Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Futebol de várzea

Tem dia que seu time faz uma excelente partida, em outros faz um boa, em outros uma ruim, tem também os da péssima, algumas vezes joga pedra em santo, e tem o Bahia de ontem. Que porra foi aquela? O time foi ridículo para dizer o mínimo, parecia um time de várzea, com todo respeito que a várzea merece. Tecnicamente, os jogadores não acertaram nada, passe de 2 metros parecia lançamento de 50; taticamente, o time estava mal distribuído em campo e se limitava a correr atrás do adversário; e por fim a pior parte, cadê a gana, a vontade de ganhar, ou o sangue no olho na hora de dividir uma bola? Nada disto apareceu, toda segunda bola era do Vice, não ganhamos uma dividida. Enfim, partida para esquecer.

Nem vou perder tempo analisando a partida, pelos comentários no zap, todos viram o mesmo jogo que assisti, não vi um só torcedor falando bem; e pelas manchetes que vi nos sites, os próprios jogadores e o auxiliar reconheceram nossa péssima partida. Vou fazer um post rápido apenas tentando levantar algumas hipóteses para explicar o que aconteceu.

Começando pela pior, Jorginho se mostrou fraco e se rendeu às críticas da torcida e da imprensa. Sem dúvida é cedo para dizer isto, mas não tem outra explicação para se colocar Éder no lugar de Becão. Lembro que no início do ano, Éder era a primeira opção de banco, depois do primeiro BaVice do ano perdeu a primazia para Lucas, voltou contra o Vasco e foi mal de novo. Nada mais coerente do que dá uma chance a Becão. O moleque de fato andou falhando e mostrando inexperiência, mas estava longe de ser a catástrofe pintada pela torcida. Para piorar, o empresário de Éder jogou uma isca e nosso treinador abocanhou, dando a entender que tinha barrado o jogador por causa de questão contratual. Jorginho ouviu o clamor da massa, nem sempre certa, e se engasgou no anzol do empresário, fez a troca, e o que vimos ontem? Nosso time completamente vulnerável na bola aérea, em pelo menos duas delas, era bola para Éder ter tirado com tranquilidade. Espero estar errado, porque se o grupo perceber esta fraqueza no treinador, a única opção é a saída do mesmo. Treinador tem de mostrar firmeza nas suas convicções, qualquer coisa diferente disto perde o grupo.

Outro fato que pode ter influenciado, tivemos 5 alterações em relação ao time que jogou contra o Flamídia, ou seja alteramos 50% dos jogadores de linha. Algumas eram necessárias, LF suspenso e EJ machucados; outras evidentes, os retornos de Renê Júnior e Régis; e outra por opção, a troca de 6 por 1/2 dúzia na lateral esquerda. A sensação que me passou foi que uma semana não foi suficiente para entrosar a nova equipe, e o time sentiu muito, em especial na saída de bola, quando era facilmente marcado, tendo de recorrer aos improdutivos chutões.

Como resultado desta falta de entrosamento, a defesa foi repetidamente batida pelos lados, Eduardo e Armero foram facilmente superados no drible ou na velocidade pelos atacantes deles, pior sem a cobertura dos zagueiros ou volantes; no alto Éder e Thiago ficaram no deixa que eu deixo também; e o ataque não existiu, nas duas chances que teve Mendonza, fala um pouco mais sobre ele na sequência, encolheu as curtas pernas e não finalizou. 

Porém, o pior de tudo foi o meio campo, só se salvou, com muita boa vontade, Maheus Sales, os outros 4 não se encontraram em campo. Renê Júnior não passava da intermediária e se limitava a tocar de lado, a onipresença desapareceu; Régis, mal fisicamente e sem ritmo de jogo, errou tudo que tentou; Zé Rafael apático e sumido; e Alione, quem o viu em campo me avisa. Sem meio, o jogo não fluiu, fomos incapazes de tocar ou prender a bola por 30 segundos que fosse. Já disse e repito, nossa maior força está nestes 3 meias, mas eles precisam se aproximar mais, procurar um ao outro o tempo todo, de preferência com tabelas curtas e com toques rápidos, carregar a bola e passes longos não vão nos levar a lugar algum.



Dias atrás, escrevi que Mendonza poderia ser uma boa para o ataque tricolor, mas chamei atenção para o fato dele não ser bom para fazer o papel de pivô. Infelizmente, ontem foi o que vimos, a bola só chegava pelo alto, e o colombiano não conseguiu prender uma para a chegada dos meias. Por outro lado, poucas vezes tivemos a capacidade de explorar o melhor do futebol dele que é a velocidade e o deslocamento, pouca vezes conseguimos enfiar uma bola em boas condições para o mesmo. Ou seja, um semana de treino não foi suficiente para nos acostumar com a mudança de característica da nossa referência no ataque.

