele time merdículo que tinha sido derrotado em Lima. A grande dúvida que fica é quem foi, quem foi o Barril Dobrado do jogo, Fessin com seus dois gols ou Daniel com suas três assistências?

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Honrando a tradição da 9

Todo jogo Bahia x Galo me remete a 84, mas ainda ontem, quando começaram a falar dos tabus que cercavam o confronto, eu desembarquei de cabeça na década de 80. Para quem não sabe ou não se lembra, em 84, o Bahia repatriou Beijoca e o primeiro jogo da Taça de Ouro era contra os mineiros. Existia um tabu, o Bahia nunca tinha ganho do Galo no Brasileiro, e assim como ontem, o Galo era o favorito. Mas, Beijoca não quis saber e brocou logo 2, decretando o triunfo tricolor, como narrou o saudoso Fernando José, Saravá, Beijoca, Saravá.

domingo, 18 de outubro de 2020

Hora de virar o jogo

Tem tempos que não escrevo nada aqui na página, pois estou no pique final do livro sobre o Bahia na década de 80, espero lançar ano que vem como parte das comemorações dos 90 anos de nosso amado clube. O livro vai se chamar Mais um Bahêa - anos 80, uma década de conquistas. Vou relatar histórias marcantes de todo o período entre 81 e 90, com textos exclusivos para cada campeonato disputado e para alguns jogos históricos.

domingo, 27 de setembro de 2020

O Bahêa tá off

Mais uma derrota que nos afunda cada vez mais na zona de rebaixamento, da onde devemos tentar sair o mais rápido possível. Mas, para quem acompanha o Bahia como nós, sabemos que nossa campanha já era digna de Z4 desde o returno do ano passado, o que põe a DE na berlinda, por ter demorado demais a agir.

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Na roda

Cláudio Prates fez o básico, manteve o esquema que empatou com o Inter no Sul, na minha opinião, o melhor esquema de jogo para o Bahia neste momento de instabilidade, e não inventou ao colocar os meninos Édson e Matheus Bahia nas vagas de Ronaldo e Capixaba, respectivamente. Com esta formação, o Bahia começou bem na parte ofensiva, Élber se destacava com boas arrancadas e assistências. Até os 20 minutos, o Bahia acuou o Grêmio e acumulou chances, as duas melhores com Gilberto; na primeira, ele fez o certo e acertou um belo chute, mas Vanderlei fez uma bela defesa; já na segunda, Giba mostrou que a fase não está boa e de dentro da pequena área, sem goleiro, tocou de cabeça por cima do gol. 

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Crônica de um desastre anunciado

O título deste texto é uma clara referência ao excelente romance, Crônica de uma morte anunciada, do Prêmio Nobel Gabriel Garcia Marques. No livro, toda uma vila sabe que um assassinato vai ser cometido, mas não consegue evitar. Pois bem, todos que acompanham o Bahia sabiam, desde dezembro de 2019, pelo menos, que uma hora aconteceria o desastre que vimos em campo ontem, mas fomos chamados de arrogantes e sumariamente ignorados por quem poderia intervir.

domingo, 30 de agosto de 2020

O tabives ainda permanece

Vamos inverter a ordem natural das coisas e começar pelo fim. Ano passado, assisti a explicação de GB sobre a demissão de Ederson Moreira, para GB foi a decisão mais difícil que ele tinha tomado à frente do Bahia, mas que foi preciso porque Ederson, que tinha previsto ainda em janeiro sua demissão em final de março, estava entregando os pontos e por isto não teria mais condições de ser o comandante da equipe. Veio Roger, campeão baiano, eliminou o São Paulo e fez disputa dura com o Grêmio na CB, excelente campanha no primeiro turno e péssima no segundo da A, e é o que estamos vendo aí hoje. 

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

A freguesia continua

 - Fala, Miséra!!! Tô virado na disgraça!!!

- Eu também, PQP, tá difícil ver o Bahêa.

- Porra, perder 4 jogos em 6 para o Ceará é f...

- Pior é o treinador não enxergar e entrar com o mesmo esquema que fracassou nas finais da CNE.