Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Paramos no Gatito

Perder nunca é bom, sempre fica aquele gosto amargo e aquela sensação de podíamos e merecíamos mais. Porém, como todos sabemos, existem derrotas e derrotas, e esta de ontem é daquelas que podemos classificar como normal e nada desesperadora. Explico, o Bahia vinha de uma final, na qual conseguimos o principal objetivo do 1º semestre, o relaxamento físico e mental seria natural. Segundo, enfrentamos um dos 6 brasileiros na Libertadores, classificado em primeiro do seu grupo, eliminando o Estudiantes. Claro que o Botafogo está longe de ser um time brilhante tecnicamente, não existe esta espécie no futebol sulamericano atual, mas é um time taticamente bem montado, com o treinador revelação de 2016 e que sabe muito bem o que fazer em campo.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

BAHIA, O MAIOR DO NORDESTE.

A alegria e a emoção são tantas que nem sei por onde começar este texto, a única certeza que tenho é que escrevendo uma palavra ou cem mil linhas não serei capaz de traduzir o que nós torcedores do Bahia estamos sentindo hoje. A Sardinha virou tubarão e engoliu os leões do NE, o fusquinha virou Ferrari e fez o time da ilha e o do aterro comerem poeira, e o Jahia voltou a ser o temido e respeitado BAHIA, O MAIOR DO NORDESTE. Jamais se esqueçam, podemos estar feridos, machucados, mas acabados nunca, um time que é apoiado por uma Nação desta, jamais perecerá.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Fogo na Babilônia, se cuida Samarina

Estou tão ligado na Final da Lampions, na conquista da Orelhuda, que nem consegui escrever nada sobre a derrota do time B para o Vasco, antes do jogo contra o Botinha, quando o foco já estará voltado para o Brasileirão, faço algumas breves observações. Vamos ao que interessa, em 2001, ano que todo o Brasil conheceu Édson Gomes com o estouro do sucesso Malandrinha (https://www.youtube.com/watch?v=SJWBOM3-Nms), eu já morava em Brasília,mas aproveitei que ia sempre a trabalho para a bela Natal e consegui trocar as passagens de volta e estar presente na Fonte no triunfo de 3x1 sobre o Sport, última conquista tricolor que presenciei no estádio, nossa primeira Copa do Nordeste.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Falta pouco, mas...

I can't believe the news today
I can't close my eyes, make them go away
And the battles just begun
There's many lost

But tell me who has won?

Esta impactante canção do U2 casa muito bem com o momento político que o País atravessa, de fato não dá para acreditar nas notícias que estamos sendo bombardeados, e de fato há uma grande dúvida se há um vencedor para esta sangrenta batalha que apenas se iniciou. Não, não se preocupem, o foco aqui é, e sempre será o Bahia, aqui só tem um partido, o do Bahia, mas foi impossível não lembrar desta canção quando vi nas manchetes que o Bahia só tinha empatado contra o Sport ontem, não consigo acreditar depois do que presenciei pela tv que não tenhamos trazido a Copa do Nordeste já na bagagem, ou seja, a batalha pela Lampions apenas começou, temos um amplo favorito, mas não temos um vencedor ainda, longe disto.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

A hora da verdade

A grande final da Lampions League começa hoje à noite na Ilha do Retiro em Recife. É apenas mais um jogo da vasta história que tem ampla e expressiva vantagem do tricolor da Boa Terra. Mas, apesar de ser apenas mais um jogo, sabemos que a rivalidade entre as duas torcidas ultrapassa e muito as 4 linhas, quem nunca ouviu falar na disputa pela capital mais importante do NE, Recife leva ampla vantagem sobre SSA, sobretudo pela localização privilegiada; o melhor carnaval Salvador e Recife/Olinda disputam, mas aí peço perdão aos pernambucanos, o axé leva de barbada sobre o frevo; na música popular, eles apresentam de Alceu Valença com seus históricos sucessos, entre eles a inequecível La Belle de Jour (Eu lembro da moça bonita / Da praia de Boa Viagem / E a moça no meio da tarde / De um domingo azul e nós contratacamos com o monstro Gilberto Gil, aqui é até covardia destacar uma música, mas vou de Vamos Fugir (Pois diga que irá / Irajá, Irajá / Pra onde eu só veja você / Você veja a mim só / Marajó, Marajó). Ou seja, motivos para apimentar a rivalidade Bahia x Pernambuco não faltam.

