Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

domingo, 27 de novembro de 2016

Broxar é não subir, simples assim

Alcançar um objetivo perdendo a última batalha, é broxante. Ver seu time ser derrotado por um time de férias, é broxante. Ver seu time perder quando sua torcida fez um esforço monumental para estar presente e, mesmo em menor número, ser o tempo todo mais vibrante, é broxante. Ver vários jogadores sem a mínima condição técnica vestirem a camisa de deu amado clube, é broxante. Ver seu time jogar um futebol burocrático e sem nenhuma criatividade durante 90 minutos, é broxante. Ter de esperar 5 a 10 minutos para enfim poder comemorar o acesso, é broxante. Poderia citar mais uma dezena de fatos broxantes sobre o jogo de ontem, mas vou parar por aqui.

sábado, 26 de novembro de 2016

Dia inesquecível

Como já escrevi várias vezes, eu não sou analista de futebol, sou torcedor do Bahia, por isto só tenho uma coisa a dizer

O BAHIA VOLTOU

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Nós vamos invadir seu cerrado!!!!

Para muitos, os anos 80 foram perdidos, afinal de contas, a economia estava em frangalhos, com uma inflação superior, em alguns momentos, a 80% ao mês. Só para efeito de comparação, hoje é  o maior drama quando se chega aos 10% ao ano, a meta é 4,5% ao ano. Para quem não viveu esta época ter uma ideia do que é isto, você entrava em uma concessionária dia 1º para comprar um carro com valor de R$ 50.000,00, no final do mês este mesmo carro custava R$ 90.000,00. As maquininhas de remarcação de preço eram as grandes vedetes dos supermercados. Todo dia a galera tirava extrato do banco para ver o rendimento das aplicações, muita loucura. Na política, começamos sob uma ditadura, passamos por Sarney, com sua velha Nova República, e fechamos elegendo Collor. No futebol, perdemos duas copas  e nossos maiores jogadores, Zico, Sócrates, Cerezo, Júnior e Careca iniciaram a debandada de craques para a Europa, o que dura até hoje.  Vendo por estes lados, de fato, foram anos para esquecer.

domingo, 20 de novembro de 2016

Só falta 1 ponto

Foi sofrido, foi de novo no apagar das luzes, mas o Bahia voltou a mostrar toda a força que tem quando joga em casa com o apoio da sua apaixonada torcida e venceu o Bragantino por 3x2 num jogo eletrizante. Claramente, os jogadores do Esquadrão sentiram o peso do jogo e começaram nervosos, a bola queimava nos pés dos nossos atletas, e o Braga se aproveitou disto para equilibrar o jogo e criar a primeira chance em um chute rateiro no canto, porém bem defendido por Muriel.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Xalalalalalaou, sou tricolor

A ansiedade para sábado é tão grande que mal tenho conseguido ler as notícias do Bahia, tenho me informado apenas pelos grupos do zap. Escrever aqui no blog, nem pensar, a inspiração sumiu neste momento de decisão. Ia matar a angústia da espera vendo o Esquadrãozinho, mas acabei ficando preso no trabalho e fui obrigado a acompanhar pelos posts dos grupos da torcida, só vi os gols depois. Me lembro que em 2010 também foi assim, agonia da porra na espera do jogo da Lusa, mas alegria e satisfação imensas com o acesso coroado com o elevador, o que novamente se avizinha este ano.

domingo, 13 de novembro de 2016

Série A, pode se preparar, o Bahia está voltando

Entre 31 de março de 1964, alguns historiadores dizem que foi 1º de abril, e meados da década de 1980, o Brasil viveu sob uma pesada ditadura militar. As vozes dissonantes, sejam elas de políticos, cidadãos comuns ou artistas, eram caladas e vários brasileiros foram obrigados a se exilarem no exterior, dentre eles, os bons baianos Caetano e Gil. Desta época, lembro do onipresente termo "Censura", nada, músicas, filmes, jornais e revistas, chegava ao público sem antes passar pelo crivo da comissão de censura. Para burlar, os artistas recorriam à metáforas e à criatividade geral, foi assim que Chico Buarque fez a famosa música Cálice (quem nunca ouviu ou cantarolou "afaste de mim este cálice de vinho tinto de sangue"?) e Roberto Carlos homenageou Caetano com a bela música "Debaixo dos caracóis dos seus cabelos". Desta época também vem o sambinha, imortalizado na voz de Simone, "Tô voltando", composição de Maurício Tapajós/Paulo César Pinheiro, um dos hinos da anistia política e música perfeita para o atual momento vivido pelo Tricolor da Boa Terra que está saindo da Série B para voltar ao seu devido lugar na Série A.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Que torcida é esta, meu irmão? (2)


Em homenagem à nova parceria do Blog Sobahea com a página Bahêa Minha Vida é Você, republico um texto que fiz em homenagem à torcida tricolor que foi guerreira e levou o time nas costas nos piores momentos do jogo contra o Sampaio.

Dizem que no casamento, quando o dinheiro sai por uma porta, o amor sai pela outra. Já no futebol, esta máxima não se aplica, pois quando os títulos somem, a torcida aparece, quem não se lembra da fiel torcida corintiana do jejum de 23 anos sem título paulista ou do banco de loucos da Série B. Esta pode ser uma das explicações para a crescente paixão da torcida do Bahia pelo seu fragilizado time, carente de títulos e grandes feitos desde a década de 1990.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Segundo sobe, viu Porra!!!!

Bate, bate, bate,  coração, 
dentro deste velho peito. 
Você já está acostumado, 
a ser maltratado... 

Mas, o Bahia exagerou, quem não infartou hoje pode correr uma maratona após bater uma buchada e uma moqueca. O gol aos 48 do segundo tempo foi mais efetivo do que qualquer teste de esforço, posso dizer, meu coração está zerado. 

Era esperada uma goleada, era o confronto do melhor ataque contra a pior defesa, mesmo assim, não faltou sofrimento e emoção na Fonte. Por sinal, Juninho mesmo não sendo decisivo e saindo contundido, entrou de vez para o rol dos grandes jogadores do Bahia, o choro de dor ao ser substituído e de emoção no final do jogo dizem tudo.

sábado, 5 de novembro de 2016

Jogo horrível, resultado fundamental

Moqueca de peixe para dois no Paraíso do Dendê: R$ 80,00
Van para Goiânia com direito a bebida: R$ 100,00
Ingresso para o jogo: R$ 30,00
Churrasquinho de gato na porta do Serra: R$ 5,00
Comemorar um gol do Bahia no estádio ao lado da galera: não tem preço

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Vamos subir para a Série A, Bahia, vamos subir

A expectativa para sexta é gigante, aqui em Brasília, a torcida tricolor não fala em outra coisa, estão sendo organizadas vans, caronas solidárias e outras formas coletivas e individuais de traslado, mas o certo é que a galera candanga vai invadir o Serra e mostrar toda a força da Nação tricolor, estarei lá. A única dúvida é sobre qual Esquadrão veremos em campo, o avassalador que detonou na Fonte todos os adversários nos jogos do segundo turno ou o improdutivo e inefetivo que se atrapalhou nas próprias pernas e deixou pontos fundamentais fora de casa? Ou seja, a bipolaridade tricolor assusta a massa.