Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

2019 já começou

A temporada 2018 acabou de forma positiva para o Bahia, fomos campeões baianos; finalistas na Copa do Nordeste; igualamos nossa melhor campanha na Copa do Brasil, sendo eliminado pelo poderoso Palmeiras, em dois jogos extremamente equilibrados, quando tivemos chances reais de ganhar, ainda me lembro da bola de EJ batendo na trave e depois nas suas costas após a conclusão de Gilberto; fizemos nossa melhor campanha na Sulamericana, sendo eliminados pelo VAR, ficando a sensação de que poderíamos beliscar nosso primeiro título internacional; e chegamos na nossa melhor posição na era dos pontos corridos no Brasileirão. Sem dizer que terminamos o ano invictos em Bavices, chegando a 10 no total, e provocamos a Fuga das Galinhas.

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Marcaram época

Entrando na onda de Rizek, vou tentar passar para os mais jovens quem são os ex-atletas homenageados pelo Bahia. Adianto que não conheço Henricão e Mário, mas vou pesquisar.

Ronaldo Passos - goleiro revelado na base tricolor. Jogou durante toda a década de 80 no Bahia e foi o goleiro titular no início do campeonato e na final do bi brasileiro, quando tirou duas notas 10 do Bola de Ouro da Placar, uma espécie de Cartola da época.

João Marcelo - Zagueiro revelado na base tricolor e campeao brasileiro de 88. Foi fundamental na final quando deu uma levantada em Nilson, parando a pancadaria do Inter.

Sapatão - Zagueiro da década de 70, fez parte do escrete hepta campeão baiano.

Baiaco - volante da década de 70. Sem dúvida um dos maiores ídolos da torcida tricolor pelo seu estilo incansável em campo.

Edinho Jacaré - Eterno reserva nas duas laterias durante toda a década de 80. Revesava com Tarantini na lateral direita no título de 88. Veio do Fluminense de Feira.

Luis Henrique - veio da Catuense junto com Naldinho, um negro ausente da lista. Era um meia veloz e habilidoso, jogou na seleção e no Mônaco .

Paulo Rodrigues - o MAIOR jogador que acompanhei com a camisa do Bahia. Craque dos times de 88 e 90. Hoje seria seleção com os pés nas costas.

Cláudio Adão - 9 clássico e craque de bola. A dupla de ataque com Bobô em 86 encantou o Brasil. Jogou em vários times e foi considerado por Zico seu maior parceiro de ataque no Flamengo.

Zé Carlos - Camisa do 10 do bi nacional. Jogador incansável e fundamental para Zanata marcar época na lateral direita, pois fazia o papel de meia e ainda cobria as subidas do lateral. Em 88, era fundamental na transição defesa ataque, deu o passe, e que passe, para o primeiro gol de Bobô na final de 88.

Ueslei - subiu da base como volante. Foi negociado e quando voltou para o Tricolor já jogava mais na frente. Acabou a carreira como 9 e é um dos maiores artilheiros da história tricolor. Jogador extremamente forte e raçudo, tendo como principal característica o arremate a gol.

Willian Andem - goleiro camaronês. Ao lado de Lima Sergipano foram os únicos que se salvaram no rebaixamento de 97. Bastante conhecido pela expressão "cabeço pequeno".

Claudir - Veio do Serrano e formou com Pereira uma zaga fantástica. Campeão brasileiro de 88, mas não terminou em campo na partida final em Porto Alegre.

Fabão - Zagueiro de extrema força física. Marcador implacável de Bebeto nos bavis. Protagonista da canção "Bebeto chorão, sua mulher está f.... é com Fabão". Foi para o São Paulo onde jogou muito bem.

Zé Augusto - Zagueiro da década de 70 e início da de 80. Pelo que me lembro, era uma espécie de Luvas Fonseca sem as presepadas.

Lima Sergipano - O canhão do Fazendão. Deve ser o maior artilheiro do futebol mundial jogando como volante. Vale a pena procurar no YouTube os vídeos do cara. O chute era impressionante. Fez um gol em Ronaldo do Gambá que virou desafio no Esporte Espetacular pela velocidade que a bola alcançou.

Bebeto Campos - surgiu na base do Bahia, foi "roubado" pelo Vice, mas voltou para ser o volante bi campeão do Nordeste em 01 e 02, num meio de campo com Preto, Capixaba e Alex. Encerrou a carreira precocemente por problema de saúde.

Emo - veio de um time pequeno da Bahia e brilhou como quarto homem de meio campo no tricolor. Me arrisco a dizer que foi um dos precussores desta posição no Brasil. Jogou no time de 85 ao lado de Leandro e Marinho Apolônio, dois negros que mereciam estar nesta escalação.

Jesum - ponta esquerda driblador e habilidoso, como era comum na década de 70. Infernizava o lateral adversário partindo para cima e com dribles curtos. Fez parte da equipe hepta campeã.

Marquinhos - brasiliense que jogava em Sergipe. Foi contratado após infernizar Zanata e Zé Carlos em amistosos. Jogador fundamental no título de 88 por ser a válvula de escape pela esquerda. Também foi campeão pelo Cruzeiro.

Osmar - veio do Ipiranga e sofreu muito com uma contusão no joelho. Mas, se recuperou a tempo de ser o reserva de Bobô no título de 88. Na primeira partida da final, foi dele a arrancada que resultou no gol do título. Também foi protagonista na pancadaria do título baiano de 87 quando foi chutado pelo goleiro das galinhas na comemoração do terceiro gol.

Dadá Maravilha - Campeão do mundo em 70. Veio do Santa Cruz para o Bahia em 81, após a histórica goleada de 5x0. Formou um ataque dos sonhos com Sena, Osni e Gilson Gênio.

