Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Os números não mentem (segunda parte)

Os números não mentem (segunda parte)


No primeiro post sobre a análise numérica da campanha do Bahia, os números mostravam que se repetisse o desempenho do primeiro turno, subiria com certa tranquilidade, visto que a média para subir é de 63 pontos, e o Esquadrão chegaria aos 67. Por outro lado, também ilustraram a queda de rendimento do time na segunda fase do primeiro turno. Pois bem, mantido o desempenho atual de 54% dos pontos conquistados, o Bahia chegaria somente a 62 pontos, pontuação insuficiente para subir se considerarmos a média histórica.
Neste post, aprofundamos a análise mostrando quantos pontos tinham os 4º colocados e quantos pontos obtiveram no final do campeonato. A esta altura do campeonato, os times que se encontravam em pior situação era o América/RN, em 2006, com 43 pontos, subiu com 61; Sport, em 2011, com 44, subiu com 61; e Figueirense, em 2013, com 43, subiu com 60.  Entretanto, na média, os times tinham 49 pontos, superior a nossa que é de 47, mesma pontuação que o Vice tinha em 2007 quando subiu com 59 pontos, menor pontuação que um time obteve o acesso, bem que poderia ser a segunda, assim a piada estava garantida.

 

O gráfico abaixo mostra que nosso desempenho caiu muito do primeiro turno para cá, contra os mesmos adversários nosso aproveitamento caiu de 60 para 47%, e conhecemos a primeira derrota em casa onde nosso desempenho foi de 100%, passando agora para 61%. Fora de casa, conseguimos piorar o que já era ruim, passamos de pífios 33% para irrisórios 25%. Ou seja, pioramos em todos os aspectos.

 

Voltando a comparar a campanha de 2015 com a de 2010, o Bahia atual ainda leva vantagem no desempenho em casa, são 76% de aproveitamento contra 64%, 12 p.p., no final do primeiro turno era de 22 p.p.. Por outro lado, o desempenho de 2010 fora é bem superior, 48% contra 31%, 17 p.p., praticamente igual à diferença do primeiro turno que era de 18 p.p.. Desempenho global de 56% em 2010, contra 54% agora. Ou seja, nesta altura em 2010, nosso acesso estava mais bem encaminhado. Para subir este ano, o aproveitamento tem de passar para 63%, no primeiro turno conseguimos 56% contra os mesmos adversários. Em nenhuma etapa analisada por este blog o Bahêa atingiu o percentual necessário para o acesso. 
Os matemáticos também pararam de acreditar no Bahia e apresentam % baixos para nossa chance de subir, no Infobola (http://www.infobola.com.br/) estamos com meros 23%; e no chance de gol (http://www.chancedegol.com.br/brb15.htm), um pouco mais otimista, 33,1%.
Ou seja, os números não mentem, o futebol medíocre apresentado em campo começa a ter reflexo nos números, agora o Bahia é mero sexto colocado e continua sem empolgar a torcida que fez a diferença em 2010. Temos de tirar força do fundo de poço, mas está difícil com esta postura da diretoria e da comissão técnica que preferiram culpar o juiz pela derrota no clássico, ao invés de fazer uma necessária mea culpa, encerro com um questionamento será que os milhares de torcedores tricolores estão errados e a cúpula certa, ou será o contrário?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.