Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sexta-feira, 3 de março de 2017

Volta por cima

Um dos ícones da música brasileira é a sambista Beth Carvalho, cantora com bela, afinada e potente voz, além de presença marcante no palco. A Beth de Andanças (me leva amor, por onde for quero ser seu par), Coisinha do Pai (Oh Coisinha tão bonitinha do Pai, vc vale ouro todo meu tesouro) e Vou festejar (chora, não vou ligar, chegou a hora, vai me pagar), imortalizou ainda vários outros sucessos, entre eles Volta por cima (levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima), exatamente o que está acontecendo com o goleiro Jean no Bahia.


Assim como Jean Pai, Jean Filho falhou em um jogo crucial, final da Lampions de 2015 contra o Ceará, de lá para cá, nada que faça ou deixe de fazer apaga da memória do torcedor tricolor o frangaço daquela fatídica noite. Entendo que o brasileiro tem a necessidade de escolher um único culpado para suas derrotas e fracassos, foi assim com Dunga em 90 e Ronaldo em 98, esquecendo que futebol é um jogo coletivo, onde perdem e ganham todos. Para quem não se lembra, mesmo jogando em casa, o Bahia não conseguia penetrar na zaga cearense, com o tempo passando, fomos nos abrindo mais, até vim o fatídico lance do peru de Jeanzinho, ficando este como o único culpado da derrota, assim como Robson em 2016 na semi contra o Santa. 

Depois disto, o moleque comeu dois anos de banco, assistiu os limitados Douglas Pires, Lomba e Muriel no gol tricolor, mas pelo que ouço da direção e comissão técnica do tricolor, não desistiu e continuou se empenhando nos treinos, recebendo em 2017 nova chance. Para mim, o grande erro com Jean foi queimar etapas em 2015, ele era de fato um goleiro promissor, mas não passava disto, por isto foi burrice, para dizer o mínimo, mantê-lo como titular naquele momento, a Direção tricolor se empolgou com as convocações para a Sub-20 e sub-23 e impôs o moleque como titular, resultado, insegurança em quase todos os jogos, falha capital e o, consequente, descrédito da torcida.

Agora em 2017, Jean vem mostrando dentro de campo que merece a chance que está lhe sendo dada, foi muito bem contra o Sergipe, Fortaleza e ontem fez quatro difíceis e importantes defesas, incluindo as do pênalti e rebote. Ouvindo Guto depois do jogo, ele lembrou bem que Jean ainda precisa amadurecer, opinião com a qual concordo plenamente, ontem mesmo em dois lances com os pés, ele tocou na podre para nossos defensores, na primeira Jackson espertamente cedeu o lateral, na segunda Armero se complicou e na sequência do lance Jean defendeu o arremate adversário. 

Enfim, acho que Jean merece pelo menos uma trégua da torcida tricolor, acho que não merece ficar ouvindo a todo momento "não me passa confiança" ou "não é goleiro para o Bahia" (quem seria?), vamos dar um tempo ao moleque, se mostrar capacidade que se eternize no gol tricolor, caso contrário volte para o banco ou seja emprestado, mas vamos parar de infernizar e baixar a bola dele, é f... trabalhar sendo colocado para baixo o tempo todo, a confiança desaparece. Bandeira branca é só o que precisamos nesta hora para que jean desenvolva seu trabalho em paz.



Sobre o jogo, vi o que todos viram, um Bahia com muito volume, pressionando, mas ainda com dificuldades para penetrar na área adversária e criar chances claras de gol, para piorar, de novo, o goleiro do Altos pegava as que aparecia. Mesmo sem criar muito, quero destacar a dupla Zé Rafael e Régis, como já disse aqui, o 4-2-3-1 de Guto em 2017 é diferente do de 2016, por causa das características dos homens de frente, nitidamente ZR não fica aberto pela ponta e o tempo todo procura Régis para tabelar e criar jogadas, foi assim no primeiro gol e em outros lances, desta forma o esquema atual se aproxima mais de um 4-4-2 do que do 4-3-3 do ano passado. Entendo que com o entrosamento cada vez mais afiado desta dupla e com a entrada de Maikon Leite no lugar de Diego Rosa, a bola vai chegar mais vezes e com mais qualidade para o Brocador que ontem mostrou calma e categoria de artilheiro. Ah sim, para os que dizem que não temos elenco, ainda tem Cajá e Alione esperando sua vez de mostrar serviço.

