Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 23 de maio de 2017

Fogo na Babilônia, se cuida Samarina

Estou tão ligado na Final da Lampions, na conquista da Orelhuda, que nem consegui escrever nada sobre a derrota do time B para o Vasco, antes do jogo contra o Botinha, quando o foco já estará voltado para o Brasileirão, faço algumas breves observações. Vamos ao que interessa, em 2001, ano que todo o Brasil conheceu Édson Gomes com o estouro do sucesso Malandrinha (https://www.youtube.com/watch?v=SJWBOM3-Nms), eu já morava em Brasília,mas aproveitei que ia sempre a trabalho para a bela Natal e consegui trocar as passagens de volta e estar presente na Fonte no triunfo de 3x1 sobre o Sport, última conquista tricolor que presenciei no estádio, nossa primeira Copa do Nordeste.

Como diz Édson Gomes:

"Há muito tempo que eu queria ter

Um grande amor como você
Que demorou mas chegou 
E minha vida se transformou
Todo o tormento já passou
Em minha vida tudo é amor
Não esperava que um dia
Viesse ser feliz assim"
E era assim que eu me sentia em 2001, longe de Salvador, acompanhava o Bahia só por notícias, naquela época era difícil ver um jogo do tricolor aqui em Brasília, manter o amor a distância requer sacrifícios. Ademais, fazia tempos, desde 1988/89, que o Bahia não conseguia um título de expressão, e a Copa do Nordeste de 2001, disputada em formato de liga, apenas com os grandes da Região, era a nossa oportunidade e não perdemos a chance de deixar para trás o tormento do rebaixamento de 1997 e a Nação Tricolor teve um merecido e esperado dia feliz, e como ficamos feliz naquele dia, a saída da Fonte foi absurda.

Não lembro de grandes detalhes do jogo, estava muito pilhado para isto, mas recordo que o Bahia dominou o Sport inteiramente no primeiro tempo, e não tem como esquecer do golaço de Preto, um dos mais belos que presenciei ao vivo na Fonte, e que no segundo gol cantei a jogada antes de acontecer para um colega que estava do meu lado, lembro como se fosse hoje que no momento da falta tivemos o seguinte diálogo:

          Eu - vai ser gol, Preto vai cruzar no segundo pau e Nonato vai aparecer por trás da zaga e marcar.
           Ele - Como você sabe?
           Eu - O Bahia já fez várias vezes esta jogada e alguns gols saíram assim.

Ainda bem que eu estava certo, e Nonato brocou fazendo a Fonte balançar e delirar. Lembro que no segundo tempo, o jogo transcorreu como vaticina Édson Gomes em Campo de Batalha (https://www.youtube.com/watch?v=-T6GGsojMng):

"No campo de batalha cheira morte
No campo de batalha a morte é mais forte


Alguém vencerá
Alguém vencerá oh
Alguém morrerá enfim"

O Sport voltou mais ligado e diminuiu com Leomar, volante que Leão levou para a seleção, tipo um Rodriguinho de Tite, com isto o cheiro de empate começou a rondar a Fonte e a torcida tricolor ficou tensa, mas como diz a música "alguém vencerá" e Nonato sacramentou nosso triunfo furando a zaga do Sport pelo meio, 3x1, fatura liquidada e o Bahia se sagrava Campeão do Nordeste.




De cabeça lembro daquele time de Émerson, goleiro que dispensa comentários, Jeférson, bom lateral esquerdo, do fantástico meio campo formado por Bebeto Campo, Preto, Luis Carlos Capixaba e Alex Oliveira, e dos atacantes Nonato, ídolo eterno de quem acompanhou o Bahia no início dos anos 2000, e do desengonçado mais extremamente eficiente Robgol. Pelo que eu vi na Internet, o lateral direito era Japinha, oriundo do São Caetano, e a zaga formada por Jean Elias, tinha um canhão nos pés, fez um gol inacreditável contra o Fortaleza (https://www.youtube.com/watch?v=JaLVUfuMb9M) e Carlinhos, zagueiro que veio do interior de São Paulo, ainda contava com os limitados Mantena, dublê de volante e lateral, Maurício, outro zagueiro de bom chute, e Washington, não tenho a menor ideia de quem seja. Este time também fez bonito no Brasileiro chegando na fase mata-mata quando foi eliminado pelo São Caetano, com Sílvio Luiz salvando um gol com o rosto no final do jogo.



Tem um erro na numeração, o 10 era Alex Oliveira.

Pois é, imagino e torço que o jogo de amanhã seja parecido com o de 2001, tenho certeza que nossa torcida fará a diferença como fizemos naquela época e ajudar os jogadores em campo para levantar a taça, temos de fazer um dia santo na Fonte e regar a árvore  tricolor (https://www.youtube.com/watch?v=iW7z0Iw6bW0para que os frutos floresçam. 

A pegada do time amanhã tem de ser no esquema pregado por Édson Gomes em Lute (https://www.youtube.com/watch?v=uTmM5UvtPkQ)

Vamos amigo, lute!
Vamos amigo, lute!

Vamos amigo, lute!
Vamos amigo, ajude!
Senão
A gente acaba perdendo o que já conquistou

Somos favoritos, mas não podemos entrar achando que o jogo já está ganho, a luta vai ser dura, o time deles possui jogadores diferenciados que podem decidir o jogo em um lance, em especial Diego Souza. Nossos jogadores precisam ir em cada bola como se fosse a última coca do Nordeste, temos de insistir em muito nas nossas jogadas de ataque pela direita, uma hora furamos a defesa deles, como diz nosso regueiro em Fala só de amor (https://www.youtube.com/watch?v=kGdrl74jsQI):

Sei que a água água é mole 

E a pedra é dura 
Eu sei que a água água é mole 
E a pele é dura 
Mas já fala o ditado 
Tanto bate até que fura 

Só tenho uma dúvida sobre a escalação de amanhã, a experiência de Armero, cada vez mais despirocado, ou a juventude e inexperiência de Matheus Reis, foi bem no jogo de ida. Acho que Guto vai apostar na experiência.

Enfim, estou muito confiante que amanhã é dia de festa, é tudo nosso, e quinta-feira como vaticinou Jorge Portugal é ponto facultativo na Bahia, mas quem vai ligar para isto, teremos de novo em nossas mãos a hegemonia do futebol nordestino.

BBMP

Um comentário:

  1. Miguel,

    O único ponto desfavorável do seu texto é a alusão à Edson Gomes, que, apesar de ser um excelente músico e compositor, torce para o nosso vice de estimação. O texto ficaria sem retoques se utilizasse letras de tricolores consagrados como Gilberto Gil, Luiz Caldas, Ricardo Chaves, Tonho Matéria e Margareth Menezes.

    Salvador vive a expectativa de uma grande festa. A sintonia entre torcida, jogadores e clube está perfeita. Tudo está conspirando para qunita-feira seja decretado feriado para a nação tricolor. O clima está bem diferente da final do Ednaldão, quando perdemos a final para o vice mas a normalidade continuou na cidade.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.