Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 13 de junho de 2017

Ficar com a bola faz bem

Quem leu o post "Rumo ao G4" sabe que considero como normal a derrota de ontem, o Grêmio é mais time e jogava em casa. Por isto mesmo, defendi que o Bahia deveria aceitar esta superioridade e entrar com um time mais reforçado no meio, deixando o trabalho de marcação mais pesado para o trio de volantes e soltando mais Zé Rafael e Alione para armar o jogo e se aproximar de Edigar Junio, ademais temi que o Bahia desse muito campo ao Grêmio e que isto acabaria ocasionando o gol deles, infelizmente acertei na última previsão. 


Para escrever este post, fiz uma pesquisa no footstats.net e vou tentar demonstrar aqui alguns dos equívocos cometidos por nossa equipe ontem, usarei como ponto de comparação o jogo contra o Bota, onde também perdemos por 1x0, mas tivemos no goleiro deles o melhor jogador em campo, para quem não se lembra, Régis se machucou logo no início, entrando Juninho no seu lugar.

Começando pelas estatísticas gerais, os dados mostram que contra o Botafogo nosso time fez um jogo equilibrado, mantendo praticamente a mesma posse de bola do adversário e trocando quase o mesmo número de passes, o que nos permitiu finalizar muito mais do que no jogo de ontem.



Os mapas de calor dos jogos também demonstram que cotra o Bota a postura de nosso time foi mais propositiva, frequentamos o campo de ataque, enquanto ontem nos concentramos basicamente no campo adversário. Sem frequentar o campo adversário é impossível marcar gol.



Com relação aos dados defensivos, vemos que nosso sistema funcionou muito bem ontem. Mesmo com toda pressão gremista, Jean praticamente não foi exigido e fomos muito bem nos desarmes, nossa melhor atuação até agora neste quesito.




Por outro lado, nos quesitos ofensivos fomos acanhados para dizer o mínimo. Os números são bem inferiores ao que vínhamos obtendo até o momento.







Chamo atenção especial para o número elevado de lançamentos errados, o que mostra que mais uma vez, já tinha acontecido o mesmo contra o Vasco, recorremos a errônea estratégia de ficar dando bicos para frente sem nenhuma precisão ou consequência positiva. Também fizemos nosso pior jogo em finalizações, Marcelo Grohe foi um espectador de luxo no jogo.

Enfim, o gol deles foi um vacilo de nosso zaga, culpo o cansaço do time, ocasionando um momento de desatenção e a finalização livre de Cortês. Eles tiveram 12 escanteios, me faz de novo lembrar a máxima, "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura".


Finalizando, vamos enfrentar um Coxa que vem de 36 horas a mais de descanso desde o último jogo e vem fazendo uma campanha irretocável, não sei como Jorginho vai armar a equipe, mas uma coisa tenho certeza, se repetirmos a postura acanhada de ontem, a possibilidade de voltarmos para SSA sem pontuar é grande.

Um comentário:

  1. Parabéns Miguel. Bela e correta análise. Eu não pude ver nem o jogo com o Cruzeiro e nem com o Grêmio. Mas logo muito os comentários.
    Sempre tive receio da nossa (minha inclusive muita) euforia.
    Porém, o Bahêa tem de ser mais ousado. Valente. Ter força, vontade e determinação para superar a diferença para os demais.
    Claro que estou mais feliz esse ano do que em 2016.
    O Bahêa é outro.
    Ouvi o comentário do Caio cheio de elogios ao Bahêa (e ao Coritiba).
    Creio que o jogo contra o coxa será mais complicado que o do Grêmio. E será terrível completar 4 jogos fora sem trazer 1 só pontinho...
    Parabéns.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.