Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

quarta-feira, 25 de maio de 2016

A imoralidade da "venda" do mando de campo

Virou rotina no futebol brasileiro a prática de se alterar o mando de campo, a justificativa em geral é econômica, os times alegam que receberam uma proposta vantajosa para jogar em outro estado e que ganharão dinheiro com isto. Em uma análise superficial, este fato parece não ter nada demais, afinal, o mandante faz o que bem entender com seu mando, mas não é bem assim, pois terceiros, times que não estão envolvidos diretamente no jogo, podem e são constantemente prejudicados com esta prática.O problema começa quando as trocas acontecem justamente para um local onde o time "visitante" tem maioria na torcida, o que claramente inverte o papel entre os dois adversários.

Esta prática vem sendo usada no Brasileirão há muito tempo, só para citar dois exemplos antigos. Em 1996, o Bahia, no início do seu interminável calvário, disputava para não cair com o Fluminense/RJ, a última rodada reservava VCB (nosso rival) x Fluminense e Flamengo x Bahia. "Por coincidência", o VCB abriu mão de jogar em SSA e levou seu jogo para o estádio Engenheiro Araripe em Cariacica/ES, terra onde a torcida do tricolor carioca é infinitamente superior a do rival. Resultado, 3x1 para o Pó de Arroz. O Flamengo mandou seu jogo em São Januário, estádio do Vasco, e o Bahia venceu por 1x0 gol de Edmundo.




Em 2001, o Palmeiras jogava contra o Flamengo que corria grande risco de cair para a segunda divisão. Ao invés de jogar no Palestra, o Porco levou o jogo pra Juiz de Fora, cidade mineira dominada pela torcida carioca, e ainda mandou o time de ônibus. Resultado, 2x0 para os cariocas que se livraram do rebaixamento, uma posição acima da zona, caindo o Santinha em seu lugar. Vejam o vídeo do Futpedia sobre o jogo em http://futpedia.globo.com/campeonato/campeonato-brasileiro/2001/12/02/flamengo-2-x-0-palmeiras.

O que mais irrita é que os critérios são claros, mas a interpretação é subjetiva. Ano passado, o Botafogo teve três jogos com mando alterado, ganhou dois e empatou, fazendo 7 pontos (ficou 9 acima do quinto), não vi nenhum time se revoltar contra isto ou a CBF se negar a alterar. Quando o Boa Esporte tentou mandar seu jogo contra o Bahia em Aracaju, nitidamente atitude benéfica para nosso time, os times pernambucanos chiaram com razão e a CBF que já tinha autorizado a mudança, voltou atrás. Ou seja, para o Botafogo pode e para o Bahia não, qual o critério??????.

Por que estou relembrando este passado todo? Apenas para mostrar que na Série B deste ano já começou a imoralidade novamente, ontem, o Vasco veio jogar em Brasília contra o Vila Nova, ganhou de 2x0, e com sua torcida em maioria absoluta no estádio. Não duvido da capacidade técnica e do peso da camisa cruzmaltina, entendo que eles podem ganhar em casa ou fora do Vila ou de qualquer time da B, inclusive do Bahia, mas inegavelmente estas alterações de mando favorecem aos cariocas, pois jogam com maioria no estádio e o time mandante passa a ter rotina de visitante com viagens e diminuição no tempo para treino, além da postura acorvadada em campo.

TRISTE FUTEBOL BRASILEIRO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.