Além dos jogadores citados, senti falta nesta lista de Jorginho, zagueiro fantástico; Ávine e Ananias, jogadores da base que sofreram na B, mas subiram em 2010, e do MITO Feijão.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

2 pontos na conta de Grolli


O Bahia começou claudicante, sem muita disposição e principalmente movimentação. O adversário explorava nosso lado direito, e numa sequência de escanteio abriu o marcador. Foi a segunda chegada deles, na primeira Douglas evitou tranquilamente.


Até os 20 minutos, o Bahia boa jogou, Zé Rafael e Ramires eram facilmente dominados pela defesa deles, Gregore e Nilton se limitavam a marcar, os laterias apareciam pouco, e Brumado era nulo. O Bahia tentava sair de trás ou em bolas longas, ou na correria de Élber. Mesmo assim, o adversário de um apenas mais uma cabeçada e Douglas era um mero espectador em campo, no máximo saía do gol em bolas lançadas nas costas da nossa zaga. 

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

VAR para a casa da P....

Hoje, o sentimento não é único, mas sim um mix de frustração, revolta e alegria. Frustração porque vi meu Bahia perder em casa e complicar a classificação para a semi de um torneio internacional, no qual temos reais chances de sermos campeões.

domingo, 21 de outubro de 2018

De boas

Não foi uma partida de encher os olhos, longe disto, mas foi uma partida extremamente segura na defesa e na qual controlamos o adversário durante os 90 minutos. E isto se deve muito à escalação de Ederson, a entrada de Paulinho no lugar de Élber matou o lado direito do Botafogo. Paulinho e Léo sobraram defensivamente e ainda apareciam na frente com frequência, dando opção de jogo para o time. Do outro lado, Nino foi muito bem.

domingo, 7 de outubro de 2018

O juiz empenou o baba

Salvador, domingo, 5:30, dois tricolores batem o tradicional feijão na feirinha do Jardim Cruzeiro.

- Tô virado na disgrama. O juiz empenou meu baba.

- Fala não. Aquela miséra sacaneou o Bahia desde o primeiro tempo. Deu uns amarelos nada a ver.

- E aquele pênalti Mandrake no fim do jogo? Gregore mal tocou na porra do Marinho.

- Tô puto. Mas, o que vc achou do time?

- Foi bem demais. Em especial a parte defensiva. Até Nino anulou Everton.

- Foi mesmo. Outro que surpreendeu positivamente foi Nilton. O Zé Moleza jogou sua melhor partida pelo Bahia. Marcou bem e qualificou a saída de jogo com um bom toque de bola.

- O que mais gostei, foi que ele ficou de primeiro volante, e Gregore pode jogar na sua de segundo volante, saindo mais e se apresentando bem na frente. Quase faz um gol no primeiro tempo.

- Com os volantes bem, com Élber é Ramires ajudando os laterais na marcação, o Bahia anulou o melhor ataque das Américas. Douglas não fez uma defesa difícil.

- Jackson e Lucas foram soberanos lá atrás.

- Achei massa a experiência com Zé Rafael mais centralizado e adiantado ao lado de Gilberto.

- Também. Há tempos que defendo que ele tem de jogar ali. Sem tanta preocupação defensiva e mais perto do gol adversário.

- De fuder mesmo foi Élber calar a boca dos cornetas. Jogou com a raça e disposição de sempre e ainda meteu dois.

- O sacana estava merecendo. Espero que a torcida tenha mais paciência com ele a partir de agora.

- 3 pontos ontem tinham sido fundamentais. Era para estar na faixa de classificação para a Sula.

- O FDP Nós tirou os 3 pontos. Mas, esquenta não, esta vaga é nossa.

- Sábado, estarei lá na brocança sobre o Paraná.

- Eu também

- Falou. Agora que bati o feijão. Vou bater o baba na Ribeira.

- O feijão tava massa mesmo. Sustância da porra. Mas, tou indo para o trampo no Pólo.

- BBMP

- BBMP. Faça igual a Elber, broque lá no baba.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Hora de arrancar

Empates com o Palmeiras e Flamídia em SSA e derrota para o Vasco em São Januário lotado, jogando com 1 a menos, são resultados que podem ser considerados normais, a história mostra isto. Mas, na sequência que ocorreram e com o Bahia na porta da zona são preocupantes, ainda mais quando se vê o futebol insonso e sem brilho jogado pelo Bahia há um bom tempo.

Como dizem, o ataque tricolor é o verdadeiro arame liso, cerca, mas não arranha, não agride e não faz mal a ninguém. Com exceção dos minutos iniciais contra o Vasco, quando várias chances foram criadas e desperdiçadas, nos demais jogos, nosso ataque foi quase inoperante. Quando falo ataque, entenda setor ofensivo, formado pelos laterais, meias, atacantes e até os volantes que precisam dar o suporte e aparecer como homem surpresa no meio da zaga adversária.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Mais uma vez no quase

Mais uma vez ficamos no quase, mas a incompetência na hora de botar a bola para dentro e na marcação nos levou a mais uma derrota. Assim, ao invés de nos afastar da zona e entrar de vez na briga pelo G 10, estamos novamente próximo da degola e com um adversário complicado na próxima rodada.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

É verdade este bilete

Cenhores torcedoris,

Zé Rafael é um grosso, uma enganação, não serve nem para segundo volante.

É verdade este bilete

Cenhores torcedoris,

Ederson mandou o time recuar depois que fez o gol porque ele pode ser um treinador covarde.

É verdade este bilete

Presados torcedoris,

Ederson escala Vinícius no lugar de Ramires porque ele pode receber propina do empresário ou para sacanear a torcida.

É verdade este bilete

Presados sóxios,

Manter as contas do clube em dia é fácil e não passa de obrigação, porque todo time consegue isto.

É verdade este bilete

Presados sóxios,

Todo clube divulga os valores das transações dos jogadores,só o Bahia que não faz isto porque quer esconder as informações do sóxio.

É verdade este bilete

Cenhores torcedoris,

Nilton está voando nos treinos, Ederson só não põe para jogar porque é amante de Élton.

