Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Melancólico modão tricolor


Lá pelo final dos anos 80, início dos 90, a música sertaneja invadiu o Brasil, chegando com força em SSA, passou a disputar espaço com o axé nos bailes de formatura. Ontem, eu fui ver o Bahia no Goiás, terra onde sertanejo é rei, e foi impossível não lembrar dos sofridos sucessos dos goianos Zezé de Camargo e Luciano (ZC&L), Leandro e Leonardo (L&L), e dos paulistas Chitãozinho e Xororó (Ch&X).


Sem dúvida, como cantava ZC&L, o Bahia, no segundo turno, é um caso complicado de se entender. Acho que hoje não tem um único torcedor do Bahia que não se pergunte que porra está acontecendo com o time. Como eternizou CH&X, por muito tempo a Nação Tricolor e o clube viveram negando as aparências e disfarçando as evidências que o time estava despencando na tabela e que problemas internos sérios vinham afetando nosso desempenho, agora não dá mais. Qualquer torcedor que tenha um senso mínimo de observação, vendo o Bahia em campo, percebe que tem merda, com menos de 30 minutos de jogo, já tem jogador voltando andando de cabeça baixa, enquanto o adversário dispara em campo.

Não dá para não lembrar do imortal sucesso de L&L, Pense em mim, a sensação que me passou ontem no Serra Dourada foi que os jogadores do Bahia não estão mais com a cabeça em 2019, a bola chora e clama “pensa em mim”, mas os caras já estão pensando e ligando para ela, seja lá quem seja, mas em jogar bola, eles não estão pensando mais.

Quando falamos de bom futebol e jogo coletivo, só nos resta cantar outro sucesso de L&L Sabe, quanto tempo não te vejo!.../ Cada vez você distante, / Mas eu gosto de você. O bom e aguerrido futebol do primeiro turno, hoje não passa de um fio de cabelo em meu paletó, como eternizou CH&X.



Pois é, como diria L&L, eu ainda não aprendi dizer adeus aos triunfos, só sei que não vou me acostumar com esta mediocridade que o Bahia passou a ser no Brasileirão. Pior, a direção não tem nada para dizer, parece que só o silêncio fala por eles. Pois é, o ano se encaminha para o final, e o Bahia foi um eterno tapas e beijos com o bom futebol, tivemos momentos gloriosos, mas alguns simplesmente para se esquecer.

Deixando a música de lado, e falando um pouco da parte técnica do jogo, Roger ousou ao entrar um 4-2-4, digo isto porque nenhum dos três meias atacantes se dispôs a fazer a meia. Lucca, mais uma vez foi um zero à esquerda em campo, o cara entrou e saiu de campo sem ninguém perceber, se limitou a ficar parado, literalmente falando, na esquerda; AK encostou em Gilberto, fazendo um Cosme e Damião improdutivo durante todo o primeiro tempo; e Élbinho na dele, mas muito na dele mesmo, pelo lado direito, por sinal, este é o tipo de jogador que só pode entrar em campo se tiver 120% fisicamente, com 99,9%, o futebol dele já cai demais. Bastava o Bahia pegar na bola para os 4 se esconderem atrás da zaga adversária. Na única chance que tivemos, Gilberto ficou com medo de chutar de canhota. Só um detalhe, vi muito torcedor dizendo que esta era a escalação ideal do Bahia, após o início do segundo tempo na derrota para o Fluminense.

No primeiro tempo, o Bahia se limitou a tocar bola entre os zagueiros, laterais e volantes, e praticamente todos se esforçaram muito para fazer o que Moisés fez no segundo gol dos caras. Vanderson parecia um amador no meio de profissionais, triste a atuação dele na etapa inicial.

Guerra, mesmo passando uma péssima fase técnica, deu outra movimentação ao time no segundo tempo, não foi por acaso que fizemos os 3 gols. João Pedro também melhorou nossa produção pelo meio, mas tem de entender que futebol é coletivo, carregar a bola é bom, mas fazer a bola rolar é melhor. Em suma, o Bahia mais um vez decepcionou e foi um time que mereceu a derrota, 4x3 foi um resultado enganoso, uma goleada para o limitado time do Goiás teria sido mais justa.

Por fim, ah se Deus nos ouvisse e mandasse de volta o time aguerrido de futebol coletivo que um dia partiu, retornaria para a torcida toda a felicidade e alegria de ver o Bahia em campo. Mas, pelo jeito, nosso final de ano vai ser uma melancólica canção sertaneja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.