Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

O que esperar do Bahia na Série B (parte 2)

O que esperar do Bahia na Série B (parte 2)


O momento do Bahia na Serie B é preocupante e começa por em cheque o retorno do time para a Série A. Em termos percentuais, o desempenho no segundo turno é inferior a 50%, 5 pontos em 12 disputados, no primeiro turno contra estes mesmos adversários fizemos 10 pontos. Este desempenho é fruto do péssimo futebol praticado pela equipe, jogando sem garra, sem vontade e sem gana de vencer. Se no primeiro turno ganhamos com sobras, mesmo sem Kieza, de Mogi (4x1) e CRB (3x0), agora no segundo, escapamos de ser goleados pelo primeiro, conseguindo um injusto empate; e ganhamos na bacia das almas do segundo, sendo que pelo futebol jogado na etapa final, podíamos ter tomado uma virada histórica, depois de estar ganhando de 2x0.
O time nestes jogos utilizou o mesmo esquema tático, o 433, mas mudou algumas peças, entre elas, o tão questionado Tite, mas ruim com ele, os fatos mostram que pior sem ele. Na lateral direita, se antes convivíamos com os irregulares Tony e Adriano, temos agora o imaturo Hayner, e as seguidas equivocadas improvisações de SS. Na lateral esquerda, trocamos os improdutivos Carlos e Patrick, pela boa promessa, repito promessa, Victor. Concluindo a análise da defesa, pergunto por que não escalar Railan e Ávine?
No meio, mantivemos a base, saiu o antes intocável Tiago Real, sacado do time após pressão da Embaixada BBBMP, entrando o irregular GB Ninho. Os dois titulares que permaneceram, Pittoni e Souza, tiveram uma queda de rendimento absurda, o primeiro errando seguidos passes e complicando lances fáceis; enquanto Ferrugem passeia em campo, ficando estático na direita e errando seguidos chutes a gol. Este é o setor que mais preocupa, pois no esquema de jogo de SS, o meio tem papel fundamental na proteção à zaga, na saída rápida de bola e, por fim, na armação das jogadas para o ataque. O Bahia sempre controlava o jogo, pois trocava passe com eficiência e ficava com a posse da bola. Quanta piora, em dado momento do primeiro tempo do jogo contra o Paraná, ficamos com 28% de posse.
Reconheço que SS andou fazendo alguns testes no setor, inclusive com a mudança para o 442, mas Eduardo, bom somente em bolas paradas, e Rômulo não corresponderam. Quem correspondeu foi Yuri fazendo uma boa proteção, mesmo pecando na saída de bola. Arrisco a dizer que depois das repetidas atuações abaixo da crítica, está na hora de tentarmos um meio mais conservador, que faça o Bahia novamente ter o controle da bola e consequentemente o domínio do jogo, sem expor tanto a defesa, eu escalaria Yuri, como primeiro volante, Pittoni e TR um pouco mais a frente, e daria mais uma chance a Eduardo, jogando centralizado e encostando mais nos atacantes. Formando um losango, entretanto é fundamental que o volante paraguaio e TR se movimentem.
Por fim, o ataque, nesta fase do primeiro turno, era formado por Max, Wesley Safadão, o famoso LG, e Zé Roberto. Max continua o mesmo, muita vontade e correria, mas pouca produtividade; LG e sua empáfia foram para SC, dando lugar a Kieza que vem fazendo uns golzinhos, mas decepcionando no geral; e ZR quando entra de primeira não faz nada, nem corre, nem marca. Aqui também, SS fez uma frustrada tentativa com Super Alex, já comentada em outras oportunidades. 
Vários torcedores clamam por mais oportunidades para Mario, Jacó e João Leonardo, mas entendo que os três deveriam entrar aos poucos, sem o peso da responsabilidade de resolver. Eu manteria Max e Kieza, revezando o primeiro com João Paulo, este moleque tem futuro, e ZR, tem entrado bem na segunda etapa. Super Alex ficaria guardado somente para os momentos da pressão final com bolas alçadas na área.
Faltam 15 jogos, precisamos fazer 26 pontos de 45, nada impossível quando olhamos o nível dos adversários, mas preocupante quando vemos o futebol atual da nossa equipe. Não podemos aceitar nada diferente de 6 pontos nos próximos dois jogos, em casa,s e contra times fracos.
Finalizando, não quero chover no molhado, nem sou adepto da troca constante de técnico, contudo insisto que o Bahia tem um elenco do mesmo nível dos menos piores da Série B, precisando que o comandante faça este time render, o que SS não tem conseguido, infelizmente ou felizmente, a fila anda, e existem profissionais como Silas e Guto Ferreira, lembrados pela galera do BBBMP, disponíveis no mercado, além de Charles. ACORDA MS, O BARCO ESTÁ AFUNDANDO, VOCÊ COMO CAPITÃO TEM DE FAZER ALGO, ALÉM DE TROCAR O TREINADOR, PRECISA REFORÇAR A EQUIPE, TEM DE COBRAR VONTADE E GANA DE VENCER DESTE BANDO DE JOGADORES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.