É verdade este bilete

Senhores torcedoris,

Só escapamos do rebaixamento por ruindade dos adversários, 16º lugar é título porque não temos time para brigar por nada mais.

É verdade este bilete

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

É hora de mudanças

Estamos vivendo o momento eleitoral, isto me fez lembrar dois grandes momentos do marketing político baiano, e com eles vou começar esta breve análise do momento atual do Bahia. Em 1986, pela primeira vez em muito tempo, a oposição capitaneada por Waldir Pires tinha chances reais de ganhar a eleição para o governo do estado, mas a população ainda estava receosa em experimentar a novidade, o partido do governo estava ali há anos, será que era hora de mudar? Não tenho dúvida que a propaganda de tv no último dia decidiu a eleição. Para quem não se lembra, a propaganda era formada por belas imagens da Bahia, isto não falta, mescladas com imagens de Waldir com o povo, isto tudo embalado pela bela canção Amanhã de Guilherme Arantes, que começa com a seguinte estrofe "Amanhã \ Será um lindo dia \ Da mais louca alegria \ Que se possa imaginar". Tenho certeza que até o mais apaixonado eleitor de ACM ficou balançado. 

Na eleição seguinte, os marketeiros de ACM deram o troco, criando o mais belo jingle de campanha política que conheço. Naquela época, a Bahia dançava ao som do axé, e os caras me criaram um com a seguinte letra "Você se lembra de mim? / Eu nunca vi você tão só / oh meu amor, oh meu xodó / Minha Bahia / ...". Sem dúvida, até o mais fanático eleitor de Waldir cantarolava esta canção de Gerônimo, um mestre da música baiana. 

sábado, 1 de setembro de 2018

Foi bom, mas podia ter sido melhor

Como diria o Chiclete "ganhar é bom, é bom demais, o ouro, o ouro". Porém, não se pode esquecer a péssima atuação tricolor. Nosso triunfo se deve muito à fragilidade deles.

Louvo e aplaudo a atitude de Ederson de mudar o time, de trocar o esquema colocando três volantes, propiciando ao time variar entre o 4-1-4-1 e o 4-5-1. O problema não está no esquema ou nos três volantes, até porque sou favorável a esta escalação em determinados jogos, mesmo em casa. O problema foi a atuação de alguns jogadoes.

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Eu tava lá

Hoje tem Bahia x Saci, impossível não lembrar de fevereiro de 1989, quando conquistamos nosso bi Brasileiro sobre o Colorado dos Pampas. Sei que as situações são bem distintas, os times então nem se fala, eles tinham Tafarel - melhor goleiro brasileiro que vi jogar - hoje tem Lomba; do nosso lado, o volante e craque do time era Paulo Rodrigues, hoje temos Gregore. Ou seja, não tem como comparar. Contudo, estamos vivendo um bom momento, jogando uma bola de gente grande, e eles são os segundos colocados do campeonato, se não me engano, venceram as duas últimas fora de casa.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Orgulho de ser Bahia

Quando fui morar em SSA na década de 80, inocente, puro e besta, como diria Raul, existiam duas redes de mercado, o Paes Mendonça, uma espécie de gigante estadual, e a Unimar, uma espécie de Vice. Lembro do alvoroço quando o Paes Mendonça abriu o Hiper ao lado do Iguatemi, virou quase um ponto turístico da cidade. Também nessa década começou a nacionalização das redes estaduais, e o Pão de Açúcar, com o lema "orgulho de ser brasileiro", começava chegar no Nordeste. Por sua vez, a rede Bom Preço, se não me engano pernambucana, chegava em SSA, com o lema "orgulho de ser nordestino". Mas, que porra este lenga-lenga sobre mercados tem a ver com o jogo de ontem? Tem a ver com o resgaste do orgulho do torcedor tricolor. 

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Em ritmo de rock

Gostei muito da última atuação do Bahia, não foi uma exibição de gala, mas foi mais uma atuação consistente e equilibrada da equipe, o que já tinha acontecido na partida com o Fluminense. Se nas partidas contra o Palmeiras e Atlético, nossos volantes e nossa defesa deram muito espaço aos atacantes adversários, isto não aconteceu contra o América/MG, o time foi compacto na defesa e no ataque, defendeu e atacou em bloco.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Dois pontos perdidos

O Bahia jogou bola demais no primeiro tempo ontem. Zé Rafael e Vinícius na parte ofensiva, e Élton no desarme, além da estreia cheia de gás e personalidade de Paulinho fizeram o Bahia jogar um futebol soberbo e dominar o Fluminense durante todos os 45 minutos iniciais. Enfim, começamos a jogar fora de casa como atuamos na Fonte e a torcida gosta. O Bahia popôs o jogo e ocupou o campo como se fosse o mandante, acurralando o adversário e calando sua torcida.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Dúvida boa

Hoje é dia de Bahia x Porco. O retrospecto recente mostra que não será um jogo fácil, são 2 derrotas e 1 empate, 4 gols feitos e 9 tomados. Ano passado, em um jogo eletrizante, no qual merecíamos melhor sorte, perdemos por 4x2 na Fonte. Os outros dois foram lá, um empate se 2x2, quando saímos atrás, mas Edigar, em excelente fase, decretou o empate. E, mais recentemente, perdemos por 3x0, num jogo que Keno infernizou a vida de Nino e Everson. Até esboçamos uma reação no segundo tempo, mas foi muito pouco.

sábado, 28 de julho de 2018

Diálogo tricolor

Com 48 horas de atraso

7 portas, 6:30 da manhã de quinta, dois tricolores se encontram.

- Que cara é esta, Broder? Foi atropelado por um busu?

- Se saia, Sacana. Fui em Pituaço ver a brocança.

- Fui não, irmão. Horário FDP.

- Fala não, saí picado depois do jogo, peguei o metrô para o acesso norte, depois o busu para a 7 portas. Cheguei em casa quase 1:00 da madruga.

