Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

quinta-feira, 30 de junho de 2016

O Bahia é patrimônio imaterial

Excelente texto de um grande amigo de SSA sobre o Bahia e sua incomensurável importância no cenário estadual.

Parabéns, Veiga. Saudações tricolores.


terça-feira, 28 de junho de 2016

Posse de bola é importante, mas o que interessa é bola na rede

O triunfo sobre o Oeste/Audax tirou um peso tão grande das costas que até esqueci de escrever o post. Quando acabou o jogo, fui cuidar das crias, do periquito, jantar, tomar banho e fazer sodoku. Mas, é sempre bom escrever quando o time vence, principalmente depois de 4 sapecadas, posso guardar os palavrões para o baba de sábado.

O que mais me preocupava com relação ao jogo era a reação da torcida do Bahia, justamente indignada e revoltada com a equipe. A preocupação aumentava, pois eu esperava que o Oeste tivesse a posse de bola, o que de fato aconteceu (foram 599 passes do Oeste contra 294 do Bahia), este fato poderia impacientar ainda mais a nação tricolor. Contudo, o gol de HB logo aos 13 minutos, e o improdutivo toque de bola deles, o goleiro foi um dos jogadores mais acionados, deixaram a torcida tricolor mais calma, e o primeiro tempo transcorreu favorável ao Bahia, pois apesar da bola ficar com o adversário, Lomba foi um mero espectador, o Oeste só foi chegar após os 40 minutos numa cabeçada.

A Marcelo o que é de Marcelo

Depois da derrota para o Brasil de Pelotas, todas as metralhadoras da torcida tricolor foram direcionadas para a direção do clube, em especial, seu Presidente Marcelo Santana. Melhor assim, temos de atacar as causas e não as consequências, porém discordo do tom de vários destes protestos, alguns tratavam apenas de questões de cunho pessoal de MS, outros eram apenas xingamentos gratuitos, e outros pregavam a violência, típicos protestos que não levam a lugar nenhum, apenas tumultuam mais o já caótico ambiente tricolor. Por outro lado, a maioria dos protestos cobravam uma postura mais firme dos torcedores, em especial dos sócios e conselheiros, sobre a direção, estes sim têm todo meu apoio.

sábado, 25 de junho de 2016

Triste Bahia, quanta incompetência: 0 em 12

Aroldo entrou com um time ofensivo, trouxe Danilo Pires para a lateral direita e, lá na frente, entrou com Cajá, Régis, Luisinho e Thiago Ribeiro. Esta armação surpreendeu o Brasil, e o Bahia chegou 4 ou 5 vezes antes dos 20 minutos, sendo 3 com Luisinho, em duas delas, chegou perto de marcar.

Porém, paramos aí, no restante do primeiro tempo, o time xavante aproveitou de sua maior força física e passou a dominar o jogo, contudo não foi capaz de assustar Lomba. Destaco que o gramado parecia uma pista de gelo, os jogadores encontravam dificuldade para permanecer em pé.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Toda casa da mãe Joana precisa de um bode expiatório

Quem nunca ouviu ou usou as expressões "testa de ferro", "tirar o cavalinho da chuva", "o pão que o diabo amassou", "a cobra vai fumar", "com a boca na botija", ou "falar pelos cotovelos"? São expressões largamente usadas no dia-a-dia por toda a população mesmo sem saber seu verdadeiro significado ou origem, mas sempre estamos recorrendo às mesmas para definir situações corriqueiras. 

terça-feira, 21 de junho de 2016

Bahia, um barco a deriva


Já diz o famoso fado português "navegar é preciso, viver não é preciso". Por isto, uma jornada de navio conta com toda uma programação prévia, com equipamentos e GPS que ajudam na navegação e mostram o rumo a ser seguido, e sobretudo de um capitão capaz de controlar e orientar a equipe da embarcação. Assim, deveria ser também a programação de uma equipe do porte do Bahia para a disputa de um campeonato, mas pelo que vemos, o tão propalado planejamento tricolor ainda não chegou ao futebol, continuamos com a imprecisão dos passes de um bêbado, 1 para frente, 2 para trás, não chegando a lugar nenhum, enfim somos um barco a deriva.

