Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

domingo, 5 de junho de 2016

Rápido e Caceteiro (10): Pitacos sobre as notícias do Bahia

Normalmente, no dia seguinte ao jogo do Bahia, publico o post com os destaques da partida. Entretanto, como quero dar uns pitacos em outros assuntos, vou estender um pouco mais este post.



Quem acumulou? Sem dúvidas, Régis foi o grande destaque, reconheço e aplaudo a grande atuação de Jackson, este sim um zagueiro seguro, antecipa e se coloca bem em campo, e tem qualidade na saída de bola; Feijão foi outro que comeu a bola e os meias do Papão, não perdeu uma dividida e ainda acertou bons passes; Danilo Pires, com seu golaço que abriu a poporteira, também merece ser citado.  Mas, estrear com a personalidade, participação e rendimento de Régis, é para poucos. Sofreu pênalti, puxou contrataque, tabelou, perdeu um gol incrível e teve coragem de logo depois por a bola na marca da cal e dá números finais ao confronto. Que não seja tesão de estreia, continuando no nível de ontem, será muito útil ao time.



Quem ficou devendo? Nosso lado direito da defesa formado por Hayner e Lucas Fonseca deixou a desejar, o adversário é que não soube aproveitar a atuação irregular dos dois. LF foi inseguro o jogo todo, em poucos lances senti firmeza no nosso central, e ainda foi responsável pela braga que proporcionou a melhor chance dos caras no primeiro tempo. Hayner insiste em desperdiçar todas as chances que tem no time titular. Ontem, até que não comprometeu na defesa, mas no ataque matou o torcedor de raiva, como errou fundamentos de matada de bola, passes e cruzamentos. Gosto da política de valorização da base, mas odeio precipitação, colocar Hayner no time titular só está servindo para queimar o promissor garoto, o mesmo erro que cometemos com Madson.

A saída de Henrique. É difícil falar da saída de quem não veio, o moleque é veloz, esforçado, mas não conseguiu produzir nada nas oportunidades que teve. Apesar disto, entrou para a história do Bahia, durante anos lembraremos do atropelamento que ele sofreu de Amaral na final do Baiano, solenemente ignorada pelo soprador de apito.

O empréstimo de Rômulo. Sei que a maioria vai discordar da minha opinião, posso até perder alguns leitores, mas entendo ser totalmente equivocada a saída de Rômulo, a quem já tratei várias vezes aqui como Romulesma. Explico, Rômulo é um jogador habilidoso, com boa visão de jogo e bom passe (confiram em:  http://www.sobahea.net/2016/02/o-defeito-de-sempre-e-boas-novidades.html?m=0), entretanto sofre do mesmo problema de 99,9% dos meias canhotos no Brasil, a síndrome da invisibilidade, sumia boa parte do jogo. Outro motivo que me faz defender a permanência de Rômulo é que agora ele teria a oportunidade de se espelhar em um meia de verdade, Cajá. O moleque surgiu no Bahia vendo Rafael Miranda e Fahel na nossa meia cancha, depois conviveu com Souza, Thiago Real e Eduardo Fantasminha, ou seja jogadores que tinham muito pouco a ensinar. Ademais, sempre defendi que o elenco além de qualidade, também precisa de quantidade, Rômulo seria uma boa opção para dar descanso a Cajá em alguns momentos.

Afobação ou maresia. O Bahia, não é de hoje, tem se caracterizado por ser um time que erra muito passe. Mas, noto uma diferença este ano, continuamos errando muitos passes e lançamentos pela  baixa qualidade dos nossos jogadores, mas não por afobação, sinto que o time está mais tranquilo e paciente para dar o bote, no primeiro tempo do jogo de ontem,  isto ficou evidente, diante da boa estratégia defensiva do Paysandu, o Bahia tocava a bola até achar o espaço, infelizmente foram poucos que eles nos proporcionaram nesta etapa. Na segunda, tivemos inteligência e sem afobação e maresia aproveitamos bem os espaços deixados pelo Papão.

Para fechar o elenco. A nossa principal carência hoje é um lateral direito, Tinga e  Hayner ainda não passam segurança para a Nação, prioridade 1 para mim, pode ser também contratado um lateral que jogue nas duas, uma vez que Moisés se machuca muito e JP é de lua. Também precisamos de mais um centroavante, HB precisa urgente de uma sombra, entendo que tem de ser um jogador bom de bola aérea, para que também possa ser utilizado nos eventuais sufocos de fim de jogo. Não contrataria goleiro como pede parte da torcida, e nem zagueiro.

