Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

2 pontos na conta de Grolli


O Bahia começou claudicante, sem muita disposição e principalmente movimentação. O adversário explorava nosso lado direito, e numa sequência de escanteio abriu o marcador. Foi a segunda chegada deles, na primeira Douglas evitou tranquilamente.


Até os 20 minutos, o Bahia boa jogou, Zé Rafael e Ramires eram facilmente dominados pela defesa deles, Gregore e Nilton se limitavam a marcar, os laterias apareciam pouco, e Brumado era nulo. O Bahia tentava sair de trás ou em bolas longas, ou na correria de Élber. Mesmo assim, o adversário de um apenas mais uma cabeçada e Douglas era um mero espectador em campo, no máximo saía do gol em bolas lançadas nas costas da nossa zaga. 



Depois dos 20, o Bahia continuava com os mesmos problemas, mas pelo menos botou a bola no chão, bastou isto para o Mamão ficar perdido em campo e se limitava a bico para frente. Já perto do final do primeiro tempo, numa falta sofrida por Élber na meia esquerda, Ramires colocou com a mão na cabeça de Nilton. Jogo empatado. O Bahia ainda chegou num contrataque com Élber, mas ZR isolou.



Primeira etapa sofrível das duas equipes, futebol pobre para um clássico na Série A. Eu voltaria com EJ no lugar de Brumado, mas entendo Enderson, pois ele já tinha colocado Bruno no lugar de Nino. 

O Bahia voltou mais aceso e dominou as Galinhas no início da segunda etapa. Já chegávamos com mais facilidade, o quarteto ofensivo, inclusive Brumado, já se movimentava melhor. Criamos duas grandes chances em bolas paradas, ambas com Brumado, na primeira, ele foi muito bem, e colocou no canto do goleiro, mas a bola bateu na trave. Na segunda, ele se colocou no segundo pau, como deve fazer um 9, mas de forma displicente não tocou em cheio na bola e perdeu o gol mais feito do jogo.

O Bahia era senhor do jogo, mas futebol é bola na rede e o imponderado se fez presente. O Vice mantinha a tática do primeiro tempo, bola longa, todas facilmente anulada por nossa zaga ou por Douglas. Mas, tão certo como a freguesia do Vice é uma falha capital de Grolli a casa dois jogos, e ela veio quando o jogo era nosso. 2x1 para as Galinhas. 

Mas, eles nem tiveram tempo de cacarejar muito. Pois, num bate-rebate na área deles, o menino Ramires empatou e calou o galinheiro. Dose foi ficar ouvindo Jorge Alan torcendo no microfone pela quebra do tabu e dizendo que o gol de empate foi impedido.

Não gostei da postura do Bahia depois do empate. Deu a bola para eles e ficou atrás só esperando o tempo passar. Pior, fazendo falta perto da área e dando chance para bola aérea na nossa área. 

Não perder para o rival lá no Lixão sempre é um bom resultado, manter um tabu de 10 jogos sem perder para eles é bom demais, mas estou como 100% da Nação, um pouco frustrado com este empate, temos mais futebol e mais time do que eles, era para ter brocado.

Quarta é ganhar do Vovô e garantir a Série A e a Sula em 2019. Depois, o que vier é lucro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.