Se eu escrevesse tudo que estou com vontade, tenho certeza que o administrador do blogger expulsaria o Sobahea do seu domínio. Por isto, vou falar na língua das siglas, VSF, PQP, VTNC a direção e o elenco tricolor. O time precisou tomar dois gols do limitadíssimo Tupi para poder demonstrar vontade de jogar, na maior parte do tempo, o Bahia foi um time sem alma, raça, garra e gana, time de moleques para dizer o mínimo. Vou passar o post falando do jogo, pois se fosse falar como torcedor que sou, ia escrever muita merda, é melhor então evitar. 

Os números dentro de campo

Continuando no âmbito dos números, vamos apresentar agora uma sequência de números extraídos do footstats.net para o conjunto da equipe e para alguns jogadores que se destacaram em alguns quesitos.

Vamos começar pela essência do futebol, o passe. Mais do que nunca, é importante qualificar o passe para se manter a posse da bola e o controle do jogo. Neste ponto, variamos boas e más partidas, nossa melhor partida neste quesito foi a primeira quando acertamos 93,3% dos passes, lembro que neste jogo o Avaí teve um jogador expulso. Estranhei o fato da nossa partida neste quesito ter sido contra o Goiás, quando tivemos o controle total do jogo, acertamos apenas 83% dos passes, índice próximo ao jogo contra o Paraná, 84%, mas neste jogo nossa atuação no primeiro tempo foi bisonha.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

O que dizem os números

O post de hoje vai ser árido para ler, pois trata da pontuação do Bahia no campeonato, porém durante a campanha, vamos apresentar aqui no sobahea um sequência de posts (10ª, 19ª e 29ª rodadas) trazendo uma comparação dos números do tricolor com campanhas dos campeões e 4º colocados nos anos anteriores. Além de comparar a campanha de 2016 com a de 2010, ano do último acesso tricolor.

sábado, 18 de junho de 2016

Um jogo para esquecer num dia inesquecível

Para os torcedores do Bahia que moram em Brasília foi um dia histórico, jamais esqueceremos. De manhã, teve o baba, Zé Carlos jogou e deu show, infelizmente só joguei contra, mas vou por no meu Curriculum Vitae de babeiro que marquei Zé Carlos, verdade é que tentei, mas só a sensação de estar ali do lado, já é suficiente para contar para filhos e netos.

No evento a torcida deu show, local lotado, Zé Carlos e Beijoca reverenciados, como foi bom comemorar um gol do lado destes caras, jamais esqueceremos. Pena que os dois não estavam em campo.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Amanhã é dia do Bahia em Brasília

18/06/2016 não será um dia qualquer em Brasília, será o dia do encontro da Embaixada Bora Bahêa Brasília com seus ídolos Beijoca e Zé Carlos; será um dia de confraternização, de rever velhos e fazer novos amigos; de assistirmos e torcermos juntos pelo Esquadrão; dia de ajudar a quem necessita com doação, ação que já começou hoje, dia 17/06, com a doação de sangue por vários membros da EBBB; será um momento para se associar ao Esquadrão; será um dia de bater baba, suar para aumentar e sede e marcar gols; será um dia de ouvir música baiana, comer acarajé, caruru e beber uma relembrando os velhos tempos de SSA e do Bahia com os colegas. Enfim, será um dia tricolor, um dia de festa, um dia para celebrar amigos, o BAHIA e a vida.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Jogo quente no frio catarinense

Tem uma máxima que sempre ouço em luta de boxe entre pesos pesados, "quando o adversário sentir, parta para cima e termine a luta". Pois é, esquecemos de aplicar este ensinamento hoje e entramos numa fria no inverno do sul.

O Bahia entrou com o mesmo esquema que vinha dando certo, 4-4-2, com Moisés no lugar de João Paulo, e Thiago Ribeiro no lugar de Luisinho. Confesso que entraria no 4-5-1, com Régis no lugar de ThR, mas reconheço que o esquema armado por Doriva funcionou e o Bahia foi melhor a maior parte do jogo. 

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Ô, ô, ô, ô, nada mudou

Quando o Brasil ganhou de 7x1 do poderoso e inexpressivo Haiti, pensei em escrever um post sobre o que tinha mudado entre os dois 7x1. Porém, reconheço que a preguiça mental para pensar ou escrever qualquer coisa sobre a seleção foi mais forte e desisti. A preguiça e a indiferença estão tamanhas, que não consegui assisti mais do que um tempo dos últimos 4 jogos do time da CBF.

