Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Os números não mentem

Os números não mentem

A Série B começou a ser disputada por pontos corridos em 2006, de lá para cá foram 9 campeonatos, alguns marcados pelo desequilíbrio total, como em 2008, quando o Gambá acabou com 22 pontos na frente do 4º colocado, o Barueri; e outros um pouco mais equilibrado como o de 2012, quando o campeão Goiás acabou com 7 pontos de frente em relação ao Vice, 4º colocado. Já aqui se ver que a Série B deste ano é bem mais equilibrada, atualmente, a diferença do líder Botafogo para o Bahêa, 4º colocado, é de apenas um ponto. 7 pontos marcam a distância entre o líder e o 9º colocado, Criciúma. O gráfico abaixo mostra o histórico.

Em 2008, o Gambá foi campeão com 85 pontos, maior pontuação alcançada até o momento; já em 2010, ano do último acesso tricolor, o Coxa foi campeão com apenas 71 pontos. Entretanto, como dizem, a Série B tem 4 campeões, assim entre os que ficaram em 4º lugar o que precisou de mais pontos para subir foi o Atlético/GO com 65 pontos, em 2009; e a menor pontuação de acesso foi de 59 pontos com o Vice em 2007. A média para ser campeão foi de 76 pontos, puxada para cima por causa da pontuação do Gambá, uma média mais realista seria de 74; enquanto para subir em 4º, a média foi de 63 pontos.
Este lenga-lenga todo foi apenas para mostrar que apesar do péssimo futebol apresentado, a pontuação e, pasmem, o desempenho do Bahia são suficientes para subir. Projeções mostram que se mantida a performance do 1º turno, o Bahia chegaria a 67 pontos, pontuação mais que folgada para ficar entre os 4. Para ser campeão, o Bahia precisaria fazer 74 pontos, restavam 41 pontos no final do 1º turno, nossa performance teria de passar para 72%, o que acho muito difícil, quando vejo nosso remendo de time em campo.
Comparando com a campanha de 2010 com a do 1º turno de 2015, o Bahia atual leva uma grande vantagem no desempenho em casa, são 85% de aproveitamento contra 63%, 22 p.p.. Por outro lado, o desempenho de 2010 fora é bem superior, 51% contra 33%, 18 p.p.. Desempenho global de 57% em 2010, contra 58% agora.
Por fim, muito se fala que o time de 2010 vinha numa crescente no final do 1º turno, e que o atual vem caindo, isto é fato, comparando a performance da 1ª metade do 1º turno com a 2ª metade, o Esquadrão de 2010 melhorou seu desempenho global em 3 p.p., passando de 53% para 56%; por seu lado, o de 2015 passou de 60% para 56%, o que demonstra uma queda.
Ou seja, os números não mentem, mesmo sem empolgar a pontuação do Bahia é satisfatória, mas falta a este time conquistar a torcida, cada vez mais distante, crítica, impaciente e calada. O Esquadrão de 2015 carece de duas figuras básicas em qualquer time campeão, lembrando na Séria B são 4, um jogador que encarne a torcida em campo, a exemplo de Zé Carlos em 88 e Ávine em 2010; um maestro em campo, o magnífico Paulo Rodrigues em 2008 e Moraes, mesmo com toda limitação, em 2010; e um jogador que puxe a responsabilidade para si, Bobô em 2008 e Jael em 2010.
BBMP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.