Para encerrar, achei o passe de Armero primoroso no primeiro gol, visão e calma foram fundamentais naquela hora. Éder apesar de todo duro no apoio, vem aproveitando bem as chances e se tornando uma opção real para a lateral, podendo ser importante em jogos que precisarmos de 3 zagueiros altos. E João Paulo teve a noite de sonhos para um moleque da base, um gol e uma assistência, espero que este fato traga confiança e que o Bahia ganhe mais uma opção de ataque, pois ele já mostrou no sub-20 que tem qualidade. No mais, a comemoração em grupo dos gols mostra que o momento interno é bom, que permaneça assim, só o Bahia tem a ganhar com isto.

Nada de euforia, mas não tenho dúvidas que estamos no caminho certo.


2 comentários:

  1. Miguel,

    Eu sou um crítico contumaz de Jeanzinho porque não gosto da forma como ele joga. Ele se preocupa mais em querer ser showman tipo os espalhafatosos Higuita e Jorge Campos do que um goleiro de verdade. Concordo que ele melhorou muito nos fundamentos de um goleiro e está tendo atuações convincentes mas não o credenciam ainda a ser titular absoluto na série A, quando ele terá ataques bem mais qualificados e que exigirão mais dele. As comparações com o pai dele são inevitáveis, pois Jean era tirado a fazer presepadas debaixo das traves. Porém, Jean foi reserva de dois dos maiores goleiros do futebol mundial (Rodolfo Rodrigues e Dida), que certamente serviram como farol para que ele tivesse sucesso na carreira. Já Jeanzinho não teve nenhum goleiro de alto nível e experiente ao seu lado durante a fase que foi reserva para passar conselhos e que servisse de exemplo. O máximo que teve foi um meia boca jogando de má vontade e outro que alternava defesas difíceis com bisonhadas assustadoras.

    O jogo de ontem foi mais um treino de luxo do que um teste. Acho que o Bahia está montando uma linha de defesa forte, com destaque para a dupla de zagueiros e para o volante Edson, mas continuamos com dificuldades para fluir o ataque, principalmente com Diego Rosa e quando Hernane resolve sair da área. O nosso elenco ainda carece de qualificação, especialmente no ataque, pois será duro depender de opções no banco como Edgar Junio e Gustavo.

    Por último, tenho uma ressalva em relação ao Eder. Ele tem potencial para ser um bom jogador, porém precisa definir uma posição para se aperfeiçoar na carreira. Já jogou de zagueiro central, quarto-zagueiro, volante a agora lateral direito. Acho válido ele se dispor para atuar em determinada posição em uma situação excepcional, mas o técnico tem que ter em mente qual é a sua posição original que ele lutará pela titularidade. Este negócio de ser útil me faz lembrar de Washington Luis, que passou a carreira acomodado como coringa e ninguém lembra em qual posição ele teria destaque.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo lembrar da encantadora Beth.
    Também ótimo lembrar ao torcedor que há limites nas broncas (ainda que justas) de anos passados. É péssimo congelar o passado para transformá-lo em presente. Deixem Jean ter futuro.
    Acho que o Zé Rafael (desconhecido) foi a boa contratação do Bahia desse ano. Tem visão de campo, tem discernimento, tem passe e é invasivo. Se pegar gás com alguém ao seu lado, nos dará alegrias.
    Parabéns pelo excelente texto.
    Muito bom.
    Texto leve. Solto.
    Agradável de ler. E coerente.
    Parabéns.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.