Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Para baixar a bola

É sempre ruim começar o ano com uma derrota, pois traz dúvidas e antigos medos para a torcida e pode fazer com que o clube queime etapas. Mas, como diz o ditado, "há males que vem para o bem", e é assim que enxergo a derrota de ontem. Foi boa para baixar a bola e mostrar que só com muito trabalho formaremos novamente um time competitivo como o de 2017.

Entendo que no último post peguei pesado com o Bahia quando comparei o elenco do final da temporada passada com o atual. Lógico que reforços ainda chegarão e vão qualificar o atual até o fim da temporada. Mas, a intenção do post foi de baixar a euforia de parte da torcida que já colocava o Bahia como favorito para todas as competições, inclusive Sula e Copa do Brasil, menos galera, nosso time é suficiente para Lampions e Baianinho, para o resto, vamos ter de encorpar ainda.


Posto isto, acho muito cedo para afirmar qualquer coisa sobre a equipe, pois tudo poderia ser diferente se Edigar marca o pênalti e uma das inúmeras chances criadas no segundo tempo tivesse entrado. Porém, farei breves cometários do que vi ontem. O grande erro do Bahia foi aceitar o jogo franco e elétrico dos 15 primeiros minutos, parecia um lutador de boxe mais técnico e com maior envergadura, que ao invés de controlar a luta com jabs, preparando o direto mortal, parte desgovernadamente para a trocação com um lutador mais baixo se arriscando a tomar um contragolpe.

E foi justamente isto que aconteceu. O Bahia quando pegava a bola partia de qualquer jeito e deixava claros buracos na defesa, o lado direito era o mais exposto. No lance do gol, EJ e Zé Rafael se atrapalharam num ataque e na volta, Thiago foi fazer o que não sabe, fazendo uma assistência para o atacante. Depois disto, ainda tomamos dois ou  três "cruzados", bem defendidos por Douglas, que nos deixaram zonzo por um tempo.

Quando o Bahia se acalmou em campo e colocou a bola no chão, nossa superioridade ficou evidente, como também ficou evidente a falta de ritmo e o peso extra nas pernas de nossos atletas. Dominamos dos 20 minutos do primeiro tempo até o final do jogo, neste período chegamos diversas vezes e nossa defesa não foi exigida em nenhum lance. Mas, como todos sabem, a bola não entrou.

Sobre os estreantes, acho que Douglas tomou um gol defensável, mas mostrou segurança nos demais lances, demonstrando que tem qualidade para ser o 1 do nosso gol. João Pedro mostrou, mesmo no início de temporada, ser um lateral que apoia muito e com muita força física para chegar no fundo, mas deixou a desejar na recomposição defensiva, sobretudo no primeiro tempo, e errou vários cruzamentos fáceis. Léo foi extremamente tímido no primeiro tempo, mas se soltou mais no segundo, mostrando que tem condições para compor o elenco tricolor. Nilton foi o mais fraco deles, não fechou a frente da zaga como deveria e também deixou a desejar no apoio, mas acho muito prematuro afirmar que ele e Édson não podem atuar juntos, acho que com melhor condicionamento físico, Nilton fará muito bem o papel de segundo volante. Élber mostrou o que espero dele, correria, alguns bons lances individuais, mas falho na conclusão das jogadas, é outro que colocaria naquela de compor elenco.



Sobre os velhos conhecidos. Guto mais uma vez mostrou que é um treinador com convicções fortes sobre seu esquema tático. Entrou no esperado 4-2-3-1, e o manteve até o fim do jogo. Como ponto positivo, destaco a entrada de Vinícius como segundo volante, pois vai ao encontro com o que penso sobre este jogador, boa capacidade para fazer a bola girar, bom arremate, mas sem a verticalidade para ser o meia de armação da equipe. Thiago falhou feio no gol dos caras, mas depois deu conta do recado. Lucas praticamente não apareceu no jogo, fez o que se espera de um zagueiro, zagueirou quando a bola chegou. Édson mal demais, errou passes de 5 metros, totalmente disperso. Ele e Nilton foram os pontos fracos da equipe, não deram o suporte ao meio na criação e deixaram a zaga exposta no início do jogo.

Passando para o lado ofensivo, Zé Rafael fez aquilo que sempre faz, apareceu muito, fez boas jogadas individuais, mas de novo prendeu muito a bola em alguns lances. Régis me surpreendeu positivamente, participou muito enquanto teve perna, fez boas jogadas, destaco aquela pela esquerda quando deixou Élber livre para isolar a bola, e jogou os 90 minutos. Mostrou que pode voltar ser o do primeiro semestre do ano passado. Mas, precisamos de peça de reposição para revezar com Régis e ZR. EJ foi mal, não se movimentou como de costume, não foi capaz de fazer o papel de pivô quando preciso, e ainda perdeu o pênalti. Fez apenas uma boa jogada, mas deu azar na conclusão.

Élton entrou e pouco apareceu, pois o Botafogo já tinha abdicado há muito tempo de atacar. E Hernane, achei correta a substituição de Guto, pois era momento para um 9 fixo na área, entrou, mas nada fez.

Em suma, espero que o Bahia saiba tirar os ensinamentos necessários da derrota de ontem e que mantenha a programação inicial, nada de queimar etapas ou de alterar o planejado por causa do tropeço inicial. Assim, para domingo espero um time totalmente alterado no Baianinho. No mais, o time mostrou que pode dar liga e proporcionar muita alegria ao torcedor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.