Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

sábado, 28 de abril de 2018

Tá enchendo o saco

Esta semana, o trampo está pesado, acabei não encontrando tempo para fazer um post sobre o jogo contra o Belo. Mas, gostei do que vi, mesmo fora de casa, o Bahia procurou de impor e mandou no jogo na maior parte do tempo, fomos dominados por 20 minutos, quando o Botafogo se empolgou com o gol de empate, a torcida incentivou, e parte dos nossos jogadores sentiu a inatividade, mesmo neste período, nossa defesa se comportou muito bem e não aconteceram chances claras de gol para eles. Com as substituições, o Bahia voltou a dominar e o triunfo veio.



Contudo, o papo que quero levar aqui hoje é outro, está enchendo o saco a postura da nossa torcida em relação à Guto Ferreira. Não o conheço, não sou seu advogado, não ganho um centavo para defendê-lo, mas mesmo assim, vou fazer isto hoje. Mesmo quando ganhamos, parte da torcida, ao invés de comemorar, passa a maior parte do tempo criticando e xingando o treinador. Na verdade, os xingamentos começam e a madeira começa a descer na cabeça do Gordo FDP, um dos elogios recorrentes, Gordo Burro é outro.

Pouco tempo atrás, fiz um texto mais ou menos na linha do de hoje, lá já demonstrava ser injusta a crítica que Guto alterna o esquema tático, crítica que fiz várias vezes na sua primeira passagem no Bahia. Este ano, o Bahia já jogou no 4-1-4-1, 4-2-3-1 e 4-4-2, mas os cegos do castelo tricolor insiste em dizer que Guto joga sempre da mesma forma.



Outro ponto que chamo atenção, é a postura do time em campo, pegando como exemplo os dois últimos jogos. Ciente que não podia dar espaço ao Santos, o Bahia começou com  a marcação avançada, com até 8 jogadores no campo de ataque, e sufocou o Peixe, roubando diversas bolas e levando perigo ao gol de Wanderlei. Mas, esta postura cobra muito do preparo físico dos jogadores, o que ficou claro na menor intensidade do time no segundo tempo, antes que digam que nosso preparador físico é um merda, destaco que o mesmo ocorreu com o Grêmio contra o Furacão. Já no jogo contra o Botafogo, o Bahia foi menos intenso na marcação, esperou mais o adversário, pois sabia que eles se enrolariam com a bola pela falta de qualidade. Ou seja, nossa postura varia de acordo com o adversário, o que é muito bom, mas para os eternos críticos, o Bahia não sabe se adaptar ao jogo.

A saída de bola, só cego ou quem tá de sacanagem não vê a evolução do Bahia neste aspecto. O time está muito mais seguro, os laterais aparecem, os volantes dão opção, Vinícius vem buscar, e até Douglas começa a mostrar sinais de evolução com os pés. Para quem estava mais preocupado em xingar o Gordo FDP do que assisti o jogo, destaco que em vários lances contra o Botafogo, os jogadores recuavam a bola para Douglas, de imediato os zagueiros abriam e Gregore aparecia como opção pelo meio, em todas saímos com a bola na maior tranquilidade.

Uma reclamação recorrente é Alione ser reserva, mas quero ver um chefe entregar a um funcionário com o desempenho atual de Alione a coordenação de algum trabalho. No máximo, o cara vai segurar as pontas e ajudar os demais na execução da tarefa, e é assim que Alione tem sido utilizado. Entra para cadenciar o jogo no segundo tempo. Tou com Guto, Alione é banco.

Claro que o Gordo comete seus erros. Por exemplo, não gosto do atual posicionamento de Vinícius em campo. Concordo com Bruno Queiroz e Castellucci, ele rende melhor quando joga mais recuado com a missão de fazer a bola girar no meio. Jogando mais adiantado, ele não tem a velocidade e habilidade necessária para conduzir a bola, e perde espaço para sua melhor qualidade que é o passe longo e as viradas de bola. Nesta posição, melhor seria Régis que tem entrado bem nas partidas. Mas, tenho de reconhecer que o novo posicionamento de Vinícius fez o futebol de Élton crescer, com mais espaço no meio, nosso volante tem aparecido bem na armação das jogadas, que passe perfeito aquele para Marco Antônio no último jogo, e tem recorrentemente chegado na área, foi assim o gol contra o Vice.

Outra questão que precisa melhorar é o espaço na entrada da nossa área. Guto, para desespero dos incrédulos, percebeu que não dava para jogar só com um volante de origem, nossa zaga ficava exposta demais e os erros estavam se repetindo rotineiramente. Com a entrada de Élton, os zagueiros ficaram mais protegidos e os erros diminuíram, mas permanece um espaço entre nosso meio e mossa zaga em alguns momentos, talvez pelo fato de nossos volantes saírem muito para o jogo. Marco Aurélio, experiente que é, percebeu isto e levou perigo no último jogo.

Precisamos ter consciência que temos um bom time, mas nada excepcional. Oscilações vão ocorrer, e, infelizmente, partidas ruins como a do Inter voltaram a acontecer. Guto não é mágico, é só treinador, não tem esta de varinha de condão, as melhorias são frutos de muito trabalho de toda a comissão técnica e jogadores, não são frutos de palavras mágicas.




Por fim, sou baiano, e como bom que sou, acredito muito em energia negativa, já presenciei fatos que só reforçam minha opinião, quando os conto para os brasilienses, a galera acha que tou maluco. Por isto, acho que passar energia positiva para o time deveria ser a nossa postura, começa as lamentações e reclamações antes mesmo do jogo começar, emanando energia negativa para o time, em especial para o Gordo Burro, só vai piorar a situação. Como diz um colega meu, futebol é dinâmico, se achar que Guto errou vou escrever aqui, se o time entrar numa espiral de derrotas, não vou hesitar em pedir a cabeça do treinador, mas por enquanto, os números mostram que tenho de apoiar, e é isto que estou fazendo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.