Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

quarta-feira, 30 de março de 2016

Time de baba

No último sábado, a galera do meu baba em Brasília fez um jogo contra um time de veteranos. Raramente, fazemos isto, nosso esquema é o tradicional baba 2 gols ou 12 minutos, todos juntos e misturados e vamos lá. Na hora do jogo, improvisamos nosso estilista como treinador e entramos bravamente em campo, no final foi um justo empate de 7x7, com ampla ajuda dos arqueiros. No churrasco pós-jogo, discutimos bastante sobre o desempenho coletivo da "equipe" e sobre o trabalho do nosso treinador. Lógico que fomos bastante críticos, mas  após ver o jogo da seleção da CBF, mudo radicalmente minha opinião, fomos bem, muito bem no sábado, pelo menos tentamos o jogo coletivo, algo impensável no amontoado de Dunga. É triste ver um monte de bons jogadores tão perdido em campo, sem noção alguma de coletividade, apenas na força de vontade e individualidade.


No primeiro tempo, o Brasil jogou exatos 5 minutos, dos 22 aos 27, colocamos uma bola na trave com Ricardo Oliveira, após boa jogada de Willians, o único que se salvou no primeiro tempo, e Fernandinho, lembrando o dos 7x1, e demos mais dois chutes sem grande consequência, mas pelo menos, durante 5 minutos, os jogadores se aproximaram e tentaram fazer algo coletivamente. Fora destes 5 minutos, só tivemos um bom contrataque puxado por Willians, sempre ele, e Douglas Costa, mas pessimamente concluído pelo primeiro.

Enquanto isto, o limitado time do Paraguai, na base do chutão para frente e bumba meu boi na área, levou muito perigo, obrigando Alisson, muito bem no jogo de ontem, a trabalhar bastante, inclusive com uma defesa fantástica. A defesa era uma graça, os laterais perdiam todas, e os zagueiros não cortavam uma, enquanto Luis Gustavo fazia uma falta atrás da outra, algumas totalmente desnecessárias, quando os adversários estavam de costas para o gol, e Fernandinho mais perdido que cego em tiroteio. Do meio para frente era outra porra louquice, Renato Augusto tentava aparecer, mas não armava nada de produtivo; Douglas Costa ficou em Munique, não apareceu para o baba; Willians solitário tentando fazer algo, mas em somente 3 jogadas teve com quem tocar a bola; e RO no velho estilo, esperando a bola que só chegou duas vezes, uma muito bem concluída. 1x0 foi pouco diante do predomínio paraguaio. Por sinal, o gol deles nasceu de um passe errado de Willians para o desatento Fernandinho.

Começa o segundo tempo, Dunga coloca Hulk no lugar de Fernandinho. Hulk foi jogar aberto pela esquerda, enquanto Douglas Costa foi para o meio. O Paraguai, mesmo com o freio de mão puxado, chegou ao segundo, após Santa Cruz ganhar de 3 marcadores e Daniel Alves ficar esperando Mascherano chegar na cobertura e cortar o ataque. 

Com o placar "garantido", eles recuaram e o Brasil ocupou o campo de ataque, destaco que foi de forma desorganizada, sem nenhuma jogada trabalhada, os nossos jogadores se limitavam a ficar tocando a bola de um lado para o outro esperando uma falha da defesa paraguaia, o que veio aos 33 minutos, quando Hulk recebeu livre entre os zagueiros e os volantes, chutou forte para o rebote do goleiro, e a conclusão de Ricardo Oliveira. Antes disso, Dunga já tinha tirado Luis Gustavo e colocado Lucas Lima. 

Willians desapareceu fixo pela direita; Douglas Costa continuou sumido; Renato Augusto tentou desesperadamente fazer o papel de segundo centroavante, mas na meia onde foi escalado não disse a que veio;  Hulk mostrou que é um bom jogador de baba, entrou pela esquerda, mas os dois lances que me lembro dele foram pelo meio, o do gol, e pela direita; e Lucas Lima até tentou armar o time, mas de bom mesmo só um lançamento pessimamente desperdiçado por RO.

Mesmo com esta barafunda, empatamos aos 46 minutos com Daniel Alves, em um belo gol, se livrando do marcador após receber um bom passe de Willians, única jogada digna de nota no segundo tempo. E quase viramos aos 48, em mais um rebote do goleirinho paraguaio. A foto abaixo mostra o único momento que nos comportamos com uma equipe, se bem que lembra mais um time de rugby.



Diante do que aconteceu em campo, o empate foi um resultado muito bom, que nos deixa ainda na briga pela vaga na Copa. Por fim, Dunga regrediu muito de 2010 para cá, quando passou pela primeira vez na seleção, nossa equipe apresentava sérias dificuldades em jogar contra times pequenos, pois não conseguia armar o jogo. Contudo, era muito bom para jogar atrás e sair rápido nos contrataques puxados por kaká e Robinho, agora, mesmo tendo Neymar, Willians e Douglas Costa, jogadores habilidosos e rápidos, não conseguimos puxar um. O que mais assusta é a total incapacidade coletiva da equipe, já são 6 jogos de eliminatórias, alguns de Copa América e vários amistosos, mas o time continua se comportando com o um time de baba, cada um por si e vamos ver no que vai dar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.