Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Hora de arrancar

Empates com o Palmeiras e Flamídia em SSA e derrota para o Vasco em São Januário lotado, jogando com 1 a menos, são resultados que podem ser considerados normais, a história mostra isto. Mas, na sequência que ocorreram e com o Bahia na porta da zona são preocupantes, ainda mais quando se vê o futebol insonso e sem brilho jogado pelo Bahia há um bom tempo.

Como dizem, o ataque tricolor é o verdadeiro arame liso, cerca, mas não arranha, não agride e não faz mal a ninguém. Com exceção dos minutos iniciais contra o Vasco, quando várias chances foram criadas e desperdiçadas, nos demais jogos, nosso ataque foi quase inoperante. Quando falo ataque, entenda setor ofensivo, formado pelos laterais, meias, atacantes e até os volantes que precisam dar o suporte e aparecer como homem surpresa no meio da zaga adversária.


Há tempos, indico este como o principal problema do Bahia. Começando pelos laterais, na direita Nino e Bruno estão sendo inoperantes, o primeiro por falta de qualidade técnica, o que se repete também na parte defensiva; e o segundo por total falta de força física. Bruno mostra boas condições técnicas, mas falta arranque e velocidade para chegar bem na linha de fundo. Na esquerda, sobra vitalidade física e presença no ataque a Léo, mas falta calma e qualidade para acertar o último passe; faz bem a ultrapassagem, tem velocidade para chegar na linha de fundo, mas na hora h, acerta o primeiro zagueiro que estiver pela frente.

O ponto fraco vem sendo os meias. Zé Rafael até jogou bem contra o Flamídia, voltou a ser aquele jogador voluntarioso e que participa o tempo todo do jogo, mas ainda está longe de ser aquele jogador decisivo que precisamos. Ramires é nossa esperança, mas ainda é esperança. Como todo jovem vai alternar bons e maus jogos, e oscilar dentro das partidas. Entendo que foi bem contra Palmeiras e Vasco, mas nulo contra o Flamídia, mesmo assim, temos de insistir com ele. Vinícius é outro que deu uma queda no rendimento, mas aqui divido a responsabilidade com Ederson que insiste em colocá-lo mais adiantado, onde ele realmente não rende, não tem velocidade, nem habilidade técnica para jogar ali. Vinícius ainda pode ser muito útil ao time, vindo mais detrás e de frente para o lance, reitero o que já disse aqui várias vezes, nenhum jogador do elenco tem a qualidade de passe dele, principalmente nos longos. Encerrando sobre os meias, nossa esperança é Alione voltar a jogar o que jogou na fase final do Brasileirão 2017, quando foi fundamental no esquema de Carpe, mas Alione precisa primeiro desembarcar em SSA de corpo e alma, por enquanto só chegou o corpo.

Dos nossos atacantes de lado, só se salva Élber e com ressalvas. Marco Antônio sente a primeira A e não vem rendendo nada, suas arrancadas estão sendo facilmente anuladas pela zaga adversária, e mesmo no auxílio à defesa está devendo. Para Clayton cabe a mesma análise de Bruno, bom jogador tecnicamente falando, mas sem nenhuma força física para aguentar o trampo. Voltando a Élber, é o novo Jones Carioca, Gabriel e Barbio. Assim como os 3, apresenta deficiências técnicas graves, principalmente na conclusão da jogada, mas sua entrega, sua raça e a vontade que demonstra nos jogos mostram que ele é bastante útil ao elenco.

No comando de ataque, Gilberto vem dando conta do recado, mas ainda falha muito no papel de pivô. Jr. Brumado e EJ estão mal, entram e pouco acrescentam. EJ até deu alguns suspiros de bom futebol no início do segundo tempo contra o Porco, mas muito pouco para poder ser um reserva confiável. Jr. Brumado sofre do mesmo problema de Marco Antônio, o peso da A. Ademais, precisa urgentemente treinar deslocamento e posicionamento para aproveitar sua estatura nas jogadas aéreas.



Com relação aos volantes, Gregore tem sido um monstro, marca muito e chega bem na frente. Mas, insisto na tese que ele não é primeiro volante, entendo que renderia muito mais como segundo, tendo mais liberdade para ir à frente. Édson que poderia ser o primeiro volante, não vem jogando bem, apresenta uma lentidão de raciocínio que só explica o porquê da reserva. Nilton é mais um fracasso na tentativa de contratar um jogador para ser a referência de qualidade e experiência ao elenco, foi assim com Thiago Ribeiro, Maxi e Cajá. Definitivamente, não damos sorte com medalhões. Sobram Flávio e Élton. Sei que muitos vão discordar, ainda sou mais Élton. Flávio é mais jovem e mais veloz, dá uma boa dinâmica ao time no meio, mas lhe falta experiência, inclusive na marcação dentro da área. Élton é mais lento, e não tem grande qualidade técnica, mas sobra experiência e entrega em campo, o que lhe faz ser meu favorito para jogar ao lado de Gregore. De qualquer forma, esta é uma posição para melhoras em 2019.

Diante do exposto, meu time para a sequência final do campeonato seria Douglas, Bruno, Thiago, Lucas e Léo; Gregore e Élton; Élber (Vinícius), Ramires e Zé; Gilberto. 

Nossa tabela agora vai ser mais tranquila, pegaremos os times da parte de baixo da tabela, mas saímos pra jogar contra Grêmio e Galo, duas pedreiras. Continuo achando que não seremos rebaixados e brigaremos forte pela vaga na Sula, e com possibilidade, cada vez mais remota, de chegar na primeira página. Mais ou menos nesta rodada, o Bahia arrancou em 2017, chegando a lutar por vaga na pré-Libertadores, quem sabe a história não se repete.

Encerrando, quem pode fazer a diferença é esta galera aí da foto. No jogo contra o Flamengo, nossa torcida deu show e ajudou o time a superar suas fragilidades. Temos de continuar assim e lotar a Fonte e Pituaço para fecharmos o ano com triunfos em nossa casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.