Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sábado, 11 de junho de 2016

Feijão está caro pra porra

Ontem, eu não vi o jogo, por isto estava decidido a não escrever nenhum post, mas quando recebi pelo zap a foto de Feijão que ilustra este texto, vi que tinha de registrar este momento aqui no sobahea.


Para um fanático da minha estirpe é difícil não assistir aos jogos do Bahia, mas ontem o motivo era mais que justo, meu caçula ia dançar quadrilha na festa junina da escola. Aqui cabe abrir um parênteses, em Brasília não se comemora Santo Antônio, São João ou São Pedro, apenas as respectivas igrejas fazem as homenagens devidas. Porém, durante os meses de Junho e Julho, a cidade é tomada pelas chamadas festas juninas e Julinas. Escolas, igrejas, órgãos públicos, associações e condomínios são responsáveis por milhares de festas recheadas de comidas típicas, canjica, pamonha e tapiocas são obrigatórias,  e com uma salada musical com forró, carimbó e o onipresente sertanejo. Apesar do frio, período bom de visitar e morar em Brasília, a terra do Rock.

Dei meu jeito para acompanhar o jogo, sintonizei a Sociedade pela Internet do celular, e no intervalo entre uma quadrilha e outra, ouvia o jogo, claro, quando o sinal não caía. Assim acompanhei o primeiro tempo. No intervalo, já estava no carro e ouvi a profecia do comentarista que vaticinou que o Bahia marcaria um gol até os 10 minutos. E não é que o sacana acertou, estava preso no engarrafamento da EPTG, nossa Paralela, quando Feijão brocou.



Fugi do engarrafamento, deixei a primogênita no acampamento da escola e fui a mil para casa. No caminho ainda vibrei com o gol do Brocador. Quando liguei a TV, a torcida estava em festa, pensei que tinha acabado o jogo, mas a massa tricolor comemorava o gol de Régis.  Só vi ao vivo a expulsão de Neto Baiano, mala como sempre.

Além da rádio, acompanhei o jogo pelos 3 grupos de torcedores que faço parte no zap. Deu para perceber que o Bahia dominou a etapa inicial, mas que boa parte da torcida temia que se repetisse o jogo do Náutico; que a maioria desaprovou a entrada de Moisés, o que discordo, pois o Bahia já ganhava e estava com uma formação extremamente ofensiva em campo, então era prudente reforçar o meio-campo ao invés de por mais um atacante; e a felicidade geral no final. Os cornetas sumiram, tomaram doril.

Voltando ao início do texto, eu já estava de saco cheio de tanto ouvir falar de feijão está semana, afinal de contas nosso tradicional alimento passou e muito dos R$ 10,00/kg. Mas, se vier acompanhado de uma bicicleta, beleza. Quando vi a foto do nosso Feijão, com o tradicional riso aberto, mostrando a dentadura de ponta a ponta, imaginei logo o que se passava na cabeça do moleque, de jogador descartável no início da temporada a ídolo maior da torcida em 6 meses. Fico feliz, pois parte da Nação e da imprensa só lembrava do Feijão azedo que voltou do Flamídia, mas poucos se lembravam do moleque aguerrido que surgiu bem em 2013, botando Fahel no banco. Para quem não se lembra Feijão foi o autor do gol mil do Bahia em nacionais. Por isto, sempre defendi sua volta e esperava que ele se daria bem no esquema do nosso treinador.

Outro aspecto que me chamou atenção na foto foi a mão na cabeça, atitude típica de quem ainda não acredita no que acabou de fazer, cara de "que porra foi esta que eu fiz?". A comemoração do gol pelos demais jogadores mostra como nosso volante é querido entre os colegas, alguém lembra de outro gol recente comemorado pelo banco daquela forma? Segundo um colega que estava em Pituaço, a torcida foi ao delírio, ratificando o papel de ídolo de Feijão.

Encerrando, quem lê o blog desde o início deve se lembrar que sempre cobrei no time de 2015 um jogador identificado com a torcida,  um torcedor em campo, papel de Ávine em 2010, agora não tenho mais dúvidas, FEIJÃO é este cara para o acesso em 2016. O time está encaixando, os novos contratados justificaram o investimento e o time cresceu, só falta melhorar a relação da Nação com Doriva, isto acontecendo, em 2017 estaremos brilhando na Série A.

#juntovoltaremos
 VAMOS SUBIR ESQUADRÃO

4 comentários:

  1. Confiram a entrevista de Feijão seguindo o link:

    http://www.correio24horas.com.br/single-esporte/noticia/autor-de-um-golaco-de-bicicleta-contra-o-crb-o-volante-feijao-bateu-um-papo-com-o-correio-confira/?cHash=0f450e953e113f3139df931b239d71f7

    Assim não preciso nem fazer meu comentário sobre Doriva, porque Feijão já disse tudo, e o torcedor demonstrou nos dois últimos jogos que naquele jogo contra o Náutico houve exagero de alguns... vou continuar sim, criticando a diretoria pela falta de apoio ao treinador junto à imprensa (talvez resolvam fazer isso quando assumirmos a liderança).