Opções de esquema táticos. Há tempos não vejo o Bahia com um elenco tão diverso do meio para frente. As opções permitirão a nosso treinador utilizar diversos esquemas ofensivos a depender das características do adversário. Agora, só depende de Doriva criar e treinar o time para as diversas situações de jogo que virão pela frente. Não tem mais desculpa para o time não render ofensivamente

4 comentários:

  1. Miguel,

    Entendo que a formação do meio pra frente que começou o jogo da sexta seja que deve ser explorada por Doriva para a sequência do campeonato. Com o tempo e se mantiver o mesmo rendimento da estreia, Regis deverá ganhar a titularidade no lugar de Danilo Pires ou Juninho, ou, ainda, como meia-atacante no lugar de Edgar Junio. Espero que o nosso passe melhore com Régis, Cajá e Juninho e surjam mais opções para os nossos atacantes.

    Concordo contigo que a nossa carência mais urgente, atualmente, é na lateral direita. Entre Hayner e Tinga, eu manteria Tinga como titular, pois, apesar das limitações técnicas, ele tem ajudado defensivamente, inclusive nas bolas aéreas. O ideal é um lateral ambidestro e que tenha o cruzamento como uma das virtudes porque os que temos são péssimos neste fundamento.

    Discordo de ti quanto ao empréstimo de Rômulo. Já vimos muitos jogadores promissores se perderem por acomodação ou por não suportar a carga de ser profissional precocemente. Um grande exemplo que tivemos no Bahia foi Dico Maradona. Foi contratado junto ao Itabuna como uma grande revelação do futebol baiano e nunca explodiu no Bahia. Acho que o empréstimo de Rômulo vai servir para ele abrir os olhos sobre qual o futuro que ele quer como jogador profissional. Vai pra um clube do interior paulista, que deve possuir um certa estrutura física para que Rômulo não involua e enterre a carreira tão cedo.

    A saída de Henrique vem ao encontro do meu ponto de vista sobre o quanto o elenco do Bahia ainda é desequilibrado. Um jogador que apenas servia para compor banco e que jamais foi uma opção para mudar o panorama de uma partida. A sua saída não gerou nenhum comentário a favor da permanência ou que ele teve pouco oportunidade para mostrar futebol.

    Por isso, acredito que para fechar o elenco, nós precisamos de, além das laterais, reforçar com mais um zagueiro, um goleiro e um centroavante. Imagine se, num tremendo azar, perdermos Lomba, Jackson e Hernane de vez, tendo Jean, Robson e Zé Roberto como opções. Da mesma forma que estamos otimistas com a evolução do time titular, vai ser difícil não dar razão aos que irão criticar o decréscimo técnico com a entrada deles. E me incluirei nesta parcela sem pestanejar.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio,

      Mais uma vez, concordamos em quase tudo, espero que o empréstimo de Rômulo traga o amadurecimento do mesmo, vamos ver como ele se sai num time de menor pressão.

      Abraços,

      Miguel

      Excluir
  2. Esse último jogo eu acompanhei no sistema TV (Triple View)... vi o jogo, já saí com a galera pra tomar uma comentando o jogo, e quando cheguei em casa assisti o videotape completo no sportv...

    é nestas horas que percebemos como é difícil ver o jogo na televisão... assim vou dar uns pitacos para contribuir mais um pouquinho com as boas análises apresentadas:

    1. Jackson matou a pau no jogo. Jogou muuitoo... ele e Feijão apareceram no jogo porque estavam sempre bem posicionados, um sempre conferindo a posição do outro;

    2. Sentar naquele banco do Bahia sempre faz bem..., Thiago Ribeiro só faltou virar aquela bola para Luizinho e iria se consagrar independente se fosse gol ou não... isso é o futebol. O Brocador já está merecendo o mesmo remédio, e Zé Roberto jogar... mas será que Doriva tem coragem???

    3. E por falar em Doriva o mesmo merecia declarações de apoio do presidente após ser vaiado pela torcida... o treinador tem se virado sozinho na hora de receber a pressão, mas o que falta no trabalho dele ele não pode fazer: gols... agora, dizer que faltou treinar falta de juninho batendo na trave e quicando na pequena área para estes senhores treinarem cabeçadas ao gol???? Me poupe né....

    4. E concordo com o empréstimo de Rômulo... vai ficar meio sem espaço agora e será mais útil ao Bahia jogando mais frequentemente... pode ser que retorne no ano que vem, para integrar a equipe do esquadrão que irá em busca da terceira estrela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Popó,

      Bem que eu queria está na Fonte também e depois sair para tomar uma. Concordo com vc, Jackson e Feijão foram muito bem mesmo. Quanto ao empréstimo de Rômulo, vamos ver se ele aproveita a oportunidade para se firmar, agora no Braga, ele não terá a pressão da torcida contra.

      Abraços,

      Miguel

      Excluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.