Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Só sei que ser BAHÊÊÊÊÊÊA é bom demais

Pedi licença à patroa, dei até logo aos moleques e saí com a galera para ver o Bahia que da cabeça não me sai. Foi assim o domingo, pulamos que nem pipoca e reinamos como o Deus do fogo e da justiça. Sempre escrevo aqui que sou totalmente contra estaduais, mas tenho de reconhecer que depois de ganhar o título, não dá para esconder o que sinto por você Bahia, não dá, não dá, não dá. Quando o jogo começa, o corpo estremece, as mãozinhas se juntam e o BBMP vem fácil, sai redondo da garganta. Ontem foi assim, a galera em peso no Chopp Time, em Águas Claras, todos na mesma sintonia.


Com relação ao jogo, o Bahia foi senhor absoluto das ações. Em quase 100 minutos de bola rolando, fomos ameaçados em três, no resto, tocamos a bola, cozinhamos o galo, botamos as galinhas na roda e derrubamos o mamão podre do pé sem nenhuma dificuldade. Só nos faltou um pouco mais de tesão para atacar e definir logo o título, parecia que os jogadores queriam a torcida adversária presente até o final para poder presenciar nossa festa dentro do Lixão.

Se no jogo passado, Marco Antônio roubou a cena, ontem foi dia de Douglas. Nosso goleiro estava extremamente ligado e, nas poucas vezes que o rival chegou, mostrou que temos goleiro, com saídas arrojadas e reflexo em dia. Temos de louvar também a atuação da nossa dupla de volantes, anularam completamente o meio deles, botaram no bolso os meias adversários, só William Corrêa tentou algo. Com isto, nossa zaga jogou protegida e, como cereja do bolo, Élton marcou o gol do título.



Defensivamente, tirando os três minutos de apagão geral, que podiam ter custado o título, fomos muito bem, cortamos todas pelos alto, Léo ajuda muito aos dois zagueiros neste sentido, e por baixo fomos firmes ganhando todas as divididas e as segundas bolas.  Gostei também de Léo na parte ofensiva, apesar de aparecer menos do que Nino, foi mais efetivo, chegando mais fácil na linha de fundo, apenas precisa caprichar mais nos cruzamentos, continua errando muito neste último passe.

Além da falta de tesão para decidir logo o jogo, achei que nossos meias jogaram muito afastados, nos lances que se aproximaram, criaram chances de gol, uma no primeiro tempo, quando Zé Rafael chutou para um difícil defesa de Fernando Miguel; e no lance do gol, o passe de Marco Antônio por cima da defesa deles foi sacanagem, me fez lembrar Dico Maradona. Outro ponto positivo foi a inversão de lado entre ZR e MA, o time cresceu e melhorou a produção ofensiva com esta simples mudança.

Como diz, o Ara do rubro-negro Tatau, "eu quero festa, reggae, sexta-feira", esta é semana de comemorar e lembrar que estamos retomando a hegemonia estadual. Já são 8 BaVices de invencibilidade com 4 triunfos, uma fuga das galinhas e três empates. São 4 x 3 em títulos na década, e bem sabemos como perdemos o de 2016. Nos últimos 5 anos, além de 3 títulos baianos, temos um acesso a A, uma Copa do Nordeste e uma campanha muito boa na A. 

Para encerrar, bate na porta e avisa a vizinha, o campeão voltou, e tá com sede, ainda estamos disputando 4 campeonatos este ano, acredito que o título do NE virá novamente, e quem sabe uma semi da Sula ou CB para coroar nosso ano. Ah sim, estamos vivos na briga por uma vaga na Libertadores.

Um comentário:

  1. Houve alguns minutos que o mamão com açúcar mandou no jogo,mas conseguimos frear o ímpeto deles é depois só deu Bahia

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.