    Mas postei aqui não apenas para homenagear nosso herói e falar de Doriva, como também para chamar a atenção para uma situação inusitada: No final do jogo contra o CRB Feijão deu uma entrevista (ainda com o sangue quente) e resumindo disse sobre o gol:

    ‘Nem era para estar ali, fui gaiato’

    Esse é o nosso Feijão. Sinceridade é com ele mesmo. No início do segundo tempo o Esquadrão voltou procurando o gol num ritmo alucinante... leiam esta narração dos lances que ocorrem no minuto anterior ao gol do Bahia:

    Juninho domina uma bola na direita e vira todo o jogo (virou mal, a bola sai pela lateral).. o CRB cobra rápido para tentar o contra ataque mas João Paulo divide e a bola sobra para... JUNINHO??? Isso mesmo, Juninho no lance lá do lado direito (como se movimenta o time de Doriva), mas ele pegou a bola e deu um passe errado.

    O CRB voltou à carga e Juninho voltou para ajudar a defesa.., no decorrer do lance Feijão cortou a bola e ligou o contra ataque. Como Juninho ficou (exausto), Feijão se mandou sozinho, mas perdeu novamente a bola já no campo de ataque... nessa hora ele olhou para trás e viu (o incansável) Juninho chegando para dar combate ao meia do CRB e... esperou!! Isso mesmo, AGUARDOU friamente a dividida...

    (esse momento deve ter durado muito menos que um segundo, mas Pituaçu calou... no meu caso, gelou também... ficou desenhado o gol do CRB no contragolpe, e cheguei a imaginar as manchetes crucificando nosso xodó no dia seguinte)

    ...mas Juninho ainda teve fôlego para dividir com raça e a bola sobrou para Cajá que dominou e avançou pala esquerda... Feijão (que já estava por ali mesmo) se mandou para dentro da área e acabou fazendo o gol (fiquei na dúvida se foi de canela, de bicicleta ou os dois, mas tenho certeza que foi um golAço).

    H A J A C O R A Ç Ã O . . . B O R A B A H Ê A ! ! !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Popó,

      A sinceridade e simplicidade de Feijão ajudam muito para ele conquistar o torcedor, espero que o sucesso não suba à cabeça, e ele continue com o pé no chão.

      Como vc descreveu, o lance do gol foi repleto de luta, é com este espírito que os caras precisam disputar cada lance, só assim, chegamos no acesso. Juninho vem desempenhando bem o papel de segundo volante ao lado de Feijão.

      Abraços,

      Miguel

      Excluir
  2. Miguel,

    Estou gostando da postura defensiva do Bahia. Não estamos passando mais os sustos de outrora. Acredito que a mudança tática com a saída de um atacante, reforçou o meio de campo e deu mais estabilidade ao time. Aliado a isso, o trabalho defensivo dos nossos laterais, principalmente de Tinga, tem exposto menos a nossa linha de defesa. Faz 3 jogos que não tomamos gol e isto demonstra que Doriva está encontrando a formação ideal do meio para trás. Os adversários vêm fechados na Fonte Nova e estão encontrando pouco espaço para armar contra-ataques. A minha preocupação é com os reservas, que não estão a altura dos titulares. Na minha opinião, ainda cabe as contratações de um lateral, um zagueiro, um volante com a mesma aplicação de Feijão e um atacante de área. Para a reserva de Lomba, Doriva tem que levar Douglas Pires mais vezes para o banco ou contratar um para fazer sombra à Lomba.

    Os destaques negativos do jogo mais uma vez foram Luizinho e Hernane. Apesar do belo gol, Hernane não está bem. Não sei se há alguma orientação para ele sair tanto da área, mas isto tem prejudicado muito o que ele faz de melhor, que é fazer gol dentro da área. Já Luizinho, eu não crio mais expectativas com ele. É o famoso jogador arame liso. Falta personalidade e estabilidade técnica para ele passar de ser apenas mais um em campo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio José,

      É um alívio ver que nosso sistema defensivo melhorou, principalmente depois do que sofremos no ano passado. Concordo com sua leitura, é o somatório de novos jogadores com uma nova postura em campo.

      Sobre Hernane, só a chegada de um reserva para fazer ele recuperar a gana. Acho que deve ser orientação do treinador ele sair da área, o problema é que Luisinho não aproveita o espaço criado.

      Abraços,

      Miguel

      Excluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.