Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

domingo, 29 de outubro de 2017

Não fizemos por onde

Começo indo direto ao ponto, perdemos dois pontos por causa de Carpegiani que voltou a inventar. A atmosfera era toda favorável ao Bahia, o adversário vem apresentando um futebol irregular e sua torcida estava cabreira. Enquanto isto, o Bahia vinha de 4 bons jogos e com a confiança em alta.

domingo, 22 de outubro de 2017

MAMÃO COM AÇÚCAR

Ganhar do rival é bom demais, tira um peso das costas, é um alívio no final do jogo que faz desaparecer toda a tensão vivida durante os 90 minutos. Isto acontece mesmo quando o rival é um mamão com açúcar.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Não foi para tanto

Esta semana fugi da rotina brasiliense e vim a Manaus para visitar os comandos e conhecer o relevante trabalho realizado pelas forças armadas brasileiras na região norte do País. Um mantra que foi repetido a exaustão é que numa missão o soldado tem de manter a concentração no máximo sempre, foi exatamente o que não aconteceu com o Bahia ontem, até os 2x1 "tínhamos um djogoooo", como diz Paulo Antunes, mas depois daí, o Bahia perdeu a concentração, sua retaguarda ficou desguarnecida, outro ensinamento militar que desprezamos, e acabamos sendo goleados.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Com sangue no olho

Os dois últimos jogos, os primeiros sob o comando de Carpegiani, foram de encher os torcedores de orgulho e trazer a confiança de volta. Além dos bons resultados, jogamos um futebol convincente e com bom equilíbrio entre ataque e defesa, acabou aquela história de defesa firme e ataque improdutivo, criamos e criamos muito contra dois gigantes de SP.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

BBB: Breaking Bad Bahia

Os jogos do time de Preto são tão repetitivos e monótonos que falta inspiração para escrever. Pois, é sempre o mesmo roteiro, time equilibrado na defesa, com o 4-4-2 bem montado com as linhas próximas, dificultando as ações do adversário. Por outro lado, no campo ofensivo, o Bahia é um time previsível, sem capacidade de criação, sem variedade de jogadas, distante e sem nenhuma inspiração. Mais uma vez, como na maioria dos jogos da era Preto, achamos o gol. Assim, sem nenhuma vontade de opinar sobre o jogo, aproveitei o domingo para curtir a família, curar a ressaca de sábado, esquecer de futebol e terminar de assistir a excelente série Breaking Bad, disponível no Netflix. Em suma, ontem eu estava tão puto que ouvi o protagonista da série "Às vezes parece que é melhor não falar nada. Sobre nada. Pra ninguém."