Marca SóBahêa

Marca SóBahêa

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Que sirva de lição: Bahia 3 x 4 América MG

Só vi o segundo tempo, mas acho que foi suficiente para entender qual foi a tônica do jogo. Vi um América muito consciente do que fazer em campo, enquanto o Bahia se mostrava incapaz de reagir ao bem armado esquema defensivo do adversário.

Ao contrário dos times menores que jogam com o Bahia em SSA, o América não colocou as linhas de marcação baixas, muito pelo contrário, os caras marcaram o Bahia desde a saída de nossa área. Quando conseguíamos ultrapassar a primeira linha, a segunda já estava posicionada no grande círculo e a zaga estava na intermediária deles, com isto o Tricolor não tinha espaço para trocar passe e ir progredindo no campo adversário.

Entendo que faltou a Dado enxergar uma alternativa para fugir disto, eu tentaria duas, e ambas passam por adotar um futebol menos vistoso, mas que empurraria a marcação adversária para trás. De cara, eu tiraria Thaciano e Rodriguinho e colocaria Maicon Douglas e Thonny Anderson. Com Rossi numa ponta e MD na outra, eu apostaria nos lançamentos longos nas costas da avançada linha de defesa adversária. 

Por sua vez, Thonny Anderson faria dupla com Gilberto para brigar nas bolas aéreas com a zaga. Gilberto é um monstro, mas tem como deficiência a bola aérea lançada pela defesa. Com TA ao seu lado, acho que ganharíamos em competitividade neste quesito.



Com as bolas longas nas costas da última linha, e sem sobra na zaga, era certo que o América precisaria recuar suas linhas, o que daria campo para o Bahia armar o jogo e criar suas oportunidades de gol.

Por fim, dois lances para mim definem claramente o que foi o jogo. O primeiro é o quarto gol dos caras, reforçaram a marcação do nosso lado direito, forçando o erro de passe de Nino, e saem rapidamente no contrataque aproveitando toda a cratera que foi a nossa frente de zaga em todo segundo tempo.

O segundo lance é o gol perdido por Oscar Ruiz, como está devendo nosso paraguaio. De cara para o gol, Ruiz mostrou toda a displicência e insegurança que marcou nossa atuação. Era lance para dominar, levantar a cabeça e fazer o gol com tranquilidade, mas Ruiz de cabeça baixa bate no gol sem nenhuma convicção permitindo o corte da zaga.

Em suma, derrota que não se recupera facilmente os pontos. Que sirva de lição e aprendizado para Dado e todo o elenco.

Um comentário:

  1. Exata análise. O América teve o jogo. Cheguei a assustar com a real possibilidade de uma goleada.
    O Juventude estava ganhando do Grêmio. Temos de correr muito em busca desses pontos.

    ResponderExcluir

Prezados leitores, todos os comentários são bem vindos e enriquecerão as discussões. Entretanto, solicito moderação, evitando termos agressivos e acusações sobre jogadores, comissão técnica e direção do Esquadrão.
Solicito também respeito aos demais leitores, não sendo permitido postar xingamentos.
Os comentários que não atenderem as recomendações acima não serão aprovados.