Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

terça-feira, 30 de abril de 2019

Melhor que a encomenda


Como bom baiano que sou, tenho duas paixões além da família, o Bahêa em primeiro lugar, e o carnaval em segundo. Pois é, domingo tinha micareta em Brasília, evento que não acontecia há mais de 10 anos, e a estreia do Esquadrão no Brasileirão. Dúvida cruel, mas desta vez, a paixão número 2 levou. Mesmo assim, antes de entrar na área do evento, fiquei do lado de fora, comendo água e ouvindo o jogo na Rádio Esquadrão, ao lado de vários colegas da Embaixada do Bahia em Brasília. Aguentamos a pressão no radinho até o momento do lance de pênalti não confirmado pelo VAR, foi uma ansiedade da zorra ficar esperando a decisão do juiz sem ver o lance. A pressão foi tanta que resolvemos iniciar a curtição do axé. Mas, sabe como é torcedor, rapidinho lá estava eu olhando os grupos da torcida no zap. Quando abri dei de cara com um GOL DO BAHIA, avisei a galera e logo começamos a cantar o hino em alto e bom som. Só depois percebemos que era gol de empate.

terça-feira, 23 de abril de 2019

Agora é para valer

Passada a euforia pela conquista do Baianinho, é hora de fazer um balanço deste primeiro terço do ano do tricolor. Acho que o jogo de domingo contra o bom e esforçado time do xará de Feira é um bom resumo. No mesmo jogo, sufocamos nos 15 primeiros minutos de jogo e fomos sufocados nos últimos 15; criamos e perdemos oportunidades, mas também passamos boa parte do jogo cercando sem ferir o adversário, o velho arame liso; nossa defesa foi firme, mas também apresentou buracos que facilitaram a vida do adversário; em suma, fomos o mesmo time instável e de altos e baixos da temporada 2019.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Devagar com o andor

Andei sumido um tempo, pois estava esperando ver um pouco da cara de Roger no time. Hoje, ficou muito clara algumas opções do treinador no esquema ofensivo.

terça-feira, 2 de abril de 2019

Hora de recomeçar

Agora mais tranquilo, vamos refletir um pouco sobre o vexame na CNE. Entendo que a soberba foi nosso maior erro nesse campeonato. Em vários jogos, para não dizer todos, nos comportamos como se o jogo já estivesse ganho antes mesmo de iniciar. O ocorrido na semana passada, me fez lembrar muito o que ocorreu em 2015, o Bahia teria um jogo com o Santa na Fonte, mas todo o foco e concentração do clube foram visando a mudança de campo contra o Boa, esquecendo que teríamos de bater o Santinha em casa, o resultado todos lembram, derrota de virada em casa e adeus Série A 2016.