- Barril. Tenho prova na facu, por isto não fui. Fala do jogo aí. 

- O primeiro tempo foi horrível. Repetimos o esquema e os erros do jogo contra o Sampaio. 

- Flávio de lateral não rola.

- Pois é, um a menos. Mas, eu fico puto é com Régis, o sacana se esconde atrás do volante e deixa a armação do time para os volantes.

- Daí não sai nada.

- Claro, Édson no máximo toca a bola para o lado e ainda erra. Nilton, até que não complicou, mas tá sem ritmo, não conseguiu armar o time.

- Vacilo de Enderson entrar com o mesmo esquema

- Pelo menos ele viu o jogo e consertou colocando Flávio na dele pelo meio e Édson fazendo uma linha de 3 atrás com os zagueiros.

- É Gilberto, botando para lá, 3 gols em 3 jogos.

- O cara é boca de 0 9. No gol, ele correu para o primeiro pau no primeiro escanteio. No segundo, ele deu dois passes para trás e se posicionou livre no segundo pau. O zagueiro ficou vendido.

- Ouvi na rádio que Marco Antônio entrou bem.

- Caralho, o moleque entrou voando pela direita. Em dois lances achou dois pênaltis.

- Foda foi Zé perder o segundo.

- O cara tem crédito. 

- Segunda, eu vou ver a brocança no Galo.

- Isto aí, brocamos as galinhas, agora é hora de brocar os galos. Vamos exterminar o poleiro. 

- Vai ser jogo duto, ainda mais sem Zé. Ederson tem de entrar com o time que brocou as galinhas, com MA no lugar de Zé. Correria para cima dos laterais deles.

- O bom é que MA e Edigar podem revezar de lado na boa. Deixando Gilberto mais centralizado.

- É isto. Atrás, eu botava Grolli mesmo. Tem de ter experiência, mais que vitalidade e velocidade para marcar Ricardo Oliveira. Com a volta de Bruno, o setor defensivo fica fechado.

- Falou, Broder. Vou para o trampo.

- Valeu, Irmão. Segunda é brocança.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

O entregador de camisa deu um nó no super técnico

Li muito durante a semana que o time do "entregador de camisas" ia sofrer na mão do time de Mancini, uma espécie de super-técnico para alguns tricolores. Mas, não foi isto que se viu. O que aconteceu foi exatamente o contrário, o Bahia atropelou, literalmente falando, as galinhas. O Super Homem esmagou o Mamão. E mostrou quem manda na Bahia. Golear o Vice é bom demais, e golear com direito a OLÉ é puro êxtase.

O jogo começou com mais uma braga de Thiago, mas Anderson, aquele goleiro que não defende uma bola segundo parte da nossa torcida, salvou o time numa saída arrojada. Depois disto, só seu Bahia. Vinícius, jogando na sua real posição como meia de ligação, comandava a bela atuação tricolor com passes rápidos e precisas viradas de bola.  Com a entrada de Gilberto, os dois jogadores mais adiantados ficam sendo ele e Edigar, com isto Vinícius joga mais atrás, o que é bastante benéfico para seu futebol. Antes do gol, o próprio Vinícius já tinha desperdiçado uma chance clara e dado trabalho numa cobrança de falta.

sábado, 14 de julho de 2018

A vida continua


Andei meio sumido, sem tempo para escrever. De fato, o jogo do Sampaio não foi só um balde de água fria, foi uma Catarata do Iguaçu na cabeça dos tricolores. É difícil perder um título dentro de casa para um time tecnicamente inferior, complicado mesmo. Infelizmente, este não foi o  maior vexame da nossa história, contudo o que mais li nos últimos dias foram os mensageiros do caos, os aproveitadores de sempre, e os possíveis candidatos pregando o fim do mundo e o apocalipse tricolor.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Agora é conosco

Vi apenas os 5 minutos iniciais, antes do avião decolar, e os 5 finais, depois do pouso. Impossível fazer uma análise vendo tão pouco tempo, mas pela reação nos grupos de zap, o Bahia jogou pedra em santo, sendo um time merdículo como fala nosso garoto propaganda, o inconfundível Jotinha. Mesmo com a derrota e com este futebol pífio, ainda somos os grandes favoritos ao título, nossa história e nosso desempenho recente na Fonte mostram isto. Viajo confiante que voltarei com a taça na bagagem.

terça-feira, 3 de julho de 2018

Não vejo a hora

Esta semana está complicada, chega segunda, mas não chega sábado. Não vejo a hora de voltar a entrar na Fonte Nova para ver meu Bahia jogar e vibrar, berrar e soltar a voz ao lado de milhares fanáticos tricolores que lotarão a arena para empurrar o tricolor em busca de mais um título.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

A dois passos do Paraíso

Estou igual ao Bahia ontem, sem muita inspiração para escrever, então vamos tentar na transpiração. Lembro que quando Marcelo Santana, o estagiário, o menino criado por vó que empina pipa no ventilador, assumiu o Bahia, ele disse que uma das prioridades dele era fortalecer a marca Bahia no Nordeste. De lá para cá, foram 4 torneios, o Bahia chegou na final de 3 e todos sabemos como perdeu a vaga na outra oportunidade. Ou seja, o estagiário criado por vó cumpriu sua promessa de campanha. Sem dúvidas, hoje o Bahia é o adversário a ser batido na Copa do Nordeste, todos nos respeitam e nos temem.

domingo, 17 de junho de 2018

Qual o real tamanho do Bahia?

Começo logo dizendo que também tenho meu lado Binha, sou daqueles que pensam que o Bahia é maior do que o Real, Barcelona, Bayern e Manchester. É assim que vejo e quero meu Bahia. Contudo, meu lado engenheiro e gestor público, quando preciso usar a razão mais do que a emoção e a paixão, insiste em me mostrar que meu lado Binha exagera nas suas previsões.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Vai ganhar de quem?