domingo, 14 de maio de 2017

O Bahia goleou jogando em ritmo nagô

Assistir ao baile do Bahia sobre o Furacão me fez lembrar o grande clássico Baianidade Nagô, música que está com certeza entre as mais belas do Axé. Hoje, o Bahia foi atrás do trio elétrico, dançando ao negro toque do agogô, e todos nós curtimos nossa baianidade nagô. Música histórica para homenagear um jogo que entrou para a história do Tricolor no Brasileirão.

Já pintou o Brasileirão e com calor no coração de quem estava no campo e na arquibancada, a festa começou de forma inesperada e marcante para o Nação Tricolor que vai agitar Salvador com sua eterna alegria. O Bahia entrou focado em campo, marcando o Furacão que não conseguia passar do meio-campo. Mas, apesar da intensa movimentação do trio elétrico de meias tricolores confundi a frágil marcação do time misto do Atlético, faltava tranquilidade e qualidade ao Bahia no último passe, ou seja chegávamos com muita facilidade, porém era um erro atrás do outro na hora de definir a jogada.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Um gênio que se foi

Enquanto estávamos concentrados na sequência de 4 BaVices em duas semanas, morreu Belchior, um grande compositor da música brasileira, foram poucas canções, mas as letras fortes e o ritmo característico marcaram época. Como sabido, Belchior abandonou a carreira e foi curtir sua vida de forma mais reclusa. Está sendo interessante ler as reportagens com os depoimentos de quem conviveu com ele neste período e ouvir novamente suas canções que ganham novos contornos e interpretações após tudo que aconteceu.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

As lições que ficam

Acabou a primeira parte do playoff entre Bahia e o rival, por enquanto a vantagem é deles, 2 triunfos contra 2 empates e 1 derrota. Ganharam o Ednaldão e nós a vaga na final do Nordestão. Faltam os 2 do Brasileirão para ver quem leva a melhor no ano.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Jogo estranho com torcida esquisita

Sou um aficcionado pelo Bahia, BaVice é algo sagrado para mim, sou daqueles que acham que temos de ganhar sempre, sem esta de amistoso ou jogo que não vale nada, jogar contra eles sempre vale, e muito. Por isto, estranhei demais a sensação que tive ontem, na hora do almoço, tentei escrever algo aqui no blog sobre o pré-jogo, mas não tive o menor interesse; ainda em casa, antes de ir para o Paraíso do Dendê, point da torcida em Águas Claras/Brasília, eu assistia despreocupadamente ao baba do Galo contra um time amador do Peru; cheguei no PD com o jogo iniciado, e parecia que estava assistindo a um Bahia x Poções pela fase classificatória do Ednaldão, claro que vibrei com nosso gol e lamentei as chances perdidas; na hora do previsível gol deles, no máximo expressei um PQP; e fui neste ritmo até o final do jogo.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Aqui é Bahia, porra

Peço desculpas antecipadas pois este post vai sair um pouco sem pé nem cabeça, já se passaram mais de 18 horas do apito inicial do jogo e a pilha continua com carga máxima, mas sei que os leitores vão compreender, pois estamos na mesma vibe, e como sempre digo, aqui é um blog de torcedor que sofre e vibra pelo Bahia. Ontem, desde cedo, eu convivia com dois sentimentos distintos, ao mesmo tempo que acreditava piamente no triunfo e classificação tricolor, já que sempre preguei que o Bahia é imbatível quando o time e os torcedores estão na mesma sintonia, o que estava claro desde a expulsão de Gustavo no jogo da quinta; eu temia que a perda da vaga na final ou uma improvável derrota para o rival causasse um estrago sem precedentes no tricolor, se isto acontecesse, ficaria insuportável a continuidade de Guto e de alguns atletas no elenco, e começaríamos do zero o Brasileirão.