Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sábado, 29 de outubro de 2016

De arrepiar

O jogo de hoje era uma final, uma derrota em casa significaria o final da temporada, o enterro das chances de subir para a série A, mais um fracasso da gestão MS e a festa para os aproveitadores de plantão. Porém, o Bahia mostrou que dentro de casa com o apoio da Nação nos tornamos invencíveis nesta Série B. Foi um jogo que emocionou e arrepiou o mais cético e indiferente tricolor, se é que isto existe.




O Bahia entrou no seu tradicional 4-2-3-1, tendo a volta de Moisés e a entrada de Renê Júnior. Os 5 primeiros minutos foram de muita disputa no meio, com os dois times marcando forte, tornando o jogo bastante pegado. Contudo, a primeira chance do Bahia, uma cabeçada de Cajá, após cruzamento de Moisés, mudou o jogo. A massa acordou e o Bahia sufocou o Ceará, chegando 4 vezes até os 12 minutos, na melhor oportunidade, Wesley Natã aproveitou a sobra dentro da pequena área, cabeceou, mas o confuso goleiro do Ceará raspou na bola que chocou na trave. O Ceará chegou pela primeira vez aos 13, num ensaio do lance do gol que sairia mais tarde.

Após a pressão inicial do Esquadrão, o jogo esfriou um pouco, o Bahia mantinha o domínio, mas já não pressionava tanto. Aos 27, Eduardo dá mole na marcação, toma um lindo elástico, e o Ceará abre o placar. Contudo, diferente de outros jogos, o Bahia e a torcida não sentiram o gol, o Bahia continuou com o domínio do jogo, e Guto espertamente mudou Wesley Natã e Edigar Junio de lado, a dupla EJ e Eduardo começou a incomodar o lateral deles. 

Aí, veio o lance que despertou os piores pesadelos da torcida Tricolor, o goleiro malucão do Vovô espana mal a bola que sobra para Hernane no lado direito da área, nosso 9, de forma inteligente, bate de primeira para a área, o zagueiro tenta cortar com o peito, para mim foi pênalti, mas a bola sobra na entrada da pequena área livre para WN, mas o galeguinho mostrou toda sua imaturidade, e de forma atabalhoada, isolou a bola. Depois deste lance, várias derrotas recentes na Fonte vieram na minha cabeça e imaginei o pior. O time também sentiu e nada mais fez até o final da primeira etapa.

O Bahia voltou com Victor Rangel no lugar de WN, achei certa a saída de WN, mas não entraria com VR, eu também entraria com Régis no lugar de Renê Júnior, mas ainda bem que não sou o treinador do Bahia, pois tanto VR como RJ foram importantes no segundo  tempo, mais pela raça e disposição do que pela qualidade do futebol. O Bahia continuava melhor, contudo já não tinha tanto espaço, pois o Ceará se fechava bem. Aos 13, HB disputou com a zaga, a bola sobrou para VR, mas o sacripanta do goleiro salvou.

Aos 16, Guto fez a tradicional mudança de Cajá, partida apagada por Régis, um colega que estava no Paraíso do Dendê profetizou, "Régis vai comandar a virada tricolor". Logo aos 18, Régis mostrou seu cartão de  visita, um belo voleio bem  defendido pelo goleiro. O Bahia continuou na pressão, Régis recebe de EJ, mas a zaga põe para fora, após a cobrança de escanteio, Thiago  abre para Régis que põe "com a mão" a bola na cabeça de EJ que empata o jogo.




PQP, o gol enloqueceu a Nação, despertou mais ainda o Bahia, e o Vovô sentiu, a virada era questão de tempo, e veio com Régis, ele mesmo iniciou a jogada, tocou para EJ que enfiou para HB, nosso centroavante de primeira tocou para Régis que deu um toque com o lado de fora do pé esquerdo, virando o jogo. Festa na Fonte e da torcida por todo canto. O Bahia tirou o pé, o Ceará não demonstrou força para incomodar e o jogo entrou numa calmaria que nos interessava. Para sacramentar o triunfo, VR lutou pela esquerda e forçou o zagueiro a fazer um golaço contra por cobertura, desde o início do jogo estava na cara que o goleirinho do  Ceará is tomar um gol assim, passou muito mais tempo fora da pequena área do que dentro.

Nada mais teve que merecesse registro. Foi um Triunfo com T  maiúsculo do Bahia, conseguimos nossa primeira virada no campeonato e mostramos que estamos vivos na luta pelo acesso. Régis mostrou que não pode ser banco deste time, espero que Guto arranje um lugar para ele para o jogo contra o Vila, eu botaria no lugar de WN. Sexta, estarei em Goiânia e vou presenciar o terceiro triunfo tricolor fora de casa.


#JuntosVoltaremos

3 comentários:

  1. Só um detalhe... Guto não estava no banco... quem fez as mudanças foi seu auxiliar tecnico

    ResponderExcluir
  2. Mas por ordem do comandante!

    ResponderExcluir
  3. Muito legal ver que o clima entre a torcida e o time voltou a ser contagiante dentro da Fonte Nova novamente. Apesar de o Ceará não ser o time qualificado de 2015 que tinha Ricardinho, Uillian Correa, Marinho e Magno Alves, eu fiquei apreensivo quando o Bahia tomou o primeiro gol. Na história recente, eu não lembrava de alguma virada do Bahia em jogo dentro ou fora e confesso que temi o pior: o time se desestabilizando, tentando chegar ao empate na doideira e deixando espaços para o Ceará controlar o jogo.

    Felizmente, a minha preocupação foi em vão, pois o time manteve os nervos no lugar e virou o placar na raça e na técnica. Tivemos problemas na criação outra vez em virtude de mais uma atuação abaixo do esperado de Cajá. Acredito que o esquema 4-3-3 adotado tem sobrecarregado Cajá, pois ele é o principal responsável do meio de campo para municiar o ataque. Além disso, os nossos atacantes não têm habilidade suficiente para superar as dificuldades de criação quando Cajá está mal ou é bem marcado pelo adversário. Por sinal, se tem uma posição que houve total desacerto este ano, é a de atacantes. O Bahia contratou diversos atacantes e nenhum emplacou, principalmente os de beirada. Até Hernane está devendo muito na parte de finalização.

    Sexta-feira teremos mais um jogo crucial para o nosso acesso.O Vila nova nunca foi uma pedra no nosso sapato. Até quando perdemos aquela partida bisonha no primeiro turno, eles não demonstraram superioridade em nenhum momento. Ganharam porque estávamos em uma situação bagunçada e qualquer time fazia a festa na gente naquela época. Acredito que temos que reforçar o nosso meio de campo tirando um atacante. Ou entra Régis ou Renê Júnior com o avanço Juninho ou Luiz Antônio. Talvez a entrada de Régis de primeira ainda não seja o ideal ainda, pois poderemos perder um jogador no banco que tem dado outra dinâmica ao jogo quando entra. De qualquer forma, reforçando o meio de campo nós temos grande possibilidade de tomar o controle do jogo e barra o ímpeto do Vila Nova, que já deve ter alguma promessa de premiação por parte de algum concorrente para endurecer o jogo com a gente.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.