O resultado de ontem, a derrota para o Peru, só ratifica o título deste post e o que eu pensava escrever, NADA MUDOU, continuamos um bando sem nenhuma organização em campo e fora dele. Vou levantar somente alguns pontos pra refletirmos:

sábado, 11 de junho de 2016

Feijão está caro pra porra

Ontem, eu não vi o jogo, por isto estava decidido a não escrever nenhum post, mas quando recebi pelo zap a foto de Feijão que ilustra este texto, vi que tinha de registrar este momento aqui no sobahea.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Destaques: Goiás 0 x 2 Bahia

Quem acumulou? Tecnicamente, não foi um bom jogo, o Bahia se limitou a cozinhar o Periquito, enquanto o este esperneava, mas não encontrava forças para pressionar o Esquadrão, tanto que os poucos lances de ataque do time esmeraldino foram em lances isolados e sem grandes consequências. Com isto, a partida não teve nenhum jogador que tenha se destacado individualmente, com grandes jogadas e lances de efeito. É certo que Cajá fez um bonito gol, mas pouco armou a equipe tricolor, Lomba fez boas e seguras defesas, Jackson mais uma vez foi seguro, e Thiago Ribeiro novamente entrou bem. 

Três pontos no ritmo baiano de ser

Enfrentar o Esmeraldino no Serra Dourada sempre foi um pesadelo para o Bahia, já fizemos partidas inesquecíveis como o 4x4 pela Série B de 1999, entretanto nunca tínhamos vencido um jogo oficial em Goiânia. Apesar disto, fiquei na seca para ir, mas desta vez não consegui descer com a galera, a festa sempre é boa, imagina com um triunfo inédito e sobre um dos "favoritos" da Série B.

Como no post do jogo contra o Papão, vou começar falando do adversário, nunca vi um Goiás tão fraco, o time é muito, muito ruim mesmo, para quem já teve Fernandão, Túlio, Danilo, Josué, Valter, e Tiago Mendes deve ser desesperador ver este bando que jogou hoje em campo. Entretanto, isto é problema deles, recuperamos os dois pontos perdidos contra o Timbu na Fonte, isto é que importa.

domingo, 5 de junho de 2016

Rápido e Caceteiro (10): Pitacos sobre as notícias do Bahia

Normalmente, no dia seguinte ao jogo do Bahia, publico o post com os destaques da partida. Entretanto, como quero dar uns pitacos em outros assuntos, vou estender um pouco mais este post.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Papamos o Papão

Hoje, a bola resolveu entrar e ganhamos o jogo com o folgado placar de 3x0, entretanto o resultado não demonstra o que foi o jogo, em especial no primeiro tempo.

Porém desta vez, mais que criticar a apatia e falta de criatividade do Bahia na etapa Inicial, prefiro elogiar a postura do Paysandu. O Bahia até que tentou pressionar a saída deles, mas não conseguia porque o posicionamento da linha defensiva do Papão não permitia, destaco que os dois zagueiros ficavam afastados dificultando o papel de Hernane na marcação da saída de bola, ademais os meias também se apresentavam, em suma, não conseguimos impor a mesma pressão que fizemos no Timbu.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

O que os números mostram

Nem vou tecer comentários, a intenção deste post é só passar um panorama dos números do Bahia no campeonato. Todos os gráficos foram obtidos no site footstas.net. Não resisti, alguns números são preocupantes, em especial o de lançamentos, não há necessidade de se lançar tanto a bola durante o jogo, e o de cruzamentos errados.


Acho que já deu para Doriva

O maior patrimônio e a maior força do Bahia é a sua apaixonada e vibrante torcida. Com ela ao seu lado, o Tricolor conseguiu títulos inesquecíveis como os Baianos de 81 e 94, foi quase imbatível na Fonte Nova como em 88 e 90, e fez campanhas memoráveis com time e elenco limitados como em 85 e 2010. Ou seja, com a Nação ao seu lado, o Bahia é poderoso e quase invencível em casa; sem a Nação ao seu lado, o Bahia se torna um time comum e suas fragilidades ficam evidentes. Não por acaso o clube lançou a campanha #juntosvoltaremos, reconhecendo o que sempre defendi neste blog, mesmo quando critiquei duramente a postura da nossa torcida me tornando persona não grata na ABC (leiam: http://www.sobahea.net/2016/03/o-insuportavel-pessimismo-da-torcida-do.html e http://www.sobahea.net/2016/04/ha-razoes-para-reclamarmos-tanto-do.html), em suma o Bahia só voltará para a Série A se a massa tricolor estiver ao seu lado.