Salvador, 11/06/2018, a galera saindo para o trampo, dois tricolores se encontram.

- E aí, Véi. Que cara inchada é esta? Foi atropelado pelo metrô?

- Porra, Irmão. O Bahia na zona e você fazendo gracinha. Se acostumou mesmo com este Bahia pequeno e pífio. O time não ganha nem do Bota, vai ganhar de quem?

- Também tô puto. A situação está muito esquisita. O time erra tudo e quando acerta, sempre vem o goleiro ou algum sacana e corta.

- Ontem, fiquei indignado. O time perdendo e os caras sem reação em campo. Cambada de menino amarelo criado em apartamento.

- Pô, Véi, num achei que os caras estavam de corpo mole não. Acho que faltou qualidade e eles sentiram muito os gols do Bota. O psicológico está pesando muito, o time está sem confiança.

- Isto é fato. o Bahia começou melhor, mas os merdas não chutavam uma no gol. Na primeira chegada dos caras, Thiago dá um braga da porra e entrega o gol. Zagueiro burro da zorra, como é que vai de cabeça naquela bola, na altura do joelho de Kieza.

- Pois é, Thiago vem muito mal este ano. Mas, acho que isto tem muito a ver com a escalação de Gregore como primeiro volante, não é a dele.

- Também acho, o cara é segundo volante. Confunde marcar com a descer a lenha. Mas, esta Diretoria lenta vai ficar trazendo moleque para o sub-23.

- Também já enchi o saco com esta história de sub-23, até o técnico veio pegar ritmo no profissional. Tática suicida da porra. mas, acho que eles vão contratar o time durante a Copa.

- Assim espero, senão vai ser barril. Moleque mole este tal de Belitani. Mas, voltando ao jogo, por que o treinador tirou Régis?

- Não entendi nada, o time com um a mais, precisando ganhar, e o cara tira Régis, um jogador que é capaz de decidir o jogo com um drible. Ainda bem que Alione, parece que tem verme esta disgrama, apareceu na hora certa e meteu o gol de empate.

- Alione tá foda, já entra morto. Cara, sei que a galera malha o cara para carai, mas no meu time Vinícius tem espaço, é o único jogador que tem bom toque de bola no meio. Régis, Zé Rafael e o doido do Élber só servem para correr com a bola.

- Concordo, só acho que Vinícius tem de aparecer mais, tem jogo que ele se escode muito. Eu fico puto com a falta de fundamentos de Élber, mas tenho de reconhecer que o sacana se esforça muito, a assistência para o segundo gol foi barril.


- Num é. No dia que a disgrama do ataque decide brocar, os porras da defesa resolver dormir. No segundo Kieza apareceu livre, até meu cachorro faria aquele. Thiago no final do jogo abandonou o jogo, teve um lance que ele e Lucas ficaram parados como se o jogo já tivesse acabado.

- Pois é, a cabeça dos caras não está boa. Mas, de uma forma geral, gostei do primeiro tempo do time, pressionou o Bota em boa parte.

- O segundo foi uma merda, o Bahia com um a mais e o Botafogo passeando em campo. Queria ver lá no baba da Ribeira, a gente passava por cima deles, sem dó nem piedade.

- Valeu, Véi, vê se refresca a cuca. Quarta tem mais.

- Eu sofro para carai, mas não consigo largar este Bahia. Sou masoquista mesmo. Quarta, estarei lá. Fico com pena é de meu tio, aquele porra ainda vai ter um infarto.

- Seu tio é um figura, nem gol comemora, só reclama. Vc é igual, corneta para carai.

- Vá lá seu defensor de Diretoria. Quarta, vamos comemorar o triunfo, mesmo sem treinador. Só quero ver quando esta diretoria pífia vai agir.

- Antes da Copa, chega o homi que vai levar o Bahia para a Liberta.

- Falou, Sonhador. Abraços.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

A situação tá russa

Bem galera, eu não vi o jogo contra o Paraná, preferi ir ao estádio ver o Fla x Flu, com a intenção de assistir outros times para ver se minhas convicções sobre o Bahia estão corretas ou não. E saí do estádio convencido que o maior culpado pelo que está acontecendo no Bahia é o seu presidente.

sábado, 2 de junho de 2018

Mais uma para coleção de PGF

Eu também fui dormir virado na disgrama na quinta-feira, afinal são 4 derrotas em 4 jogos fora, 9 gols tomados, nem unzinho feito. Pior, se pegarmos os dois do ano passado que Guto dirigiu são 6 derrotas, 12 gols tomados e 1 feito. Desempenho abaixo do ridículo do Gordiola fora de casa, o que também foi a tônica na Série B 2016.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Habemus técnico

Semana passada, critiquei pesadamente Guto por suas opções táticas no jogo contra o Palmeiras. Hoje, venho aqui para elogia-lo pelo trabalho realizado ontem contra o Vasco. Na hora da substituição de Brumado por Régis, também estranhei, mas me lembrei que não tinha sido a primeira vez que Guto tirava um centroavante para por um meia, ele já tinha feito isto uns jogos atrás, e resolvi acreditar. Pelo resultado que vimos ontem, parece que nosso "limitado" treinador, o cara de um esquema só, como parte da torcida gosta de falar,  tem testado esta e outras opções nos treinamentos diários.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Na boa

Hoje não vai rolar post, tempo zero. Mas, achei que o Bahia fez uma partida apenas razoável, com uma pressão maior da nossa parte, poderia ter sido bem mais. Gostei de alguns pontos,  a paciência que o time teve na primeira etapa, rodou a bola com calma até surgirem os espaços. A excelente partida de Vinícius, fazendo a bola girar e dando volume de jogo ao time, demonstrando mais uma vez que tem de jogar mais recuado. Das jogadas pelas pontas com Elber e Zé Rafael fazendo o 1-2 com os laterais. E dos gols em contrataque, pois serão fundamentais nas partidas fora de casa no Brasileirão quando precisaremos jogar mais fechados.

