Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sábado, 29 de abril de 2017

Guerra é guerra

Enfiar uma nação numa guerra nem sempre é uma boa escolha, pois derrotar o inimigo pode não significar vencer, caso do EUA na guerra do Iraque, mas ser derrotado pode deixar sequelas, marcas e traumas que duram por décadas ou para sempre, o caso do mesmo EUA com a vexatória derrota na guerra do Vietnã. Porém, tem hora que as evidências e as provocações são tantas que não há outra opção senão aceitar o desafio e entrar em guerra com o inimigo. E esta hora chegou para a NAÇÃO TRICOLOR, depois de sermos roubados 4 jogos seguidos contra o Rival de Cana Brava, não nos coube outra opção a não ser nos autoconvocar para a guerra da Lampions.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Padrão BaVice: 10 x 12

Perder amistoso é chato, ser derrotado em jogo de campeonato é ruim, perder para o rival é cruel, tomar uma virada em jogo de semi é de lascar, some-se a isto tudo que o adversário é um time limitado, sem nenhuma estratégia de jogo, que se esconde em baixo das saias dos dirigentes das federações e conta com a ajuda decisiva do árbitro pelo 4º jogo seguido, aí meu bróder é de acordar de ressaca mesmo sem beber, é de perder o sono, é de ficar puto uns dois dias seguidos.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Chegou a hora

Faltam menos de 36 horas para o começo do primeiro BaVice dos 4 programados para as próximas duas semanas. Sem dúvida, será uma ultramaratona, 360 minutos, 6 horas de futebol sem considerar os acréscimos. Se imaginarmos que na média cada jogador corre 5 Km/jogo, serão 400 Km percorridos, a distância de Feira de Santana a Conquista, quase 10 maratonas, ou seja é muita coisa e regada com muita tensão e emoção.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Rápido e Caceteiro (13)

O empréstimo: depois de uma semana agitada nos grupos do zap por causa da derrota no BaVice, a semana começou calma após o triunfo por 3x0 no Touro do Sertão. Mas, bastou a oposição e a imprensa pautarem a possibilidade de um empréstimo de R$ 17 milhões para o Bahia fechar as contas do ano e a aquisição da Cidade Tricolor para a galera se agitar de novo. Choveram questionamentos sobre o uso dos "intermináveis" R$ 40 milhões do Esporte Interativo (ou dinheiro que não acaba no imaginário da torcida), outros questionavam como é que um time que se dizia "rico" poderia agora estar precisando pedir grana emprestada, outros já falavam do alto gasto com um time ridículo, boa parte já questionava a propalada competência administrativa da atual diretoria do Bahia, e por aí foi se desenrolando a conversa. O que achei interessante é que alguns postavam as explicações de PH no Twitter sobre o assunto, mas ninguém lia, só queriam saber de perguntar, questionar e levantar teses sobre o "fracasso" da diretoria. 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

É possível jogar diferente

Acho que todos já estão careca de saber e eu já estou de saco cheio de escrever sobre a teimosia de Guto com o mesmo esquema tático desde sua chegada no Bahia. Em praticamente todos os jogos fora de casa comentei sobre isto e inclusive tratei do assunto em um post exclusivo (http://www.sobahea.net/2017/03/guto-conviccao-ou-teimosia.html). Contudo, é impossível não voltar ao tema, só que desta vez não farei apenas o tranquilo trabalho dos engenheiros de obra pronta ou dos profetas dos fatos passados, tentarei mostrar que com o elenco atual teríamos totais condições de assumir outras posturas táticas durante os jogos.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Aviso dado

Estou escrevendo mais de 18:00 após o término da partida, mas ainda estou muito puto com o que vi ontem. Pois, não tem esta de que este BaVice não valia nada, pelo contrário, vale e muito, imagine se esta pressão e insatisfação que estamos presenciando nas redes sociais estivessem do outro lado? Os próximos valerão vaga na final da Lampions, eles chegarão cheios de moral e nós repletos de dúvidas e questionando o pai, a mãe, a avó de diretoria, treinador, jogadores, roupeiro e cozinheira do Fazendão. Ou seja, a derrota de ontem, passou para nossa torcida que nada presta, tudo o que foi feito até agora tem de ser jogado fora, infelizmente, isto não é a verdade, mas é o que fica após uma derrota em clássico.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Enfim, as preliminares acabaram

Ontem, o Bahia brocou o Atlântico por 3x0, mas a reação da torcida no zap e o incrível público pagante, com impressionantes 241 pagantes e 272 no total, com a expressiva renda de R$ 5.160,00, valor inferior a um dia de salário do Brocador ou de Jackson, só provam a tese que os campeonatos estaduais precisam acabar. Nem a fanática torcida tricolor prestigia mais, é inadmissível um time profissional se sujeitar a isto, nem a conversa de sustentar os pequenos do estado se aguenta mais de pé, basta ver os públicos e rendas dos jogos do Bahia e do Rival no estadual de Ednaldo.