Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 21 de junho de 2016

Os números dentro de campo

Continuando no âmbito dos números, vamos apresentar agora uma sequência de números extraídos do footstats.net para o conjunto da equipe e para alguns jogadores que se destacaram em alguns quesitos.

Vamos começar pela essência do futebol, o passe. Mais do que nunca, é importante qualificar o passe para se manter a posse da bola e o controle do jogo. Neste ponto, variamos boas e más partidas, nossa melhor partida neste quesito foi a primeira quando acertamos 93,3% dos passes, lembro que neste jogo o Avaí teve um jogador expulso. Estranhei o fato da nossa partida neste quesito ter sido contra o Goiás, quando tivemos o controle total do jogo, acertamos apenas 83% dos passes, índice próximo ao jogo contra o Paraná, 84%, mas neste jogo nossa atuação no primeiro tempo foi bisonha.


O grande problema desse indicador é que o passe improdutivo para o lado ou para trás, vale mesmo que uma assistência para gol, mesmo assim, é um bom termômetro da atuação do time, não a toa a derrota para o Joinvile e o empate com o Paraná estão entre os 3 jogos que mais erramos passes. Juninho foi o jogador que mais acertou passe, 424, e Tinga o que mais errou com 55, nenhuma surpresa para quem acompanha os jogos do Bahia.


Outro fundamento importante no futebol é o cruzamento, visto ser o lado o caminho mais próximo para se chegar ao gol. Nem precisava do gráfico, é consenso entre os torcedores que nossos laterais não sabem cruzar, ou a bola vai rasteira no pé do zaga, ou voa por cima dos atacantes saindo pela linha de fundo ou dos lados. Contra o Payssandu, apesar do triunfo, erramos 96% dos cruzamentos tentados, na mesma versus o Londrina fomos de uma ruindade impressionante só acertamos 4 de 43 cruzamentos tentados, o que representa bem o resultado do jogo.

João Paulo acertou 12 cruzamentos, sendo o que mais acertou, Tinga errou impressionantes 39 cruzamentos (acertou 10), seguido de Juninho com 37.


 A finalização a gol foi outro fundamento bastante criticado pela torcida neste início de Série B. De fato, precisamos acertar o pé e a cabeça na hora de concluir os lances. Em 6 das 10 partidas erramos mais do que acertamos, contra o Avaí então foi brincadeira de mal gosto. Para piorar, este indicador tem um grande problema, pois mesmo uma traque de salão em cima do goleiro, mas que vá na direção gol, é considerada certa, se não fosse assim, nossos números seriam ainda piores. Juninho é nosso melhor jogador com 12 certas, mas 15 erradas. Por sua vez, nosso matador, apesar dos 4 gols, acertou apenas 8 e errou 17, números próximos ao de Danilo Pires.


Vejam o mapa do gol de Juninho.


Feijão é o xodó da torcida, Hernane a esperança de gol, Thiago Ribeiro a decepção, Danilo Pires o pulmão, e Cajá o tão sonhado 10, mas os números mostram que o melhor jogador do Bahia no campeonato tem sido Juninho, o footstats.net elabora um índice, infelizmente não disponibilizam o cálculo do mesmo no site, e nosso segundo volante está em terceiro com 100,28 pontos, atrás de Nenê do Vasco com 148,18 e Rafael Pereira do Náutico com 101,35. Mesmo sem saber como se calcula este índice, entendo que o mesmo representa bem o craque do campeonato, sem dúvida o 10 do Vasco, e o melhor do Bahia, Juninho tem sido o jogador mais regular do Bahia e em muitas partidas, como a do último, o melhor em campo.
 
Por fim, antes que vcs descubram que sou engenheiro e parem de ler o blog, me chamou atenção que os números de João Paulo são melhores do que os de Moisés.  

Enfim, os números dentro de campo são um fiel retrato da pontuação na tabela do campeonato, ou seja time irregular e com falhas em vários dos fundamentos essenciais no futebol. Entendo que o post foi um pouco longo, mas a riqueza de informações que se tem no footstats.net nos desafia a tentar explicar o que acontece por meio dos números, mania de engenheiro, mas para quem gosta e é cartoleiro indico o site, riqueza ímpar de informações estatísticas.

Um comentário:

  1. Miguel,

    Você está fazendo o trabalho que deveria ser feito pela comissão técnica do Bahia. Um análise de desempenho rica de informações sobre o rendimento técnico dos jogadores, mas parece que ninguém tem conhecimento pelas bandas do Fazendão.

    Os números mostram o verdadeiro motivo do Bahia não ter um time confiável em campo ainda. Como é que um time que ambiciona o acesso pode pecar tanto em fundamentos básicos? Deficiência técnica, falta de treino específico, má fase?

    Eu gostaria de ver um técnico no Bahia que implantasse o treino por setor. Assim como tem preparador de goleiros, seria interessante ter assistentes técnicos especializados em determinadas posições, em especial zagueiros, laterais e atacantes. Acredito que o elenco trabalharia melhor as deficiências e qualidades, e o técnico se preocuparia mais com a parte tática do time.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.