Não gostei da participação de Régis, abaixo do que eu esperava, pode ter sido por jogar aberto. E da baixa intensidade na marcação avançada, bem abaixo do que fazemos normalmente em casa.

Agora é brocar o vasquinho e fechar a semana com dois triunfos e de preferência longe da zona.

domingo, 20 de maio de 2018

Deu a lógica

Perder para o Palmeiras lá é normal, até o corintiano mais roxo sabia que o Porco era favorito, mas o Bahia não precisava ter facilitado tanto como fez na primeira etapa da partida. E o grande culpado disto foi Guto Ferreira.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Knock down


Ontem pela manhã, assisti alguns lances da luta entre Victor "O Fenômeno" Belfort e Lyoto "Dragão" Machida. Não sou grande fã de MMA, nem entendo do assunto, mas costumo assistir de vez em quando algumas lutas. Por isto, percebi que Belfort lutava fora das suas características, ele que sempre foi um cara de partir para dentro e sufocar o adversário, fazia uma luta mais cadenciada, esperando a hora certa de dar o bote. Por sua vez, o Dragão estava na sua, tranquilo e lutando dentro de suas características, mantendo o adversário à distância e tentando sempre seus chutes de carateca.  Numa dessas tentativas, Belfort deu espaço e Machida acertou um potente chute apagando o Fenômeno. Foi exatamente assim que vi o jogo do Bahia contra o São Paulo.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Anotaram a placa?

Muito pouco a dizer sobre o jogo de ontem, foi um atropelo, parecia jogos do Baianinho. O Bahia não considerou a Cruz de Malta, e reduziu o Gigante da Colina a um Anão do Formigueiro. O que aconteceu ontem se deve muito ao resgate da Fonte como nossa casa que começou com Guto, gostem ou não os críticos dele, lá no remoto segundo turno da Série B em 2016. Desafio aos conhecedores listar três times que tenham ganho todos os jogos do turno em casa, pode pegar Série C, B e A. Este feito é para poucos e está sendo fundamental para o Bahia se impor em nossos domínios. Os adversários já chegam receosos, pois sabem que vão enfrentar muita pressão na marcação e um time veloz e de toques verticais. Claro que a Nação, quando quer, tem papel primordial para auxiliar o time dentro de campo.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

O Yin Yang tricolor

O mundo é bipolar, na geografia temos o Polo Norte e o Polo Sul; na física, mais especificamente na eletricidade, temos o polo negativo e o polo positivo, basta dá uma olhada numa pilha, e lá estão os dois polos; na cultura oriental, mais especificamente na filosofia chinesa, temos o Yin Yang; na cultura ocidental, temos o bem e o mal; para fechar, no futebol temos o Bahia de Guto Ferreira. Em casa, o Bahia é corajoso, enérgico, ousado, criativo, sufoca o adversário, em suma, é temido e respeitado por todos. Fora, o Bahia é covarde, apático, acanhado, previsível, é sufocado, em suma, teme e repeita em excesso todos. 

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Alto padrão

Durante a semana, li muito dos torcedores que o Bahia precisaria jogar muito para segurar o EXCELENTE time do Atlético. Durante o jogo, ouvi torcedor dizer que o Bahia não conseguia ganhar deste  time FRACO. Sabe qual foi o motivo da mudança de excelente para fraco? Foi a partida soberba que o Bahia fez. Verdade que não ganhamos, mas jogamos para c...

sábado, 28 de abril de 2018

Tá enchendo o saco

Esta semana, o trampo está pesado, acabei não encontrando tempo para fazer um post sobre o jogo contra o Belo. Mas, gostei do que vi, mesmo fora de casa, o Bahia procurou de impor e mandou no jogo na maior parte do tempo, fomos dominados por 20 minutos, quando o Botafogo se empolgou com o gol de empate, a torcida incentivou, e parte dos nossos jogadores sentiu a inatividade, mesmo neste período, nossa defesa se comportou muito bem e não aconteceram chances claras de gol para eles. Com as substituições, o Bahia voltou a dominar e o triunfo veio.

domingo, 22 de abril de 2018

Gostei do que vi

O Bahia fez uma grande partida, acima de minhas expectativas. No primeiro tempo, sufocou e não deu espaço ao Santos. No segundo, deu mais espaço, mas continuou pressionando e foi recompensado no final. O mais legal foi ver que o melhor em campo foi um garoto da base Marco Antônio, se redimindo da péssima atuação no jogo anterior, e que outro moleque da base, Brumado, foi autor do gol do triunfo, mostrando grande oportunismo e presença de área.

domingo, 15 de abril de 2018

Para ficar esperto

O Bahia perdeu uma boa oportunidade de começar pontuando no campeonato, pois o Inter de hoje não é nem sombra do que já foi. Mas, vamos ser claros, não fizemos por onde conseguir nem um empate.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Só sei que ser BAHÊÊÊÊÊÊA é bom demais

Pedi licença à patroa, dei até logo aos moleques e saí com a galera para ver o Bahia que da cabeça não me sai. Foi assim o domingo, pulamos que nem pipoca e reinamos como o Deus do fogo e da justiça. Sempre escrevo aqui que sou totalmente contra estaduais, mas tenho de reconhecer que depois de ganhar o título, não dá para esconder o que sinto por você Bahia, não dá, não dá, não dá. Quando o jogo começa, o corpo estremece, as mãozinhas se juntam e o BBMP vem fácil, sai redondo da garganta. Ontem foi assim, a galera em peso no Chopp Time, em Águas Claras, todos na mesma sintonia.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Bom e ruim para os dois


