Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A dor e a delícia de ser Bahia

No primeiro semestre deste ano, publiquei um post querendo saber qual a real identidade do time do Bahia, usei como metáfora o famoso livro O médico e o monstro (leia em: http://www.sobahea.net/2016/05/qual-verdadeira-face-do-bahia.html). De lá para cá, já se passaram longos meses, trocentos dias e infinitas horas; trocamos de treinador; substituímos dirigentes; dispensamos atletas; contratamos um caminhão de novos jogadores; contudo o enigma continua, qual o verdadeiro Bahia, o pragmático e eficaz do primeiro tempo contra o Vasco e do jogo com o Avaí, o avassalador e matador das etapas finais contra o Paraná e Goiás, o remendo de time que jogou contra o Papão, o inexpressivo do jogo contra o Náutico, ou o covarde e atabalhoado dos 10 minutos finais contra o CRB?

domingo, 25 de setembro de 2016

Assim fica difícil, Bahia!!!!

Bem galera, vamos começar pelo fim, seria fácil, ou melhor muito fácil, fazer um post culpando Tinga pelo pênalti infantil que originou o primeiro gol dos caras; Jackson por ter subido uma gilete deitada no lance do segundo gol; e Gordiola pelas substituições que descaracterizaram o time. Contudo, seria repetir o mesmo erro que cometemos ao culpar exclusivamente Róbson pela derrota para o Santa na semi da Lampions neste ano; e Jeanzinho pelo homérico peru na final da Champions no ano passado. Lembro quem em ambas partidas, não jogamos nada, nossas principais peças se esconderam, e o esquema tático não funcionou, mas foi mais tranquilo crucificar os moleques, escolhê-los como bodes expiatórios e jogar o resto da sujeira para debaixo do tapete.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Bahia, o Zumbi da Série B

O Bahia jogará nas Alagoas, terra de "três mulé prum homem só", de Zumbi dos Palmares, de Graciliano Ramos, autor de Vidas Secas, e de  Djavan, o compositor das letras incompreensíveis, traduzam o significado desta zorra aí nos comentários "Açaí, guardiã / Zum de besouro um ímã / Branca é a tez da manhã". 

Porém, para quem mora em BSB, mesmo sendo um baiano candango ou um candango baiano, é impossível não lembrar de Djavan quando se vai na Praça dos 3 Poderes para apreciar a bandeira nacional vendo aquele magnifico céu azul como pano de fundo, como diz o criativo poeta "céu de Brasília traço do arquiteto, gosto tanto dela assim". 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Ataque contra defesa

No último sábado, o Bahia teve uma atuação digna do melhor mandante da atual Série B, sufocou o time esmeraldino por boa parte do jogo, em especial no segundo tempo, quando só fui ver Muriel na TV após os 35 do segundo tempo, um verdadeiro treino de ataque x defesa. O mapa de calor do tricolor, obtido no meu.footstats.net, na partida mostra exatamente o jogo que vi, um time presente no campo adversário e com um lado direito extremamente participativo, não por acaso, os 3 gols do segundo tempo saíram por ali, além do pênalti não marcado no brocador na primeira etapa. 

sábado, 17 de setembro de 2016

De alma lavada, Bahia 4 x 2

Depois das apresentações ruins contra Náutico e Paysandu, quando empatamos e perdemos, fazendo 1 ponto em 6, nossa apaixonada torcida merecia um jogo como o de hoje para lavar a alma. Cheguei a temer que a derrota para o Papão afastasse a torcida, mas que nada, durante a semana o que mais li foi o torcedor convocando a massa pelos grupos de zap. A Nação não decepcionou e foi em bom número para a Arena, deu show, vibrou e incentivou, e como o time, teve seus momentos de vacilo ao vaiar Alano no final do primeiro tempo, e Hernane após a perda do pênalti.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Rápido e caceteiro (12)

Os três novos contratados: lembro vagamente de quando Misael surgiu no Ceará e foi muito bem. Depois foi para o Vasco, não repetiu a performance e sumiu do meu radar. Voltei a ouvir falar dele com a contratação pelo Bahia. Logo, recorri ao velho Youtube e assisti os videos promocionais disponíveis, mostra um jogador rápido, com capacidade de jogar nos dois lados de campo e habilidoso. O maior que mostra o tempo de Luverdense tem as melhores jogadas, o mais recente, o do tempo de Red Bull, mostra um jogador ainda veloz e capaz de bons lances. De qualquer forma, Misael vai ser muito mais produtivo do que Alano, não tenho a menor dúvida disto.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Oh Sofrência este Bahia

Ver jogo do Bahia parece assistir show de Pablo, é sofrência do início ao fim. Hoje, terminei o jogo de pé em frente à televisão e roendo unha. Como diz Pablo, a defesa do Bahia foi a culpada por deixar o time em um beco sem saída com duas falhas grotescas que resultaram nos dois gols do Papão. Mas, Hernane e Cajá, se forem homens, precisam negar o rei do arrocha e pedirem perdão à torcida do Bahia, pois o futebol que os dois jogaram hoje foi de despedaçar o coração da galera.

sábado, 10 de setembro de 2016

Empate normal, o Bahia continua na briga

Antes de mais nada, é necessário dizer que empatar com o Náutico na casa deles é um resultado normal. Isto posto, vamos ao que interessa, nós torcedores temos de parar de imaginar um Bahia imbatível que nunca houve, faço parte de 5 grupos do Bahia no zap, e em todos parecia que o Bahia jogaria sozinho sem adversário, que os 3 pontos eram favas contadas, mesmo todos nós sabendo que futebol não é assim, o empate é e sempre foi o resultado mais provável para este jogo.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

O futuro a Deus pertence

Toquinho é sem dúvidas um dos mestres da MPB. Em duas canções pretensamente infantis, ele aborda de forma magistral o futuro, confrontando nossos desejos com as incertezas inerentes ao futuro. Na primeira música, O caderno, ele fala como se fosse o caderno de uma garota, mas quem é pai de menina, o que é meu caso, tenho uma linda e esperta de 13 anos, sabe que ali ele deposita todos os desejos e sonhos da paternidade, quem não gostaria de ser colega, amigo e confidente de sua pequena?

sábado, 3 de setembro de 2016

O Bahia venceu a final

Estou feliz para caralho, ganhamos a final,como disse no post anterior, o triunfo neste jogo traria a torcida, o clima de 2010 voltaria, e ninguém mais para o Bahia. O post demorou, pois estava bebemorando com a galera da Embaixada em Águas Claras, e amanhã, vou receber 3 vascaínos em casa, fui temperar bem as carnes, já que o freguês tem sempre razão.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Bora pra cima Esquadrão

Amanhã é dia de jogão na Fonte Nova, Bahia x Vasco, os únicos dois times que já foram campeões  brasileiros e que se encontram na atual Série B. Jogo para casa cheia, e milhões de torcedores em frente à telinha acompanhando atento os passos dos astros do espetáculo. Para o Bahia é o jogo da afirmação, um triunfo coloca o tricolor de vez na briga e com a moral elevada; um empate não nos tira da briga, mas deixa no tropa de moral baixa; e uma derrota, sai para lá, nos complica muito e deixará elenco e torcedores abatidos.