Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Não está sendo fácil

O futebol apresentado pelo Bahia no primeiro tempo foi tão melancólico que me fez lembrar um post que vi estes dias no Facebook com uma música de Kátia, uma das representantes da música brega da década de 70. Como diz a canção mais famosa de Kátia, não está sendo fácil ver o Bahia de Preto Casagrande jogar. Claramente, nosso treinador fez a opção por jogar no contrataque, o que não é nenhum erro crasso ou bobagem, mas nitidamente não preparou os jogadores de frente para saírem em velocidade e com precisão.


Como já disse, o primeiro tempo do Bahia foi ridículo, bisonho, sem noção, inadmissível depois de 15 dias de treinamento. O time se apresentou de forma acanhada e aceitou passivamente o domínio do adversário. Tenho de reconhecer que mais uma vez, defensivamente falando, o 4-4-2 funcionou adequadamente, o Atlético só teve uma chance numa cobrança de escanteio, mas Jean salvou o Bahia. O jogo se encaminhava para um modorrento 0x0 na etapa inicial, porém em um dos escanteios que tivemos, o feitiço virou contra o feiticeiro, e o Dragão nos queimou justamente com nossa arma, em um contrataque de manual eles abriram o placar. Entendo que o gol foi todo mérito deles, não acho que falhamos, talvez, só talvez mesmo, alguém poderia ter matado o lance quando a bola chegou no lento Walter, mas não tinha ninguém por perto para isto.

Mesmo perdendo, o Bahia não demonstrou nenhuma reação até o final da primeira etapa. Entendo que o principal motivo para isto foi a apagada atuação do nosso meio, apenas Renê Júnior aparecia para tentar algo. Nosso trio de meias ofensivos estava apagado e jogando distante um do outro, praticamente não se aproximaram em nenhum lance. Pode parecer perseguição, juro que não é, mas Régis foi novamente bisonho.

O Bahia voltou com Vinícius no lugar do improdutivo Régis. Com o recuo do Atlético, o Tricolor cresceu e num golaço de Zé Rafael empatou o jogo. Nossa tabela pelo meio da zaga adversária foi uma aula de toques rápidos, aproximação e deslocamento. Aproveito para reiterar algo que sempre escrevi aqui, os 3 meias ofensivos do Bahia precisam se aproximar mais, não podemos jogar como no primeiro tempo, com dois presos pelas pontas e Régis solitário pelo meio. As 3 melhores chances que criamos no jogo foram todas em jogadas de aproximação dos meias.



Outra constatação que mostra como nosso time está precisando treinar mais, apesar dos meias ficarem abertos, não vemos uma jogada de ultrapassagem dos laterais, um 1-2 em cima dos laterais adversários, nada de jogo coletivo. Sempre que nossos laterais pegam a bola, ninguém se aproxima para fazer a jogada, e tome drible errado de Eduardo e cruzamento improdutivo para o obeso Rodrigão.

Gostei do retorno de Edigar Junio, começou pela ponta, fazendo uma bela jogada, e acabou pelo meio, voltando a fazer novamente um bom trabalho de pivô. Retorno importante para esta fase decisiva do campeonato. Outro ponto positivo foi que o time terminou inteiro em campo, a partir dos 35 minutos, o Bahia dominou totalmente o jogo e poderia ter chegado a virada, mas faltou qualidade e precisão na conclusão das jogadas.

Nossa zaga foi razoavelmente bem, uma braga para cada zagueiro, o que pode ser considerado lucro quando vemos quem jogou. Por fim, Juninho Capixaba começa a mostrar que não é a solução para a esquerda, e Édson insiste em me fazer sentir saudade de Matheus Sales.

Nossos próximos 5 jogos, 3 em casa e 2 fora, serão pedreiras, temos de jogar muito mais do que hoje para conseguir os pontos necessários para se afastar da zona maldita.

Concluo, parodiando Kátia em Lembranças, mais um clássico da música brega, canção tão deprimente como o futebol do Bahia

Já faz tanto tempo
Que o Bahia não é
O que na verdade
nem chegou a ser

Um comentário:

  1. Sr.Miguel, como sempre essa foi mais uma das suas excelentes análises sobre o futebol do Bahia. Só discordo sobre Edigar junio, entendo que voltou agora do DM, porém voltou e não vi grande esforço,estava bem limitado nesse jogo, errou passes bobos. É um bom jogador de fato, mas estava visivelmente fora de foco e meio deslocado, rsrs.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.