O resultado foi bom para o Bahia que reverteu a vantagem e joga por um empate na próxima partida, contudo foi bom para o Vice que mesmo totalmente dominado na segunda etapa, perdeu por apenas um gol e joga por um triunfo simples na próxima partida. O resultado foi ruim para o Bahia que tomou um gol quando era senhor da situação e tinha tudo para ampliar, porém foi ruim para o rival que terá de partir para cima de um time tecnicamente superior e com um ataque muito veloz.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Tá dando liga

Novamente uma partida consistente do tricolor, com muita tranquilidade e precisão veio o triunfo sobre o Botafogo. Na terra de Elba, Zé Ramalho e Genival Lacerda, Nino Paraíba roubou a cena e foi a estrela da noite com duas arrancadas e uma assistência, fazendo o Belo dançar.

segunda-feira, 26 de março de 2018

Deu a lógica

Muito pouco para falar sobre o jogo de ontem. Era certo que no dia que Bahia e Juazeirense se enfrentassem num campo de futebol, e não num pasto, o Bahia ganharia com tranquilidade e foi o que aconteceu ontem. O Bahia foi senhor das ações, 3x0 foi pouco para o domínio tricolor.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Os cegos não tocam corneta

Semana passada, ocorreu a trágica morte da vereadora Marielle Franco. Na minha ingenuidade, eu achei que o País estava diante de uma causa que uniria a todos. Ledo engano, bastou uma zapeada pelo Facebook e zap-zap para constatar que o fato só acirrou mais os ânimos. Todos os lados já identificaram, julgaram e condenaram os culpados que estão logicamente do outro lado, só falta prender. Até a vítima é culpada para uma parcela da população. Enfim, não interessa quem a polícia venha a prender, pois sempre haverá uma teoria conspiratória para mostrar que ela está corrompida e prendeu a pessoa errada.

terça-feira, 13 de março de 2018

Guto é treinador para o Bahia

Bastou a injusta derrota para o Náutico que voltaram os velhos mantras #foraGuto e "Guto não é treinador para o Bahia". A sequência de bons resultados, mesmo sem apresentar um grande futebol, tinha acalmado a torcida e o lenga-lenga sobre a saída do treinador sumiu. Mas, como já disse, a derrota no último sábado foi o estopim para a nova campanha de caça à baleia azul.

Discordo completamente da parte da torcida que pede a saída de Guto. Neste texto, vou explicar meus motivos.

domingo, 11 de março de 2018

Dejavu

Sabe aquela sensação que temos que já estivemos em um determinado local ou que já passamos por uma determinada situação. Foi exatamente isso que senti ao assistir o jogo ontem. Para mim foi um dejavu de Bahia 0 x 1 Botafogo/PB.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Que continue assim

O mestre Gilberto Gil começa a bela canção Tempo Rei com a seguinte expressão "Não me iludo / Tudo permanecerá / Do jeito que tem sido". Esta foi a dúvida que fiquei após o término do jogo de ontem, será que veremos um novo futebol ou voltaremos ao marasmo dos últimos jogos, em especial da péssima atuação contra o Atlântico?

segunda-feira, 5 de março de 2018

Mais do mesmo

É galera, já está ficando chato escrever aqui no blog, ler deve estar insuportável, o texto está ficando cada dia mais repetitivo, toda rodada é a mesma ladainha, o Bahia não jogou nada, não teve criatividade, tinha uma cratera na nossa zaga, achamos os gols, blá-blá-blá. Acho que sobre o jogo de ontem, poderia terminar por aqui, todos viram e sabem o que aconteceu, mas vou tentar fazer uma análise mais aprofundada de alguns pontos.

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

A justiça é cega, mas usa lente

Eu poderia ficar aqui três horas escrevendo e não transmitiria nem metade da indignação que estou sentindo com a patuscada que foi o julgamento do BaVi ontem no TJD. Por isto, farei meu protesto recorrendo a MPB, algumas músicas exprimem com mais precisão o que gostaria de falar, mas me falta fígado para escrever.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Que baba foi esse?

Vendo o jogo do Bahia ontem foi impossível não lembrar do bizarro sucesso de Jojô Todynho. Primeiro, porque não entendi porra nenhuma do time do Bahia, igual quando ouço a tal música. Segundo que o jogo foi tão ridículo como os atuais sucessos da decadente música brasileira.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Deu para o gasto

Foi a apresentação mais sólida do Bahia na temporada. Tudo bem que o Timbu é um time de Série C, mas é um dos times mais tradicionais da região e um dos grandes de Pernambuco. Indiferente  a isto, o Bahia fez valer seu mando de campo e, dos 15 minutos do primeiro tempo até os 40 do segundo, foi senhor absoluto do campo. 

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Em busca de um rival

Impossível não voltar à confusão do BaVice do último domingo. Lembrem que ressaltei no texto que Mancini tinha mostrado seu verdadeiro tamanho naquele clássico. Pois é, de lá para cá, ele tem ficado cada vez mais nanico.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

VERGONHA

Gostaria muito de estar aqui comentando o clássico da Bahia, o único jogo que desperta alguma atenção neste falido e esculhambado Baianinho. Mas, estou aqui indignado e envergonhado pelo que vi em campo hoje. Não tem esta de ser Bahia ou Vice, hoje o sentimento geral tem de ser de vergonha, vamos ver nosso insosso futebol ser malhado e criticado por todo Brasil, parabéns, melhor meus pêsames aos nossos dirigentes.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Acabou a festa, é hora do pirão

Véspera de BaMamão sempre é legal escrever um texto, ajuda a desopilar a tensão pré-clássico. Porém, é um desafio, pois não acompanho os jogos, não leio notícias, não vejo os melhores momentos e nem ouço resenha sobre o rival.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Para lavar a alma

Salvador, bairro da Liberdade, 5:30, dia claro. Para uns o dia está começando, para outros acabando, ou não

- Diga aí, Bahia. Que careca é esta toda brilhosa?

