Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Papamos o Papão

Hoje, a bola resolveu entrar e ganhamos o jogo com o folgado placar de 3x0, entretanto o resultado não demonstra o que foi o jogo, em especial no primeiro tempo.

Porém desta vez, mais que criticar a apatia e falta de criatividade do Bahia na etapa Inicial, prefiro elogiar a postura do Paysandu. O Bahia até que tentou pressionar a saída deles, mas não conseguia porque o posicionamento da linha defensiva do Papão não permitia, destaco que os dois zagueiros ficavam afastados dificultando o papel de Hernane na marcação da saída de bola, ademais os meias também se apresentavam, em suma, não conseguimos impor a mesma pressão que fizemos no Timbu.


Quando o Bahia estava com a posse da bola, o Paysandu marcava adiantado, deixando apenas nossos dois zagueiros livres, Alexsandro, de triste lembrança, marcava nossos volantes, e os meias deles não deram espaço aos nossos.

O Papão mostrou que é muito frágil na criação, o principal lance de perigo foi culpa de uma trapalhada da dupla Lomba e Lucas Fonseca. No último suspiro, o meia deles concluiu da entrada da área para fora, assustando Lomba.

Como já disse, o Bahia teve muita dificuldade para tocar a bola e rodar o time no ataque, apenas Edigar Junio, em lances individuais, tentava criar alguma coisa, mas sem sucesso. Nosso lado direito estava apagado, mas foi justamente por lá que criamos nossas chances de gol. Na primeira, Cajá fez um excelente lançamento para HB, mas nosso 9, de forma displicente, mal raspou a cabeça na bola e perdeu o gol. Na segunda, saiu o gol, Hayner, insiste em mostrar que Tinga tem de ser o titular, levantou a bola na área, a zaga tocou para trás, e a bola foi na direção de Danilo Pires que fez um golaço de meia bicicleta, a famosa puxeta. Nada mais aconteceu digno de nota na etapa inicial.



O Bahia voltou com Luisinho no lugar de EJ que saiu contundido. Continuamos com a mesma dificuldade na criação. A diferença para a primeira etapa foi que o Papão resolveu sair, era evidente que Régis tinha de estrear, uma vez que Cajá, nitidamente fora de forma, não seria capaz de puxar o contrataque. Substituição realizada acertadamente por Doriva, no primeiro lance que participou, Régis se antecipou ao goleiro e sofreu pênalti, para facilitar ainda mais nossa vida, o goleiro foi expulso. HB voltou a brocar.

Doriva poupou HB e colocou Thiago Ribeiro, o que um banco não faz, ThR entrou ligado, aproveitando bem os espaços nas costas dos zagueiros, em um dos lances, deixou Régis na cara do gol, bisonhamente desperdiçado. No outro, o próprio ThR desperdiçou batendo em cima do goleiro.

Ainda chegamos ao terceiro em um pênalti sofrido por Luisinho, após bom passe de Régis, já caiu na graça da torcida. 3x0 e fatura liquidada.

Em suma, merecemos o triunfo, mas os 3x0 foram exagerados, e eu com isto? Eu quero é gritar Brocamos, Bora Bahêa, Minha Porra. Espero que o bom resultado traga paz e confiança  ao conjunto Tricolor.

Um comentário:

  1. Acredito que o melhor esquema de jogo para o Bahia seja o 442, porém nesta situação, é preciso ajustar o posicionamento dos meias de forma a apoiar os laterais, fazer as ultrapassagens necessárias buscando a linha de fundo!
    O Bahia força muito as jogadas pelo meio ficando o jogo muito previsível! O Danilo Pires precisa abrir mais...joga muito afunilando, com isso fica dificil pro lateral avançar na boa! Apesar de que os nossos laterais não são bons!

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.