Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

A culpa é do Felipão

A culpa é do Felipão

R10 e Luiz Fabiano estão fazendo falta?


Quando Felipão assumiu a seleção, o Brasil vinha de três tristes anos sob o comando de Mano, quando não conseguiu ganhar de nenhuma seleção de expressão, além dos fracassos na Copa América e Olimpíada. Tinha também uma safra duvidosa de jogadores, com os mais experientes em franca decadência, sendo Kaká o principal exemplo, e as promessas, com exceção de Neymar, sem conseguir se afirmar, quem não se lembra de Pato (continuando na fauna, Ganso), a eterna promessa, hoje já tratado como um peso morto.
Aí veio Felipão e a conquista da Copa das Confederações, não nego os méritos do treinador que soube resgatar o “amor” do brasileiro pela seleção e conseguiu dar um surpreendente padrão tático ao time, o que foi suficiente para ganhar o título, mesmo com um time limitado tecnicamente. Infelizmente, na minha opinião, acabam aí os méritos do treinador.
Entendo que o mesmo deixou se convencer que ganhar do desestruturado México (classificou-se na repescagem da CONCACAF), e das decadentes Espanha e Itália (desclassificadas na primeira fase da Copa) e Uruguai (desclassificado nas oitavas sem nenhuma dificuldade pela Colômbia) era suficiente para se achar favorito ao título do mundial.
Infelizmente, os quatro primeiros jogos do mundial mostraram outra realidade. A seleção se ressente claramente de jogadores experientes, me desculpem os patriotas ou psicólogos, mas é inadmissível o chororô do atual escrete, a atitude de Tiago Silva antes das cobranças dos pênaltis contra o Chile já é ruim por si só, mas partindo de um Capitão de seleção é patética. Felipão tão endeusado por ter feito um trabalho psicológico que transformou Rivaldo no melhor jogador da Copa de 2002, apostou em um elenco formado por jogadores, segundo ele, com fome de título, sem se arriscar a motivar jogadores como R10 e Luiz Fabiano que sem sombra de dúvidas seriam muito mais úteis do que os inexpressivos Bernard e Jô (na minha modéstia opinião, Jô só entra em campo para provar que o acomodado Fred, lógico não tem uma sombra, não é tão ruim).
Por que insistir com R10? É simples, um time não pode viver somente de correr com a bola, em alguns momentos do jogo (e não são poucos) é preciso parar a bola, tocar para os lados e tranquilizar o jogo, em outras palavras, cozinhar o adversário em banho maria. Sem dizer que é preciso alguém que ouse nos passes no meio-campo. R10 fez isto magistralmente na conquista da Libertadores pelo Galo. Basta ver o segundo tempo do jogo do Chile para entender o que estou falando. Para fechar a análise dos jogadores, o que passa pela cabeça do treinador e dos jogadores adversários quando veem R10 e Luiz Fabuloso aquecendo? Acho que deve ser bem diferente de ver Jô e Bernard.
O ousado esquema 4,2,3,1 que deu tão certo na Copa das Confederações se transformou em um estático esquema 4,2,1,3. Os motivos são vários e facilmente identificados, mas o treinador insistiu em não ver. Vamos a alguns deles:
1-      Paulinho fundamental em tal esquema, pois era o responsável por passar com qualidade a bola da defesa para o meio, além de aparecer como homem surpresa, está em péssima fase, mas Felipão só o tirou do time depois de ser praticamente obrigado pela torcida;
2-      os meias Oscar e Hulk que tanto ajudaram Neymar na armação do ataque no último título, se transformaram em dois pontas abertos que são facilmente marcados, justamente por não possuir velocidade e habilidade no drible, qualidades necessárias nesta posição. Entendo que este posicionamento equivocado só pode ser por orientação do treinador, caso contrário, por que ainda não foram sacados?
3-      os laterais estão sem confiança, pois além de não estarem passando por grande fase técnica, possuem como melhor característica o apoio ao ataque, mas não conseguem fazer pela posição equivocada dos meias, assim se limitam a marcar, o que fazem muito mal, sem dúvidas isto mina a confiança dos jogadores;
4-      falar o que de Fred? Sem sombra na seleção se acomodou. Não é possível que com a experiência que possui, não saber a hora de sair da área para abrir espaço. Mas, mesmo não possuindo a característica de cair pelas pontas, o esquema adotado poda tal possibilidade. Mas quem pensa em Jô como titular? Com certeza nem a mãe dele;
5-        jogada ensaida parece um sonho distante, ultrapassagem de lateral uma miragem, alternativa tática durante o jogo nem pensar. Que inveja do gol da Itália contra a Inglaterra, ou da belíssima falta ensaidada cobrada pelo EUA contra a Bélgica. Só um dúvida, por que porra Neymar tem de cobrar o escanteio, sendo ele o único capaz de fazer algo diferenciado em uma eventual sobra?
6-      por fim, o aspecto psicológico, o sistema família Scolari, grupo fechado ou qual o nome que queira se dar a isto, não está funcionando para transmitir segurança aos jogadores que já entram em frangalho antes do “baba”. Parece que o clima de Fla x Flu reinante no País entre os petistas (que vêem no sucesso da seleção uma esperança de mudar a opinião da população sobre o mal avaliado Governo Dilma) x os anti-petistas (que torcem para o fracasso da seleção para enterrar de vez o atual governo), está chegando ao grupo, só isto pode explicar o descontrole mostrado pelo atual elenco. Não me venham com esta da obrigação de ganhar o título poe estar jogando em casa, pois não me lembro de chororô na seleção da Itália em 1990 ou da Alemanha (que também tinha um time novo, base do atual) em 2006.
Acabo aqui a minha análise, concordando plenamente com a maioria dos brasileiros, o maior problema do time é o meio-de-campo, ou muda ou vamos afundar. A melhor opinião que vi até agora foi a de Juninho Pernambucano, precisamos aproveitar a ausência de Luís Gustavo (até o momento, cumprindo muito bem o seu papel) para mudarmos o esquema com a entrada de Fernandinho, Ramires (Paulinho) e Hernanes no meio-de-campo, assim passaríamos a jogar  no 4,3,2,1, o que permitiria povoar o meio e principalmente dar liberdade para os laterais e meias fazerem o que tem de melhor, municiarem o “cone” Fred

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.