- Rapaz, ontem depois do baile do Bahia na Fonte, eu fui para um reggae no Farol. Fiquei com uma piriguete que tinha mais purpurina no corpo do que maquiagem na cara de Ana Maria.

- Tá virado. Quem pode, pode.

- Tou de folga do turno. Tenho de aproveitar agora, pois vou trampar no carnaval.

- Eu também fui ver a Lavagem da Fonte. Brocador botou para lá. Saí de alma lavada.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Sinal amarelo

Bem galera, eu não vi o jogo de hoje. Primeiro, tentei os links que transmitem os jogos na internet, mas entrava no clássico paulista, no mineiro, mas nada do jogo do tricolor. Recorri para os aplicativos dos rádios, mas com o rival dando um sacode, pouco passava o jogo do Bahia. Acabei acompanhando mesmo foi pelos comentários da galera tricolor no Zap. E, tenho de reconhecer o que li me deixou preocupado.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Já é carnaval cidade





O melhor Carnaval é o do Caetê! 🎊

Sábado (10/02) teremos um delicioso almoço com pratos típicos da Bahia (Vatapá, Acarajé e outros). A partir de 12h.😋

E não para por aí: às 16h, muito Axé com Ton Nobre e Banda Papo Fino. 🎶
Será cobrado couvert de R$ 10,00.

Faça sua reserva: (61) 3297-2008
📍Quadra 301 Norte Rua C lote 04 lojas 01/04 Águas Claras/DF


quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Vencemos

Mas, não convencemos. Coletivamente, o Bahia não apresentou grandes evoluções, continuamos jogando um futebol sem objetividade e ainda com grandes crateras na nossa defesa. Por outro lado, a disposição do time já é outra, com os treinamentos e jogos, os jogadores á estão mais soltos e o time começa a correr mais e disputar a bola com mais fome, com o velho sangue no olho. também vi melhorias na condição individual de cada atleta, com o preparo melhorando, a matada de bola fica mais naturalmente, o passe sai mais preciso, e a proteção da bola fica mais fácil

domingo, 28 de janeiro de 2018

ZZZZZZZ

O jogo de ontem foi de dar sono, foi tão desinteressante em termos de futebol que, infelizmente, o choque de cabeça entre os jogadores foi a única coisa que chamou atenção. Em suma, jogo feio, um marasmo total.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Mau para c...

Bem que tentei assistir o jogo, mas pela internet é complicado, a zorra do sinal caía toda hora, assim, vi apenas alguns lances, em especial no primeiro tempo. E não gostei do que vi, time apático e deixando o Genérico chegar com facilidade.

É um início de temporada muito ruim, 2 derrotas em dois jogos, nenhum gol marcado, goleiro se destacando, zaga falhando, meio lento e ataque sem criatividade, acho que é um bom resumo para o que apresentamos até o momento. Apesar disto, estou tranquilo, acho que a culpa não é da diretoria, do contestado Guto ou dos jogadores, mas sim do imbecil calendário brasileiro, que para satisfazer os presidentes de federações aceita começar os falidos campeonatos estaduais apenas 15 dias após a apresentação das principais equipes.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Para baixar a bola

É sempre ruim começar o ano com uma derrota, pois traz dúvidas e antigos medos para a torcida e pode fazer com que o clube queime etapas. Mas, como diz o ditado, "há males que vem para o bem", e é assim que enxergo a derrota de ontem. Foi boa para baixar a bola e mostrar que só com muito trabalho formaremos novamente um time competitivo como o de 2017.

Entendo que no último post peguei pesado com o Bahia quando comparei o elenco do final da temporada passada com o atual. Lógico que reforços ainda chegarão e vão qualificar o atual até o fim da temporada. Mas, a intenção do post foi de baixar a euforia de parte da torcida que já colocava o Bahia como favorito para todas as competições, inclusive Sula e Copa do Brasil, menos galera, nosso time é suficiente para Lampions e Baianinho, para o resto, vamos ter de encorpar ainda.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Primeiras impressões

Ainda estou curtindo minhas merecidas férias na terrinha. Agora estou passando uns dias nas casas dos meus pais, contudo estou sempre atento à movimentação do tricolor. E sendo bem sincero, acho que temos neste momento um time inferior ao que acabou o ano.

Entendo que suprimos bem as perdas que tivemos na parte defensiva da equipe.  Se Douglas mantiver a fase que teve em 2017, afirmo que não sentiremos falta de Jean. Nas laterais, os jogadores que chegaram são no mínimo no mesmo nível dos que saíram, porém não chegou nada muito acima do que tínhamos. Em suma, na parte defensiva trocamos 6 por 1/2 dúzia.

Renê e Juninho saíram, chegaram alguns volantes. Vai ser difícil achar um substituto para Renê, mas acho que a perda aqui não é tão grande, pois Nilton é um bom e experiente jogador, tendo condições de fazer um bom papel na meiuca tricolor, inclusive costuma marcar alguns gols.

O motivo principal para minha afirmação inicial é a parte ofensiva. Entendo que não suprimos adequadamente a perda de Alione e Mendoza. Veio Elber e mais ninguém. Elber pode fazer o papel de Speed, mas sem a mesma velocidade, mas com um pouco mais de tecnica. Para o lugar do argentino, mantivemos Régis, bom jogador, mas com características distintas, por exemplo, Régis não é capaz de jogar pelos lados e cumprir a dupla função que o hermano fazia.

Ademais, não temos peça de reposição, só temos Hernane, Vinícius  (deveria seguir os conselhos de Carpegiani e se tornar segundo volante, pois gira bem a bola, mas falta verticalidade) e a meninada da base para substituir os 4 da frente, muito pouco mesmo para o Baianinho e Nordestão.

Para encerrar, Guto só joga no 4-2-3-1, por isto entendo que temos de contratar urgentemente peças de reposição para a linha de 3, senão veremos o pesadelo da B de 2016, quando entravam jogadores sem nenhuma qualidade, se repetir.