Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 28 de junho de 2016

Posse de bola é importante, mas o que interessa é bola na rede

O triunfo sobre o Oeste/Audax tirou um peso tão grande das costas que até esqueci de escrever o post. Quando acabou o jogo, fui cuidar das crias, do periquito, jantar, tomar banho e fazer sodoku. Mas, é sempre bom escrever quando o time vence, principalmente depois de 4 sapecadas, posso guardar os palavrões para o baba de sábado.

O que mais me preocupava com relação ao jogo era a reação da torcida do Bahia, justamente indignada e revoltada com a equipe. A preocupação aumentava, pois eu esperava que o Oeste tivesse a posse de bola, o que de fato aconteceu (foram 599 passes do Oeste contra 294 do Bahia), este fato poderia impacientar ainda mais a nação tricolor. Contudo, o gol de HB logo aos 13 minutos, e o improdutivo toque de bola deles, o goleiro foi um dos jogadores mais acionados, deixaram a torcida tricolor mais calma, e o primeiro tempo transcorreu favorável ao Bahia, pois apesar da bola ficar com o adversário, Lomba foi um mero espectador, o Oeste só foi chegar após os 40 minutos numa cabeçada.


Destaco que o Bahia teve seus méritos, Guto Ferreira postou Danilo Pires, Thiago Ribeiro, Cajá e Hernane adiantados pressionando a saída de bola do Oeste, com isto a bola já chegava espirrada no meio, com o bom posicionamento de Feijão e Gustavo Ninho, a bola sempre sobrava livre para a nossa defesa. Quando tinha a posse da bola, o Bahia jogava de forma aguda com passes sempre na vertical, esta estratégia foi prejudicada com a saída de Cajá para a entrada de Zé Roberto, ThR recuou para armar o time, mas faltou caguete, e GB é jogador de passes curtos, diferente do titular Juninho. Mesmo assim, chegamos bem em algumas oportunidades, em duas DP errou o cruzamento, na outra Hayner fez uma boa jogada, mas HB foi travado na hora do chute; em um bola espirrada, GB chutou na defesa; e na última chance do primeiro tempo, Feijão lançou bem ThR que devolveu com açúcar e afeto, porém nosso volante isolou a pelota. 

O lance do gol foi de pura esperteza e sagacidade de Hayner e HB, o primeiro cobrou de forma rápida um lateral da intermediária direto para a área adversária, e o Brocador teve a visão e a classe necessária para tocar de primeira encobrindo o goleiro, belo gol.



Bom primeiro tempo, eles com a bola, e nós com a vantagem e as chances de gol.

Na etapa final, o Oeste voltou tocando a bola de forma mais produtiva e no campo de ataque, criaram logo de cara duas belas chances, a última com a colaboração de Lomba. Quando o empate era eminente, o Bahia saiu no contrataque e HB rolou para ZR, nulo até aquele momento no jogo, e o garoto da base não desperdiçou, marcando o segundo gol tricolor. O Oeste sentiu e puxou o freio de mão, o Bahia passou a ficar um pouco mais com a bola, mas criava pouco. Quando o jogo já estava entrando no ritmo tranquilo que favorecia o tricolor, Jackson falha no corte e a bola sobra para o ponta do Oeste que é puxado por DP, pênalti para os caras. Contudo, no time do professor Diniz é proibido lançar, pelo jeito bater forte na bola também, Ricardo Bueno deu um totozinho no meio e Lomba defendeu com os pés. Depois, foi só esperar o juiz apitar pela última vez.

Por fim, destaco que não entendi a entrada de João Paulo Penha no lugar de DP, mas reconheço que JPP ajudou bem Hayner na marcação; Paulo Roberto enfim entrou bem e ajudou muito Feijão na entrada da área; e tenho de tirar o chapéu para o trio Hayner, Lucas Fonseca e João Paulo, foram muito bem na parte defensiva, não deram os moles de costume.

Espero que este triunfo recoloque o Bahia nos trilhos do acesso. BBMP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.