Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

quinta-feira, 15 de junho de 2017

De volta ao passado

A última vez que o Bahia venceu o Coxa no Couto Pereira foi no distante 1985, ano que Sena venceu suas primeiras provas na Fórmula 1, Prost foi campeão pela primeira vez, o Coxa conquistou o brasileirão no Maraca contra o Bangu, na Europa os holligans ingleses causaram uma tragédia com a morte de 38 pessoas na final da Champions, morria Tancredo, e o primeiro vice oriundo do atual PMDB assumia o poder, o Rock in Rio bombava, Rock Hudson morreu de AIDS, doença que assustava o mundo. Por meu lado, foi o ano que iniciei o curso de engenharia quimica na UFBA. Tirando o PMDB no poder, o Brasil era muito diferente de hoje, estávamos saindo da ditadura e voltando a democracia, hoje tem quem defenda o caminho contrário, sinal dos obscuros e sujos tempos que vivemos.



Mas, quando falamos do nosso Bahia, este ano me faz lembrar 85. Tínhamos um time modesto no papel, Marinho Apolônio era a estrela da companhia, mas ou menos o Regis de hoje. O craque era Leandro, volante oriundo do Grêmio, habilidade pura, pelo menos é assim que me lembro dele. Não tenho duvidas que este time e o de 86 foram fundamentais para o título de 88, pois nos fizeram acreditar que era possível o Bahia figurar nas cabeças do Nacional. Para saber mais sobre este Esquadrão leia http://www.sobahea.net/2015/12/este-time-jogava-por-musica-em-1985-o.html?m=0

Pois bem, novamente temos um time modesto, mas como há 32 anos atrás, a sintonia time torcida está nas alturas, e dentro de campo, os jogadores estão mostrando que com aplicação tática, vontade de vencer e determinação podemos repetir a histórica campanha de 85, quando fomos o primeiro colocado da fase classificatória do Brasileirão.

Nosso técnico da época era Paulinho de Almeida, estava longe de figurar entre os grandes, mas montou um Bahia que surpreendeu a todos, lembro de Varela, ainda na ativa, berrando na tv "se o Bahia não tem jogador na seleção, Paulinho de Almeida tem de ser o treinador". Espero que Jorginho também tenha a mesma competência e sorte de PA, e faça no Bahia sua melhor campanha no Nacional.

30.000 pessoas na Fonte era público de jogo pequeno, cansei de ver nossa torcida colocar 50 - 60.000 pessoas, quantidade impossível na nova Fonte, intimidar os adversários e embalar o Esquadrão no ritmo das palmas. Como já disse, o mundo e o Brasil mudaram, e a forma de apoiar o time também, hoje não basta só encher estádio, temos de continuar fazendo isto, mas agora a forma mais efetiva de ajudar o clube é se associando, acabou a era romântica do esporte, o que vale agora é grana, sem ela, de nada vale vibrar e berrar pelo time.

Voltando ao nosso último triunfo, a única coisa que me lembro é do gol de pênalti de Celso, zagueiro que tinha uma bomba de mil nos pés, fazendo o chute de Juninho parecer uma bufa de salão. A porrada foi alta, no meio do gol e furou a rede do Couto. Naquele ano, ganhamos lá e cá, fazendo 4 pontos contra eles.

Sobre o jogo de hoje, independentemente de 3 meias ou 3 volantes, precisamos ficar mais com a bola, não podemos deixar os caras nos sufocarem, Zé Rafael e Alione precisam se aproximar mais entre si e de EJ, mas para isto precisam chegar mais inteiros ao ataque o que aconteceu pouco no último jogo. Na parte defensiva, perdemos Lucas, por isto a volta de Édson é fundamental para melhor a proteção da zaga.

Enfim, eles são favoritos, mas assim como em 85, podemos e vamos calar o Couto Pereira. Uma volta ao passado caíria bem mais tarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.