Outra hipótese catastrófica, será que os problemas de caixa do clube começaram a afetar o elenco? Alguns lances me fizeram suspeitar de má vontade do elenco, teve bola que nossos jogadores se limitavam a acompanhar e marcar o atacante deles com os olhos, teve uma de Armero que foi de lascar. Quem viu o Bahia nos outros 5 BaVices do ano sabe o que estou falando. Mesmo nos que perdemos, a vontade e a fome de vencer foram outras. Novamente, espero estar errado.

Enfim, só o confronto com o Fluminense poderão desmentir ou confirmar estas hipóteses. Torço para estar errado em várias, que o Bahia aguerrido, veloz e entrosado volte no próximo domingo para podermos esquecer o jogo de ontem.

Para terminar, informo que o Sobahea está fazendo uma parceira com o site barfc.com.br, mesma galera do excelente Papu Catiguria do Youtube, o próximo post sobre Bahia x Flu sairá lá primeiro.

2 comentários:

  1. Sinceramente, que jogo ridículo o Bahia fez ontem. O time entregue às moscas totalmente em campo, lembrando o do final do primeiro semestre de 2016, o qual perdeu para todos os times recém-promovidos da série C. Já não basta o Bahia ter um elenco desequilibrado para disputar uma série A, ainda vem um treinador que está se mostrando um verdadeiro fiasco. Se ele queria jogar com cautela para não dar espaço para o vice impor o ritmo do jogo, que o fizesse com dignidade e respeito então.

    Simplesmente o time abdicou de qualquer estratégia para equilibrar o jogo e para, pelo mens, dar algum alento à torcida de que estava jogando um clássico. Eu temi pelo pior. Ainda bem que Jean estava inspirado e o ataque do vice é tão arame liso quanto o nosso.

    Não entendi o motivo de ele colocar o garoto da base (Douglas) naquele fogo. Depois dizem que é a nossa torcida que queima jogador da base. O vice adiantou-se todo, encurralando o Bahia dentro da própria área. O normal era colocar Gustavo ou João Paulo para prender a zaga deles e fazer com que Mendonza flutuasse pelos lados, acabando com a invenção deste de centroavante.

    Esta descendente do Bahia preocupa, pois podemos nos distanciar muito dos concorrentes do nosso campeonato, que é a segunda metade da tabela. Vamos ter um sequência menos complicada neste final de primeiro turno e espero que o time volte ao futebol praticado nas semis e finais do Nordestão.

    ResponderExcluir
  2. Time completamente desarrumado, desorganizado. Tudo que Jorginho planejou deu errado; o meu sentimento é que ele seja muito suscetível às críticas, não me parece “cascudo”! Guto não era um estrategista mas tinha o time na mão, tinha convicções; não achava Guto o treinador ideal pro Bahia! O meu temor é que Jorginho seja fraco, não tenha o grupo na mão. Armero, Becão e Éder não podem jogar serie A, são fracos tecnicamente. Reconheço que Jean foi destaque mas continua não me passando confiança, torço pra que ele me mostre o contrário(quase entrega numa reposição de bola com Éder).
    Faltou raça, comprometimento, entrega vontade de ganhar, porque disposição tática não existiu e acima de tudo jogo coletivo; não ganharam uma dividida, até René Jr. não jogou bem, jogadores querem decidir tudo sozinhos, principalmente Zé Rafael; Eduardo sempre tem um drible a mais. Gustavo precisa de uma sequência pra que possa ser melhor avaliado, tem que jogar um jogo inteiro; eu teria entrado com ele, pelo menos é homem de área , prende os zagueiros e é bom cabeceador, no Criciúma vi boas partidas dele, talvez aqui como no Corinthians o que esteja pesando sejam questões emocionais, falta de confiança . Pelo menos não temos outro no elenco com essas características
    Só Jean e Tiago se salvaram e Mendoza esforçado, mas mal escalado e fora das suas características; não sabe fazer o pivô, é jogador de velocidade.
    Quanto a Jorginho, vamos aguardar mais alguns jogos pra tirarmos conclusões definitivas mas, não gosto do que estou vendo!
    Precisa dar uma sacudida nesse elenco, a diretoria tem que buscar reforços, está mais do que claro a todos as carências do elenco!
    Antonio Neves
    ST

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.